terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Vem 2015!


Chegou a época de refletir o ano que se passou. E eu não fujo a essa regra, é inevitável! Em primeiro instante cheguei a pensar que esse ano foi melhor que o ano passado, fazendo um comparativo breve, mas assim estaria eu sendo injusta com o ano em que nasceu minha filha.

E muitos rodeios fiz em minha cabeça e cheguei a conclusão que eu seria uma ingrata se não agradecesse pelos meus últimos 5 anos, foram bons, muito bons. Entre altos e baixos, dignos de muitas surpresas da vida, mas no geral eu me saí bem.

Esse ano, não foi o melhor de todos, mas de longe passou em ser o pior. Então agradeço por ele.

Agradeço pelas pessoas maravilhosas que cruzaram meu caminho, agradeço aquelas que voltaram a cruzarem meu caminho e também aquelas que seguiram outros caminhos longe de mim.

Uma alegria - Minha pequena Lígia, uma felicidade sem fim. Noites mal dormidas, dentinhos, febre, engatinhar, primeiras palavras.. agora muitas palavras. Andar, correr, subir, descer, pular, cantar e uma infinidade de verbos de uma criança saudável e feliz. Agora já uma mocinha que está a abandonar as fraldas.

Um arrependimento - Cortar meu cabelo. Ceus, era um cabelão e eu não sei onde eu estava com a cabeça quando sentei e mandei aquela mulher passar a tesoura! Ela ainda me perguntou umas cinco vezes se eu tinha certeza. Eu tinha...

Uma escolha certa - Iniciei o ano, mais uma vez trocando o de local de trabalho. Foi uma escolha acertada. Conheci muita gente bacana que acrescentou na minha vida. Faço o que eu amo, com pessoas profissionais, talentosas e humanas. Foi um ano de muitos sorrisos com pessoas que vou levar pra vida toda (outras nem tanto).
 
Foi um ano bom. Um ano de revirar e abrir velhas feridas. Um ano que eu atingi a meta de leitura mínima em meio a esse furacão. Um ano em que eu estive muito saudável. Um ano que eu sorri e chorei na mesma proporção. Um ano que iniciou e terminou com a certeza de escolhas certas. Que eu sou realizada profissionalmente. Que eu não nasci pra ser mãe, mas que eu desempenho bem meu papel. Que eu tenho poucas e verdadeiras amizades. Que eu sempre vou optar por uma vida mais simples, com pessoas mais simples...

Termino o ano de alma limpa! Coração aberto a espera de um ano tão bom quanto esse...

Espero tantas coisas para o próximo ano, coisas que so dependem de mim.

Vou tirar minha CNH, pra carro, é uma necessidade imediata, já que não tem como levar minha pequena de moto por aí. Terminar a minha faculdade, agora que ela já esta grandinha já posso pensar nisso e junto iniciar a minha pos. Se tudo ocorrer como o esperado quero redecorar minha casa. Quero ler mais. Amar mais. Viver mais. Ser ainda mais feliz. Conquistar e reconquistar as pessoas importantes para mim. Mais sonhos. Menos noites mal dormidas.

E que venha e fique somente o que for importante!

Adeus 2014...


[...] Corra e diga aos anjos...
 

 
...que está tudo bem.
 
 
Vem 2015!
 

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Dancei a dança politica..

Eu fui. Eu fui e decidi ir em grande estilo. A decisão?
 
Foi no final da tarde e ela chega e pergunta pra mim se eu iria ou não. Estavas a pensar em não ir, mas com a delicadeza e a doçura dela ela me convenceu. Bem diferente de mim, percebi naquele momento o quanto errada seria de me privar de companhia de pessoas como ela que realmente gostam de mim.
 
Já que eu ia, eu ia me apresentar de forma impecável. Com direito a cabelo arrumadinho e maquiagem. Está aí uma coisa que eu posso dizer que sei fazer, eu sei me maquiar e gosto de causar esse impacto. No meu dia a dia não uso, é desnecessário.
 
Não lembro a última vez que fiz isso, acho que foi na minha ultima consulta de pre natal, faz tempo! Digo maquiagem completa! Com direito a preparação de pele, sombra, delineador. Fiz e me senti maravilhosamente bem. Estava precisando me olhar no espelho e me achar bonita.
 
Errei no tom da blusa, percebi quando vi as fotos, achei que estava com a pele mais escura do que realmente estou, então ficou tudo nude, desapareci, ou apareci demais, um ser pálido em meio a peles altamente bronzeadas.
 
Não fui a única. Teve a que errou no cumprimento do shorts, a que tem um corpo lindo mas que se vestiu de forma vulgar, a dama de negro. Mas no geral foi melhor do que eu pensava. Foi legal, pude me despedir de uma pessoa que não vai mais trabalhar comigo no próximo ano, mas que vai me fazer uma falta infinita. Com direito a lagrimas e abraços.
 
Sim. Mais de 20 mulheres maduras, estava eu entre as caçulas. Todas muito bem resolvidas (ou não). Entre casadas, viúvas, apenas uma solteirona, porem comportada. A pizza estava ruim, não gostei, mas como o que menos importava ali era a comida, o suco de abacaxi doce demais,
 
O amigo secreto revelado. Ganhei um creme maravilhoso, que eu iria comprar..do Boticário.
 
Foi uma noite tranquila e agradável. Sem fiascos, sem extravagancias.
 
Eu sobrevivi...
 
**Asas Negras - Obrigada pelo conselho, a gente sabe que é uma "dança politica" necessária, mas incorporar essa diplomacia que é mais difícil.**

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Férias!


Olha, se tem uma coisa que eu desejei nos dois últimos meses foi "FÉRIAS". Enfim chegou o momento esperado. Nem tanto pelo fato de eu acreditar que vou descansar, não vou. Porem não ter os horários tão rígidos já me aliviam. Era hora pra tomar banho, comer, sair de casa, trabalhar, dormir, acordar... muita regra!
 
Agora me sinto mais leve.
Pelo menos até inicio de fevereiro que é quando a loucura recomeça.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Era pra ser...

Não sei de onde vem essa calmaria que se abateu em mim nessa última semana. Estou pacifica, calma e tolerante. Isso é bom, me faz sentir bem e melhor ainda, faço bem as pessoas que estão a minha volta.
 
Estive a um nível de insuportável, usava o cansaço como desculpa. Isso não era verdade, apenas andava frustrada comigo mesma, o que mudou? Eu desisti.
 
Já fiz isso tantas outras vezes na minha vida. É maduro reconhecer que tem coisas que só nos fazem mal, geram inquietação, tristeza e ansiedade. Nos meus 32 anos, aprendi a reconhecer tais coisas. Se começam a me fazer mal, afasto-me e tudo volta ao normal.
 
Ao menos o que eu acho que seria normal. Sou uma pessoa boa, me reconheço assim. Gosto de poucas pessoas, e não me sinto bem com tanta energia ruim que estava concentrada dentro de mim, respingando em todos a minha volta, eles merecem o melhor de mim, não o contrário.
 
Sim, existem pessoas boas, que nos fazem o bem, que nos trazem alegria, que nos dão leveza e nos deixam mais doces. Essas sim, merecem meu tempo, minha dedicação, meus meio sorrisos, mesmo que sejam tortos.
 
Existem aquelas outras que eu sempre desejo tudo de bom, mesmo que não tão perto, nem tão próximos, mas que ao lembrar eu envio pensamentos felizes, que eu fico feliz em saber que estão felizes, mesmo seguindo seus caminhos longe de mim.
 
Era para ser um texto sobre mim, mas como sempre eu me jogo um pouco de lado. A sensação da escolha certa...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Doses de felicidade

[...]

Eu ali, encostada na parede só observando. Final de tarde, aquele vento gostoso...

Ela corria da garagem até o portão, a Pink corria atrás.. "Coe papai!.. Peguei!"
Entre sorrisos e gargalhadas eles brincavam, ela corria.. chamava por ele, ele corria.

Eu sorri internamente, me deu "aquela vontade de ser feliz".

Só depende de mim...

[...]

sábado, 13 de dezembro de 2014

Em tempos assim...

Já escrevi sobre essa música por aqui, mas se tem uma música que é como se fosse um hino pra mim essa é "A música" (obviamente não esqueci de Metal contra as nuvens)


 
Eu, eu sou uma estrada de mão única
Sou uma estrada que leva pra longe
E segue você de volta pra casa
Eu, eu sou um poste aceso
Sou uma luz branca ofuscante
Piscando sem parar

Em tempos assim
Você aprende a viver de novo
Em tempos assim
Você se entrega e se entrega de novo
Em tempos assim
Você aprende a amar de novo
Em tempos assim
Outra e outra vez

Eu, eu sou um novo dia nascendo
Sou um novo céu que
Sustenta as estrelas de hoje à noite
Eu, eu estou um pouco dividido
Devo ficar ou fugir pra longe
E deixar tudo isso pra trás?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Vida real...

 
Vai bater...vai bater...
 
O som estrondoso da buzina!
 
E o caminho de volta pra casa interrompido...
 
A minha cabeça a girar e a pensar como a vida é frágil. Ela acordou no banco de traz. Ele saí pra fora do carro. Muita discussão.
 
Eu ali, envolvida com meus pensamentos. Tinha acabado de ler um email que recebi. E se aquele momento fosse o último, ele faria parte dos meus últimos pensamentos.
 
Eu ali parada, olhando para os estilhaços de vidro.
 
Não teve como não lembrar do livro "Um dia". A personagem principal morre e um de seus últimos pensamentos foi uma foto de infância e que o grande amor da sua vida estava a sua espera.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

...

- Stress dá tristeza?

- Não sei. Pq? (respondo com o olhar longe..)

- Por que vc está triste...

Ele me conhece melhor que ninguém...
Apenas errou no motivo da tristeza...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Continuamos insistindo...

"Mas aí, daqui uns dias.... você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo."
 
Tati Bernardi...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Uma folha em branco...

Quando cheguei a folha em branco já estava em cima da minha mesa, nela continham os nomes dos funcionários, com espaços para cada um preencher com "ideias de locais" para a confraternização do final do ano. Torci o nariz, fiz caras e bocas e coloquei somente uma "AQUI MESMO", essa era a minha sugestão.
 
No momento pensei naquilo que seria melhor pra mim, não estou nem um pouco disposta a abraçar desafetos em lugares publicos, passar vergonha em pizzarias e restaurantes, quero mesmo é que as ferias chegue e eu não precise olhar pra cara de meia dúzia de gente, e já que sou obrigada a ir pro trabalho, então por que não unir o "inutil ao desagradavel". Pensei...
 
A unica coisa que nao saia da minha cabeça era o por que da folha em branco se eu somente chego a tarde, com certeza ja tinha rodado a manha toda e ninguem quis colocar nada? Pois é.
 
Na hora do café.. uma "puxa" o assunto, quase sem "querer querendo". E inicia-se uma discussão. Assim como eu, muitas seguiram o que eu coloquei por livre espontanea vontade. Eu ali, comendo o meu abacaxi, só observando. Gente mau educada, que não sabe conversar, cada qual queria vencer sua opinião no grito, e eu comendo e observando.
 
A minha opinião foi durante criticada, estavam massacrando um querida colega, que colocou o mesmo que eu, por vontade propria. A argumentação teve até que "salgadinho é coisa de pobre".
 
Terminei o meu doce abacaxi, as caras ja estavam zangadas e as massacradas (mais bem educadas), desistiram de argumentar, pois era impossivel argumentar com gente tão ignorante que queria valer sua opinião no grito.
 
Aproveitei a oportunidade que o silencio iniciava... e...
 
"Agora entendo o por que a folha chegou em branco na sala, todo mundo tinha uma opinião, mas ninguém teve coragem de se expor, por que se vcs ja tinham um local escolhido, por que diabos, passar uma lista pedindo a nossa opinião? Até pq eu entendo que no minimo deve-se respeitar a opiniao do proximo, e vencer a maioria. Se vcs queriam ir em uma pizzaria, entao apenas dessem a opção de 3 pizzarias. Agora se vcs ja haviam escolhido o local, o que deveria haver na folha era se a pessoa desejava ou nao ir.".
 
E virei as costas.
 
Mas a situação entrou em um ouvido e saiu no outro. Por mim.. o que me anoja é gente sem personalidade, em cima do muro, que fica se encolhendo, com medo de dizer o que pensa ou quem quer dominar sem argumentação, que nao sabe se expor, que fica gritando. ODEIO!
 
Eu saí ilesa e nem perdi o sono, mas amizades foram rompidas, pq tem gente que abre so a boca pra ofender, o poder nem sempre esta nas maos de quem merece!
 
Quase nunca... e outra.. se até na escolha pra a Presidencia de um país, existe a opção NULA, pq para uma festinha de final de ano "É obrigado a ir?".

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

E da alegria de ser quem eu sou...

Por esse dias estava assistindo um vlog de uma menina e eu me identifiquei tanto com aquilo que ela falava, que por muitas vezes me questionei se existiam outras pessoas que agiam ou pensavam como eu ou se eu estava errada na forma de agir, pensar.. mas logo desistia de pensar, por que afinal eu gosto de ser quem eu sou e eu gosto de ser a pessoa em que me tornei.

Ela falava em como ela nao se importava com as pessoas, não de não se importar, mas de não ter o cuidado e o carinho com as pessoas. Bom, eu sou assim, não sou uma pessoa carinhosa, e não é que eu não me importe com as pessoas a minha volta, eu não sinto falta disso, eu não sinto falta de carinho

Convivo com pessoas carinhosas. Saponildo é uma pessoa carinhosa, quando olho ele com a família dele, eles se abraçam, se beijam, sorriem, se preocupam uns com os outros, tive muito a sorte de encontrar pessoas assim pelo meu caminho, mas não me façam tal cobrança, a reciproca até pode ser verdadeira, mas ninguem vai me ver sair por ai abraçando e beijando todo mundo.

Eu não gosto que encostem em mim! Não suporto! Aquela pessoa que mal de conhece e já vem te dando um abraço e beijo, ou aquela que vem conversar e coloca a mão em cima, sem delicadeza nenhuma eu me afasto.

O problema não é so a minha falta de contato, é o carinho verbal também. É muito dificil expressar meus sentimentos, seria como ir a luta todos os dias e lutar contra mim mesmo, encontrei formas que substituem tudo isso, eu escrevo. Escrevo mais do que hajo ou falo...Escrevo bilhetes, escrevo cartas, emails, cartões...

Acho que isso tem haver com "educação', ser ou não carinhoso. Não nasci em uma familia carinhosa, meu pai era carinhoso, é uma lembrança que tenho dele, minha mãe não, presa em seus sentimentos. Não... não estou a culpa-los. Sinceramente gosto do que sou hoje e agradeço a eles, mas não desejo isso a minha filha, tem que ser muita fibra para assumir uma personalidade assim, para ser aceita e saber se impor. Acho que o mundo seria mais facil se eu fosse uma pessoa mais doce...seria mais leve.
 
Por não desejar isso a ela, que faço um esforço em trata-la com muito carinho. As vezes esqueço dos abraços, beijos.. do "meu amor", "meu anjo". Peço a Saponildo me policie e chame a minha atenção quando estou em falta com ela, por que nem ele se acostumou com o meu jeito, mas compreende que nao faço isso por mal, apenas nao aprendi a ser carinhosa, entao nao sinto falta.. mas com ela as minhas atitudes sao diferentes, mesmo que condicionada, porem ja observei que com ele ..ela é mais espontanea, que pede abraço, beijo.. colinho, enquanto comigo eu tenho que pedir pra ela me dar o carinho, para que eu possa retribuir.
 
Eu quero um mundo mais doce pra ela...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Mau educada...

Pé direito em dezembro. Nossa.. fim do ano está aí na porta. Passando rápido demais, isso é bom ou ruim? É bom, é ruim. Contagem regressiva para as desejadas férias, isso é bom ou ruim? É bom e também é ruim. Deixa, eu que sei!
 
Nas últimas semanas ando de mau com a vida. Mais precisamente amarga demais. Isso não é nenhuma novidade, como dizem por aí.. quando mulher perde a vontade de gastar dinheiro é pq a coisa está feia!
 
A mais de um mês venho me arrastando pra comprar um aspirador de pó novo, o meu não dava mais. Adiei.. adiei.. enquanto pude, mas ontem fui intimada a ir comprar um, então nao fui pela minha vontade, aproveitei e comprei umas coisas pro natal, não ligo a minima pra isso, mas quando se tem uma criança em casa se faz necessário, não quero mais tarde ter uma adolescente traumatizada pela falta da árvore de natal quando era criança. Comprei os presentes para as professoras dela, não tem preço o amor e a dedicação delas, por que a bichinha não é fácil
 
Na saída, eu com a caixa do aspirador, agarrada a ele, tapando quase toda a minha frente. Saponildo com a Lígia e as demais sacolas, sim... eu prefiro carregar a caixa de aspirador, por que eu não aguento o peso da minha propria filha, alem de ser um peso que nao para de se mexer e pular.
 
Na área de saída, esbarro em uma moça loira, alta.. pedi gentilmente desculpas, ela me olha de cara feia.. e faz um (aiiiii) se contorce toda e me chama de mau educada. Eu mau educada? Não sei ao certo se eu esbarrei nela ou ela em mim. Uma coisa estava certa, a loja tem local de entrada e saída, eu estava na saída, ela estava entrando contra mao, na porta da saida, ela deveria olhar por onde anda, ou ela nao viu uma pessoa carregando uma caixa? E eu ainda me desculpei pelo ocorrido e ela nem isso.
 
Com certeza essa ai nao vai muito longe com essa soberba...

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Tire a mascara...

De todos as convenções sociais o "desculpar-se" para mim é o pior de todos. Entre "com licenças, obrigados e por favores ouvir desculpe-me é o que me deixa mais frustrada. É um dos motivos que não gosto de toda essa pompa, não me soa má educação, me soa fingimento quando usado por pessoas que usam desse truque pra amenizar seus erros corriqueiros. Já perceberam que a pessoa que pede desculpas, tem como habito fazer isso?
EU não tenho esse habito! Não sou mau educada, sou intempestiva, nao tenho papas na lingua, me conheço! Em relação a isso, tá feito.. fiz errado.. paciencia, nao vou mudar entao pra que diabos eu vou ficar me desculpando?
Quando EU chego a me desculpar com alguem, por algo que fiz ou deixei de fazer é por que estou sendo sincera e desejo profundamente nao cometer aquele erro novamente e gostaria que as pessoas tivessem o mesmo comportamento, so me abra a boca para desculpar-se se for para nao cometer o mesmo erro novamente, nao banalize seus sentimentos! Não banalize os meus também...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

E assim foi...

Uma verdade verdadeira e única. Eu não tenho paciência pra celular! Muito menos pra esse tal de "zapizapiii", mas ele tem me reservado algumas boas surpresas. Nem sei ao certo se deveria pensar assim, seriam agradaveis ou desagradaveis.
 
Em algum dia entre essa semana e semana passada. Estava eu no trabalho quando escuto um "toc toc" (sim o meu faz toc toc, tenho pavor do assobio), nem olheio achei que fosse alguma besteira das meninas do trabalho, na hora do café, fui dar uma olhada...
 
"E ae Lucí" (era um numero estranho, ja fui perguntando quem era...)
 
Pra minha surpresa era "gg" (apelido carinhoso dado por uma amiga e eu a sua pessoa, e ele nao sabe disso obviamente). Nao tive como nao perguntar a ele, como ele conseguiu meu numero...
 
"O japa me deu". (O que aquele filho de uma boa mae quis tentar fazer ao dar meu numero a outra pessoa...)
 
Ontem a noite, marido foi fazer hora extra (leia-se jogar futebol!), A Lígia dormindo... eu escuto o "toc toc". Era uma amiga...
 
"Ei.. adivinha quem voltou pra city?"
 
Pois é, ela veio me dar uma noticia, pois eu ja sabia em primeira mao, que "gg" voltou pra casa, que havia se separado da mulher e que com certeza estava atualizando suas referencias..rsrs. Ela sempre torceu pra essa história, que nunca chegou nem perto de uma tentativa, no fundo eu acho que existe um interesse grande da parte dela na pessoa dele, dei carta branca.. ela que va a luta.. ja esta pra titia mesmo, eu nao posso mesmo.

domingo, 23 de novembro de 2014

Esperar...

 
"Quantas noites nas últimas semanas eu adormeci com o celular na mão? ..Algumas coisas nunca mudam.. e mais uma vez me pego a esperar...uma espera sem razões e sem porques. Não existem promessas. A espera faz parte da entrega, dos sabores e dessabores da entrega."

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Preciso de manual...

Uma única verdade, essa minha semana foi uma m*. Fazia tempo que não me incomodava tanto com o meu trabalho, não ...com as pessoas do meu trabalho, amo o que faço, me da prazer, porem o convivio social me mata!... e pra piorar...
 
Chego em casa, exausta, sem paciencia, intolerante, mau humorada.. um verdadeiro capeta de saia. Quando eu saio do trabalho eu ja sei o que me espera em casa, nao fico reclamando para ninguem, ja me habituei durante o dia o ceus cairem na minha cabeça e durante a noite tentar disfarçar meia duzias de sorrisos.
 
Só que tem dias que NÃO DÀ! Hoje foi um dia desses. Não tenho o costume de chegar em casa falando dos problemas que passo durante todo o dia, até para evitar que qualquer coisa que eu faça eu escute "não desconte teus problemas do teu trabalho em casa!". Cliche demais para a minha pessoa.
 
Hoje eu cheguei despejando tudo, adiantei que estava sem paciencia pra latido de cachorra, choros manhosos da Lígia e para ogrices de um sapo, apenas quis dizer que eu queria um pouco de paz, seria pedir muito?
 
A cachorra latia e corria pela sala, ao mesmo tempo que a Lígia berrava enquanto a Pink (a cachorra) chegava perto dela e eu tentando controlar o caos e ouvindo "Não desconta teus problemas do teu trabalho nelas!".
 
Pra que! Explodi em meia duzias de palavras.
 
Eu só queria silencio! É tão dificil de entender?
 
Amarrei a cara, empaquei o burro olhando pra tv, e deixei o mundo desabar ao meu redor.
 
Com o baixar da poeira Saponildo tenta apaziguar os animos...
 
Expliquei a ele, na maior paciencia e boa vontade, que eu não estava descontando nada em ninguem, eu só queria um pouco de sossego e que ele podia coloborar com isso, ja que eu havia avisado que meu dia foi exaustivo.
 
Por isso que eu me canço!Pq eu tenho que ficar explicando a ele como eu sou, o que ele deve fazer..
 
São 10 anos, são 10 anos e uma pessoa que convive comigo não me conhece, não sabe como me acalmar, era tão simples... não precisava focar no "meu problema que segundo ele eu estava descontando". Era apenas desviar a minha atenção, contasse qualquer coisa boa que aconteceu, falasse mau da vizinha, contasse uma piada tola sem graça..
 
Bom, depois "da aula..." de como apaziguar uma fera, o resto da noite foi bem mais tranquila...

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

try..try..try


 
Já se perguntou o que ele está fazendo?



  Como tudo virou mentira?
Às vezes acho que é melhor nunca perguntar porquê

Onde há desejo, haverá uma chama
Onde há uma chama, alguém está sujeito a se queimar
Mas só porque queima não significa que você vai morrer
 
Você tem que se levantar e tentar, e tentar, e tentar
 
Engraçado como o coração pode iludir
Mais do que apenas algumas vezes
Por que nos apaixonamos tão fácil?
Mesmo quando isso não é certo

Já ficou preocupado por isso poder ser arruinado?
Isso faz você chorar?
Quando você está por aí fazendo o que você está fazendo
Você está apenas sobrevivendo?
Diga-me, você está apenas sobrevivendo

Onde há desejo, haverá uma chama
Onde há uma chama, alguém está sujeito a se queimar
Mas só porque queima não significa que você vai morrer
 
TRY...
 
TRY...
 
TRY...
 
(Try-Pink)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

*...das coisas que só acontecem comigo*

Em exatamente 1 mes, passei por 4 assaltos o que dá uma média de um por semana, segundo as regras basicas da matematica e foi bem isso o que aconteceu...

Alguém que le por aqui pode achar.. "nossa e ela comenta isso com uma frieza". Eu devo ter algum problema, eu não sinto medo, eu não sinto desespero, eu não sinto nada.
 
1ª Situação - Estava uma colega e eu no final do expediente no supermercado ao lado de onde trabalhamos, quando chegamos no caixa, o supermercado estava sendo assaltado, por um moleque que no máximo tinha 16 anos, magrelo, franzino, mas tinha uma arma na mão. Ele roubou todo o dinheiro do caixa e TODO o pagamento da minha colega, pq ela tinha ido ao banco sacar e ele viu o dinheiro dela na carteira. Ele apontou pra mim e eu exibi meu cartão alimentação, ele fugiu de bicicleta. Pensei comigo, "nem o fdp de um ladrão mequetrefe quer meu cartão alimentação!"
 
2ª Situação - Estava Saponildo e eu no final do dia, passando no caixa de um supermercado próximo a nossa casa. Quando entra outro moleque magricela com um canivete e parte pra cima da caixa, pede dinheiro, celular, ela começa a chorar. Ele nao percebeu que o dono sempre fica meio que escondido em um escritório proximo a saída, e fechou a porta. Quando o meliante ia fugir o dono, grita pra Saponildo segura-lo (Saponildo que nem gosta de uma briga, segurou) e la veio açougueiro, verdureiro... repositor e ele levou uns tapas ali mesmo, chamaram a policia, mas o pia era de menor, reza a lenda que o largaram na proxima esquina.
 
3ª Situação - Nesse mesmo mercado, essa vez eu estava sozinha, entrou um sujeito armado (esse parecia mais profissional), colocou a arma na cabeça da caixa, levou todo o dinheiro e fugiu em um carro preto. E eu vi tudo comprando carne no açougue. A caixa está ate hoje afastada, pq está traumatizada.
 
4ª Situação - Hoje, mal acabei de entrar na fármacia, proxima a minha casa, e em seguida entra um sujeito armado, limpa o caixa e olha pra mim e pede o meu dinheiro, eu com um pacote de fralda em uma mao e na outra um pacote de lenço, ate eu ia largar pra pegar o dinheiro no bolso, mas ele se padeceu da minha pessoa.."a moça deve ter filho, deixa pra la".. e saiu fugindo em uma moto.
 
E a unica coisa que eu penso.. "Pqp! De novo!?"

terça-feira, 18 de novembro de 2014

...




Quando eu o vi, ali meio de lado jogado naquele canto do refeitório, olhei pro sol lá fora.. pensei..

"Um violão, guarda-sol e uma cadeira de praia.. precisa mais?"

Não.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

...


Hoje acordei sentindo falta...
...dos sorrisos a minha espera.
...das festas que não fomos.
...das noites que não passamos juntos
...do por do sol que não vimos.
...dos problemas que não compartilhamos.
...dos filhos que não tivemos.
...do futuro que não planejamos.
...das brigas.
...das reconciliações.
Hoje acordei sentindo falta de tudo aquilo que nunca vivemos...
Hoje eu acordei sentindo falta de vc.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

oscilando...

Essa semana ouvi dizer pelos corredores do meu trabalho, pelas beiradas do prato que vão trocar meu horário para o próximo ano. Legal, ninguém me perguntou nada.
 
Não sei disfarçar, não sei ficar em dúvida. Quando surgiu a oportunidade e encontrei ela no corredor indo pro café..:"-Fiquei sabendo que fulana vai trabalhar a tarde, como vai ficar a minha situação?". Escuto que nao muda nada que eu vou passar para a manhã.
 
Eu fiquei muito irritada, mas muito mesmo... não é nem pela de horário, mas acho que esse tipo de coisa deve ser conversado em particular com as partes interessadas. Eu odeio ficar sabendo coisas que só dizem respeito a mim, pelos outros. Porem segundo ela, irá fazer uma reunião para fazer os acertos necessarios. Agora ela vai fazer uma reunião? Bom, a reunião anda ocorrendo desde segunda pelos cantos.
 
Já ando a sofrer por antecipação. Elas não tem noção do perigo e da minha lingua afiada no periodo matutino. Já trabalhei nesse horário que elas vão realizar a troca. Eu sou a pior pessoa do mundos, nas primeiras horas que eu acordo, passo a ser mais ou menos sociavel, depois de 2 horas ja acordada. Meu mau humor pela manhã é cronico, só com muito amor mesmo.
 
Meu trabalho durante o ano é 70% criação. Éntendi muito bem o por que da troca, a outra queria o meu horario desde o inicio do ano. Muito facil... eu crio, desenvolvo, ela finaliza e fica com os meritos. Nao é a primeira vez que passo por isso e ja sei muito bem onde isso vai dar, vai dar em outro emprego... em outro lugar.
 
Agora mais do que nunca vou ter que engulir uns sapos e umas pererecas. Preciso da parte financeira, do meu dinheiro, para fazer algumas coisas que planejo para o proximo ano. E o horario nem é tao ruim assim, mas que eu nao vou ficar nesse troca troca...nao vou! Ela que se decida...

terça-feira, 11 de novembro de 2014

e pela madrugada...

Cara, me diz... mas me diz sinceramente... como um ser humano consegue escutar Eminem as 6 horas na manhã?
 
Não, eu não estou a discutir gosto musical, tenho o meu e cada ouvido que escute o que quiser, mas as 6 horas da manhã é insano ter que compartilhar o seu gosto privado com a vizinhança.
 
Sou acordada praticamente todos os dias com o carro do vizinho, essa semana ele escolheu me presentar com "Eminem - Not afraid" (não que eu seja uma admiradora das músicas dele, não é meu estilo, mas essa eu identifiquei, foi me apresentada por aqui mesmo), mas as 6 da madrugada?
 
Mal posso esperar pela próxima semana.. qual o estilo que ele vai escolher pra danificar meus timpanos!?

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Em terra de...

Ando a lembrar pouco do meu pai, suas lembranças já foram bem mais marcantes, culpa dessa vida corrida. Diante dessas discussões sobre o que eu gosto ou deixo de gostar, a lembrança dele se fez presente...
 
Como a minha origem é gaúcha, pra quem não é de lá, não tem noção de que as pessoas por lá, vão de um extremo ao outro, ou você ama alguma coisa, ou você odeia essa mesma coisa. Não existe meio termo, seja para comida, música, partidos politicos e principalmente em se tratando de futebol.
 
Fui uma menininha que nasceu em meio a uma família colorada (assim conhecido o time do Internacional), fanáticos! Desde muito pequena tenho lembrança das camisas vermelhas, dos chapeuzinhos e das bandeiras que ganhei e não tenho como esquecer aquele quadro horroroso que ostentava algum titulo colorado bem no meio da sala.
 
Lembro dos meus tios se acabando de rir quando me perguntava se eu gostava mais do Inter ou do Colorado e eu dizia.."do colorado". Pequena demais pra entender, pequena demais pra expressar a minha opinião.
 
Não me recordo quando o meu coração começou a bater pelo opositor. Foi uma paixão de infancia, pelo azul da cor do céu, de inicio lembro que ninguem me levava a sério, achavam que era brincadeira, na adolescencia um fanatismo com direito a poster na porta do quarto.
 
Então lembro do meu pai, que acordava todos os dias, olhava para aquele poster, sacudia a cabeça em sinal de desaprovação e  me pediu com o maior jeitinho para eu mentir para o resto da familia (tios, primos), como se ter uma filha do time rival fosse motivo de vergonha.
 
Assim eu o fiz, era um desejo dele, para nao mentir, tirei o poster do quarto e nao discutia futebol com ninguem da familia, pra evitar que me perguntasse algo e todo mundo ja sabia de minha posição. O que todos no começo achavam que a minha escolha era so pra ser "do contra" ou uma afronta, com as minhas atitudes mostrei que nao, era que eu apenas tinha o direito de escolher e eu tive o direito de escolher, sem brigas acaloradas.
 
O tempo passou e "até a pé nos iremos..." não deixei meu time do coração, jamais o abandonei, mas nao ligo se ganhou, se perdeu, foi mais uma daquelas escolhas importantes que se faz na vida pra se autoafirmar e que a minha despontou muito cedo.
 
Pra ser gremista em familia de colorado, tem que se ter muita personalidade.

domingo, 9 de novembro de 2014

A amante de Freud - Karen Mack e Jennifer Kaufman


Foi um dos muitos livros que iniciei a leitura no ano passado, escolhi alguns para definitivamente terminar. Comecei a le-lo pelo interesse que o título me causou, confesso que gosto das coisas ligadas a Freud.  Iniciei a minha leitura animada, irresistivel, algumas referencias ja conhecidas pela minha leitura de Nietzche. Redescobri por que tinha abandonado-o, muito descritivo e por horas muitos dialagos e a história mesmo que eu queria acompanhar se perdia em tudo isso. Comecei a detestar Freud, deixou de ser visto por mim de um homem inteligente para um desprezivel egocentrico e no final ele morre. Sim, ele teve a estupidez de envolver a cunhada e ter um caso com ela, usa-la e descarta-la, apenas mais uma. Ela foi fiel até os dias de sua morte.
 
Alguns trechos:
 
"– Você percebe a situação que temos aqui? – ele disse baixinho, com a voz embargada por um instante. – Vivo sozinho numa casa cheia de gente."
  
"Depois de tantos anos de convivência, ali estava o que ela acabara de descobrir naquela única noite. Ele era um homem infeliz. E homens infelizes são perigosos."
 
 
"Crianças de famílias numerosas, assim como os cachorrinhos que vivem em bandos, aprendem a devorar guloseimas inesperadas o mais depressa possível para não terem que arcar com as consequências de uma demora. Sempre pode chegar outra pessoa e levar a delícia embora antes que elas tenham tempo de dizer: “É meu!”
 
"Às vezes o coração não se atrai apenas pelo que é luminoso. Às vezes ele se deixa cativar pelas ambiguidades obscuras de caráter, pelos silêncios ressentidos. E pela compreensão aguda de alguma ideia ou segredo que exista em comum com a outra pessoa. Nessas circunstâncias, o fato de o relacionamento ser ou não ser apropriado deixa de ser uma questão."
 
"A ovelha negra da família chegara a um negror mais preto do que o preto."
 
" Para ele, todas as religiões eram “claramente infantis e alienadas da realidade [...]"
"E, enquanto subia de volta na cama, se perguntou – só por um instante – se ele estaria pensando nela."
 
"Minna tinha penetrado num mundo novo, um mundo secreto, pensou, no qual você não vai para o lugar aonde estava indo e desaparece assim que chega lá. E um mundo onde depois, ao voltar à sua vida de sempre, você finge que nada aconteceu. O anonimato é tudo."
 
 
[...]
– No que você está pensando? – ela quis saber.
– Estou querendo saber quando a verei de novo.
– Não estrague o momento.
– Você não está pensando na mesma coisa?
– Não.
– Mentirosa.
– Já estou contando as horas. Era isso que você queria ouvir? – indagou ela.
– Eu quero ouvir a verdade.
– A verdade é que não há o menor futuro para isto.
– Para tudo há um futuro.
[...]

"De alguma maneira, a sensação era de que os dois haviam se tocado por inteiro e ao mesmo tempo não se tocavam em parte alguma."
 
"E  se viu fisgada pela armadilha primordial humana que são os famosos “e se?”. E se fosse possível voltar no tempo? Será que ela teria conseguido se empenhar mais em resistir à tentação? Talvez sim. Mas isso agora não fazia mais diferença nenhuma. Minna já sabia que, naquele momento, era incapaz de fazer cessar o desejo que sentia por ele."
 
" A moral ou Deus não têm nada a ver..."
"A culpa não passa de um castigo autoimposto que a civilização nos empurra."
 
" As necessidades sexuais são um direito, e ninguém deveria ser forçado a passar pela vida sem satisfazê-las "
 
"Esse era o lado bom do amor, ver seu próprio mundo transformado sob o bri
lho de uma luz falsa."

"Estava livre, da mesma maneira que um prisioneiro é livre quando decide apostar num plano de fuga. E mesmo que no fundo soubesse que aquele interlúdio divino seria breve, a sombra do destino que a aguardava depois não conseguia abalar seu estado de espírito."
 
" Meu Deus, ela pensou ao mergulhar na água morna, por favor, limpe os meus pecados.
 
"E depois, com os dois exaustos, ela descansava a cabeça no ombro dele, entrelaçava as pernas nas suas e pensava, com uma tristeza maior do que nunca, que ele era a única pessoa que havia amado na vida."
 
[...]em um dos seus artigos havia escrito que “mesmo quando os lábios calam... a traição abre caminho à força e exala por todos os poros”.
 
"O seu objeto de estudo são mulheres angustiadas. E quer saber por que elas vivem angustiadas? Pois eu vou lhe poupar anos de pesquisas, então. Elas vivem angustiadas porque homens feito você contam mentiras para aquelas que, como eu, são idiotas o suficiente para acreditar nessas mentiras."
 
"Você não escreveu que é preciso que haja alguma interdição para alimentar a libido? Que paixão e casamento não podem coexistir?

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Por onde andei...??

Trabalhando.
 
Bem emocionante. Doses extras de veneno diarias. Hoje é sexta?
 
Nem acredito.
 
A semana passou que passou, melhor dizer as semanas e as duas últimas corridas demais. Trabalhei em turno duplo, o que me deixou cansada e afetada.
 
Estou totalmente distraida. Ontem no final da tarde minha cabeça doia e nem sou uma pessoa que sente dor de cabeça, da pra contar as vezes que eu senti isso na minha vida.
 
Só sei que me pediram pra colocar umas fotos num pen drive e depois se tinha como colocar um titulo em uma imagem em um arquivo de pdf. Coisa tao simples, mas tinham duas maritacas falando perto de mim, me desconcentrei, coloquei as fotos e imprimi as 30 folhas com a imagem sem o titulo pedido, só lembrei em casa. Pior que a pessoa que me pediu nem reclamou, tadinha! Mandei um "zapi zapi" pra ela me desculpando e ela disse que percebeu mas nao quis reclamar, pq percebeu que eu estava "diferente" e que parecia cansada.
 
Ainda bem que tenho anjos no meu caminho.
 
O humor anda melhor, acho que estou cansada demais até pra ficar mau humorada, como também para ficar sem paciencia. Só penso que hoje é sexta, que ainda vou trabalhar mais hoje e que o dia vai terminar e o meu trabalho vai continuar pra semana que vem.
 
Final de ano em escola é a pior epoca, estamos todos cansados, mas o show tem que continuar até o final.
 
Como eu odeio final de ano!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Melhor que tio...

Depois de um longo dia de trabalho, Saponildo vai ao supermercado ..
 
Estava eu no quarto organizando umas roupas, a Lígia brincando em cima da cama, quando ele volta vem ao nosso encontro.
 
"-Tu não sabe o que me aconteceu..."
 
Meu coração aos pulos, pelo tom com que ele falou, como se algo muito grave tinha acontecido, pensei em tantas coisas em questão de segundos, que ele foi assaltado, que bateu o carro, que atrapelou alguém.. que nada..
 
"- Fui chamado de SENHOR pela caixa do supermercado. Ela disse bem assim.. "A Lígia não veio? O senhor deixou ela em casa?".
 
Pensa numa pessoa morrendo de rir, essa pessoa era eu.
 
"- Olha, melhor senhor do que tio, ja pensou nisso?".

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Lamento...

É só isso que tenho a dizer! Mais 4 anos!

... e viva a democracia!

Politica se discute sim! ..e mantenho a minha posição!

Lamento pelos altas impostos, lamento pela corrupção ativa e escancarada!

Lamento pela política do pão e circo!

E viva o Bolsa família, viva o assistencialismo!

Lamento...

domingo, 26 de outubro de 2014

...até o mundo acabar...

...de janeiro a janeiro...
 

 
ou..
 
...de setembro a setembro...
 
"Sabe aquela música bonitinha que acolhe a alma? É essa! Palavras que abraçam o coração apertado e deixam o dia mais doce..."
 
Bom domingo!
 
Não consigo olhar no fundo dos seus olhos
E enxergar as coisas que me deixam no ar, deixam no ar
As várias fases, estações que me levam com o vento
E o pensamento bem devagar

Outra vez, eu tive que fugir
Eu tive que correr, pra não me entregar
As loucuras que me levam até você
Me fazem esquecer, que eu não posso chorar


Olhe bem no fundo dos meus olhos
E sinta a emoção que nascerá quando você me olhar
O universo conspira a nosso favor
A conseqüência do destino é o amor, pra sempre vou te amar
Mas talvez, você não entenda
Essa coisa de fazer o mundo acreditar
Que meu amor, não será passageiro
Te amarei de janeiro a janeiro
Até o mundo acabar
(de janeiro a janeiro/ Roberta Campos-Nando Reis)

sábado, 25 de outubro de 2014

JURA?

AQUARIO...

"Homens e mulheres de Aquário são absolutamente independentes e não levam a sério as diferenças entre os sexos. Ambos são liberais e inteligentes e costumam ter ideias à frente de seu tempo. Muitas vezes, a mulher é ainda mais independente e inovadora que o homem, especialmente nos costumes, nas ideias e na maneira de vestir-se. O homem, muitas vezes, é mais tradicional, mantendo alguns valores do “velho mundo”. Nenhum deles suporta manifestações viscerais e muito emocionais, mas, no amor, o homem é mais arisco. A mulher entrega-se com mais facilidade, porém sem romantismo. Na cama, empatam na liberdade de expressão, na necessidade de movimentos e na capacidade de deixar de lado o romance e até mesmo o sexo, se o papo estiver animado"

 
PEIXES...
 
"Homens e mulheres de Peixes são muito parecidos em várias características, no entanto, os homens agem unindo algumas características de seu signo oposto, Virgem - especialmente no trabalho. Costumam ser mais práticos do que as românticas piscianas, principalmente no amor. Sabem que, no fundo, carregam esse extremo romantismo e não gostam nem de pensar na possibilidade de se desmanchar e sofrer por causa de um amor. Eles bem sabem que isso pode acontecer, o que mostra que o perfil prático é apenas uma defesa que encontraram para conseguir enfrentar a vida e suas dificuldades. Na cama, eles conseguem ser os mais românticos dos homens, assim como as mulheres desse signo. Ambos possuem uma sensualidade sutil e delicada, que conquistam qualquer mortal"
 
 
Fonte: Terra

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Sexta pra que te quero!

Uma única verdade: estou dormindo tarde demais e acordando cedo demais. Resultado: uma pessoa mau humorada, rabugenta com olheiras enormes e sem paciencia!
 
Hoje quando cheguei ao trabalho e vi minha mesa entulhada de coisas por fazer, suspirei longamente.. e "é melhor assim".
 
É melhor estar focada no trabalho, isso afasta minha mente do que não adianta ficar pensando. Já passei da fase do encanto, já acostumei com a "ideia". Então vou levando e me deixando levar. Até quando? Não sei.
 
Já planejei. Agora é só ir dando passos de formiguinha. Eu chego lá. Devagar e sempre. E a tarde passou rápido. A mesa continua cheia, mas amanhã é SEXTA! E a ele dedico meus pensamentos nos momentos de solidão, então que venha a sexta e mais trabalho...

Nate Ruess

Tinha que ser pisciano. Gatíssimo. Ops... nem que todo pisciano é gato, mas é pela sua voz macia..Ops... nem todo pisciano tem voz macia... Ahh deixa pra lá!








Pra todos os estilos...













Gostos e sabores...




 
Casa, comida e roupa lavada.
Topa?
rsrs*

(Ah.. se eu tivesse uns milhões para um show particular...)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Cara ou coroa...

Uma das mulheres que em tempo livre vão conversar comigo enquanto eu trabalho, é uma senhora, aparenta ter mais idade do que realmente tem, foi casada a muitos anos, o marido não a suportou por mais de 3 anos, não teve filhos e mora sozinha com a mãe que imagino ser uma senhorinha bem senhorinha.
 
A função da vida dela é reclamar da vida, entendo agora por que o marido não a suportou, tem mania de perseguição, acredita que todo mundo odeia ela e é para piorar vive em função da igreja.
 
Já faz algum tempo que ela vinha comentar sobre um senhor bonitão, segundo ela estilo Roberto Justus que ela estava a paquerar na igreja. Bom, hoje ela veio contar pra mim toda desiludida que ele apareceu por lá com uma mocinha toda bonitinha, mas como ela tem a boca grande e saiu contando pra todo mundo isso virou piada.
 
Na mesa do café, o assunto rendeu. A "chefa superiora" não se conteve, afinal é amiga dela há anos...
 
"-Olha I. nem eu ele ia querer, imagina vc"
 
Achei meio pesado, por que ela se acha a bonitona do pedaço, coisa que nem é, acho que devo ter olhado meio estranho pra ela..e..
 
"Nem a Lu...ele ia querer".
 
Encaro com um elogio? ... ou será que nem pra velhinho to servindo mais..rsrs.
 
Apesar da ironia, não gostei da brincadeira sem graça, com certeza ela se sentiu humilhada, mas acho que não está sofrendo tanto assim, afinal ela me confessou é que gosta de um garotão e não se importa em trocar as fraldas!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Parecido com capacete, mas não é...

A mais ou menos um mês atras fui comunicada pela professora da Lígia que ela andava a dizer "palavras feias" e uma delas era "cacete" (ela só tem 1 ano e 7 meses, mas já fala bem declarado as palavras que consegue repetir, já memoriza a maioria, agora começou a formar pequenas frases).
 
 Cheguei em casa e falei com Saponildo que ele deveria ter mais cuidado com o que falava, principalmente quando está dirigindo, por que ela é não é mais uma esponjinha que só absorve, agora ela memoriza e depois fica repetindo e não sabe o significado do que fala. Ele ofendeu-se, disse que eu coloco tudo a culpa nele e que ele não tem o hábito de dizer "cacete"e jurou de pé junto que isso ela não aprendeu com ele, pois bem, eu sei que ele fala, só precisava aparecer uma oportunidade que ele se descuidasse.
 
Agora a noite na mesa....
 
Saponildo derrama café..
 
"- Cacete! Filho da p...!
 
Olho com desaprovação e aceno pra ele apontando a Lígia, ela com aquele sorrisinho sapeca achando a maior graça.
 
E eu não podia perder a oportunidade..
 
"Então você afirma que não foi contigo que ela aprende essas coisas!?"
 
Como sempre, ele acha uma saída...
 
"Lígia, cacete é parecido com capacete, mas não é a mesma coisa, ok?"
 
Fui obrigada a rir...

domingo, 19 de outubro de 2014

Sempre ela..P!nk

Se tem uma cantora que me identifico é com ela, suas músicas dizem o que eu gostaria de falar ou de ouvir...

Who knew

 

 
 [...]Você pegou minha mão, você me mostrou como
Você me prometeu que ficaria por perto
  Eu peguei as suas palavras e eu acreditei
Em tudo que você me disse...
 


Please don't leave me
 



[...]Eu sempre digo como eu não preciso de você
Mas sempre vai voltar pra isso
Por favor, não me deixe


Just give me a reason




[...]Apenas me dê uma razão
Apenas um pouco é o suficiente
Espera ai, nós não estamos quebrados, somente fora do eixo
E nós podemos aprender a amar novamente
Está nas estrelas
Tem sido escrito nas cicatrizes em nossos corações
Nós não estamos quebrados, somente fora do eixo
E nós podemos aprender a amar novamente 

1 hora e meia pro norte...

Bom, teve um tempo que eu quis muito, mas não tive coragem. Queria ter a coragem dele.. mas não tenho.
 
Ando as lutas internas, confusa emocionalmente, não tão quanto antes.
 
Agora estou a trabalhar isso em mim. Semana que passou fui fazer rematricula de minha pequena na escola, ano que vem o dia todo, preciso trabalhar mais (pra me afastar mais) ou cuidar mais de mim, ter mais tempo pra mim. Como disse a diretora "você não tem que dar satisfação da tua vida pra ninguém, vai ser bom pra ela". Assim espero como também espero não me remoer em culpa.
 
Ando a fazer planos e metas. Já iniciei com o Caixa 2, não se pode ir muito longe sem dinheiro. Não é a falta dele, mas é usar sem dar explicações. Até algum tempo não me importava, conta conjunta, tudo junto e misturado, gasto bem menos do que ganho.
 
Minha cabeça anda longe, ando distraída e sem paciencia. Ansiosa. Mas o rítmo de final de ano não me deixa cair. Logo vem as férias, é o que penso nas noites de insônia. Depois das férias, novamente trabalho e por fim as férias de inverno, tão ou mais desejada que as de verão. Vai passar rapido eu sei e ninguém precisa saber...
 
Mas eu preciso me sentir viva novamente, preciso muito.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

De onde eu vim...

Segundo a metereologia no momento é de 21C. Está uma noite agradavel, mas o dia foi bem abafado. Gosto do clima daqui, parece que as estações do ano realmente existem, nao gostava do clima de BC, apesar de serem cidades vizinhas, lá é bem mais quente.
 
Não gosto de calor, está ai outra coisa que detesto. Simplesmente por que nao se pode fazer muita coisa para "não sentir calor", as opções sao ar, ventilador, pouca roupa. Já o frio... tem as melhores, um bom chocolate quente, vinho, quanto mais roupa maior a sensação de aquecimento, pular, dançar.
 
Tá, tirar a roupa pra tomar banho no inverno, é cruel, é uma prova de coragem, não se pode pensar muito, tira e se joga no chuveiro, só na correria ja aquece o corpo. No calor tem pernilongo, que picam e me deixa toda embolada. Não conseguir dormir com calor, lençol que gruda no corpo, sair do banho ja se sentindo suada. O frio por si só pra mim é mágico.
 
Se eu ficar descrevendo pros e contra faria listas infinitas, mas a minha pessoa combina mais com o frio, mas casei com um "sapo abafado". Olha... é um homem calorento, acho que se ele realmente pudesse andaria só de bermuda e chinelo de dedo. É uma das muitas diferenças (abismo) que existe entre nós. Eu sou friorenta, é só uma brisa passar que já estou a me enrolar em mantas.
 
Esse ano, o verão aqui, foi de um calor quase em nivel insuportavel, a conversa em todos os lugares "nem o ar estava dando conta". Não mesmo. Dia e noite ligado e mesmo assim ainda sentia o bafo que vinha la da rua, mas la por final de março já dava pra dormir ao natural, prefiro assim, Sr. Saponildo não, no maximo o ar tem que estar em 18C, e eu a passar frio nas madrugadas. Aumentava, ele acorda e diminuia e as brigas no meio da noite. Ambos viemos de terras frias, que eu tenho tanta saudade...
 
Ir para a escola com as poças de agua congeladas pela geada. Ir pulando nelas pra quebrar o gelo. Ficar lagarteando no sol, tinha coisa melhor? Pinhão na chapa do fogão a lenha. Melhor, pinhão de qualquer jeito. O cheiro da laranja, inverno pra mim tem cheiro de laranja e bergamota que onde a gente vai carrega junto. Nostalgia presente. Inverno é lembrar da minha infancia e adolescencia, naquela cidade da serra gaucha em que nasci. Todo o inverno a espera da neve, tive a oportunidade de ver a beleza e a tristeza de um dia de neve e mesmo assim a minha mãe dizendo "vai pra catequese sim, a vida nao parou pq esta nevando!"
 
Lembro de dias muitos frios, os dedos doerem, voltar correndo da escola, pq sabia que tinha um fogão a lenha quentinho me esperando, o prazer de aquecer as mãos. A gente que viveu tudo isso aprende a conviver e a gostar do frio. Nasci naquela cidade que quando fazia 24C no verão era de um calor insuportavel.
 
Eu entendo quem tem essa aversao, afinal o que seria do branco se todos gostasse do preto, e acredito que seja algo pessoal, fisiologico mesmo, que nao tem nada haver com adaptação ao clima, pois casei com um sapo que também veio de uma cidade fria, só não sei como sobrevivia e jurou de pés juntos que na minha cidade natal, e até hoje cumpre que nunca mais colocará os pés la no inverno, o frio ele até suportava, mas o desgraçado daquele vento, que assobia no canto da casa ele nao suportava, falei no ouvido dele "meu amor, te apresento o minuano, que só tem na terra em que eu nasci". 
 
Post programado.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Amores que não deram certo VI

Aconteceu a tanto tempo, pensei muito se devia encaixa-lo nessa categoria, mas acho que ele merece um espaço aqui, assim como teve um espaço em minha vida.

Conheci Andre, de uma forma que se eu contar ninguém acredita! Voltanto a tanto tempo atras, uns 10 anos ou mais... já namorava *Amores que não deram certo V* Na verdade a nossa história esteva muito entrelaçada a essa.

Era sábado a tarde, apenas queria dar uma lição no outro que sempre me deixava esperando na internet, resolvi fazer outras coisas naquele dia. Tédio total, a menina que me morava comigo estava a me incomodar pra eu ligar para algum amigo pra ver se alguém deles poderiam vir desentopir a caixa de gordura, pois nao tinhamos grana pra pagar o conserto.

Liga pra um, liga pra outro. Ninguem podia afinal era sabado. Desisti e o que era algo serio virou uma brincadeira de quem nao tinha o que fazer. Ligar pra qualquer numero aleatorio e desenrolar uma conversa, com os criterios de que fosse homem com voz jovem e solteiro.

Tenho certeza que foi o destino, que quando disquei aqueles numeros, caiu na casa dele. Ele atendeu, conversa vai e conversa vem, falei o por que iniciei a brincadeira, que era pq precisavamos de alguem pra vir arrumar a caixa de gordura, ele que estava com um amigo em casa, prontamente se prontificou a nos ajudar, que era so dar o endereço. (Nem pensei no perigo, quando se é jovem demais não se pensa).

Não demorou muito um carro parou em frente a nossa casa, e dele saiu um baixo moreno e um alto, de oculos e cabelo loiro meio desengonçado. Queria saber quem era a Lucí, me identifiquei e fomos obrigados a rir da situação, pq eles disseram que não sabiam arrumar e resolver o nosso problema, mas gentilmente chamaram um encanador, alem de pagarem pelo serviço. No mesmo dia, combinamos de a noite ir em um bar que era bem conhecido pelo povo de nossa idade.

A noite, eu ja havia decidido que nao iria, sentia-me culpada, eu tinha namorado, era apaixonada por ele, e nao achava certo sair com outro mesmo que nao fosse pra fazer nada, quando eles chegaram comuniquei a minha decisão, que nao iria e pelo motivo, que nao achava certo. Minha amiga foi-se com o baixinho pro bar e Andre, decidiu me fazer companhia ate eles voltarem (novamente um perigo, nao se pensa!).

Conversamos, ele pediu pizza, se interessou em saber sobre o meu namorado "ausente" sábado a noite. O inicio de uma bonita amizade. Ele fazia gastronomia, pretendia ser chef de cozinha pra trabalhar em cruzeiro (e conseguiu)... Durante esse tempo, tive que me dividir entre um namorado, e um amigo bacana. Andre entendia que toda noite, a partir da meia noite, eu pertencia ao mundo virtual, assim como os sabados e domingos.

Eu lembra da gente e da saudades desse tempo, pelo amigo que perdi. Da gente sentado no corredor da faculdade fazendo fofoca. Dele me ligar no final da tarde e me mandar correr se eu quisesse participar da degustação (ele fazia faculdade a tarde e no final da aula, tudo que eles faziam eles podiam convidar alguem pra comer). La estava eu... a especulação de que fossemos namorados era grande, mas sempre negavamos.

Foram momentos muito bons. Lembro e sinto falta das conversas, é o que faziamos de melhor, conversa na cantina, na biblioteca, na grama. Só pode ser coisa de outra vida, duas pessoas que eram completamente estranhas, terem criado tamanha afinidade. Ele, nascido em Rio Grande do Norte, com um sotaque fofo demais, educado, gentil e sempre me respeitou, eu tinha certeza que pra ele eu era uma amiga.

Mas meu inferno em vida ia começar, junto com os problemas que eu enfrentava em meu relacionamento, nao foi uma, nem duas, foram varias as vezes que ele acolhia meus choros, fazia de tudo para me alegrar, que estava ali presente. Nessa época fui alertada por minha colega de que ele estava apaixonado por mim e eu devia pensar bem no que fazer se um dia ele viesse se declarar. Me senti mal, disse a ela, que nao era verdade, que era somente meu amigo, mas ela pediu que eu observasse as atitudes dele.

Sim, eu observei. Todas as vezes que por algum motivo com o outro me desentendia ele se aproximava mais, ficava mais presente (eu achava que era pq ele queria me dar apoio, inocente eu). Ele saia da aula, ia em minha casa pra me levar pra aula, ficava por la e voltava comigo, fazia janta, dormia no sofá, assim como eu tambem por vezes dormi no apartamento dele, em outro quarto, ele ame ajudava com meus trabalhos e eu ajudava a fazer os dele. Teve uma epoca que ate financeiramente ele me acolheu, na minha santa inocencia, era somente amizade que ele sentia por mim. Mas as coisas estavam ficando mais escancarada, a cada briga com o outro... ele se aproximava mais..

Certa vez,  a mochila dele estava em cima da mesa, fui guardar uns livros para tira-la de la, e enxergo dentro um CD com meu nome "Lucí" na capa bem grande. Perguntei a ele, se o cd era meu e ele disse que nao. Nao satisfeita, perguntei pra ele pq tinha o meu nome. Ele me disse que eram musicas. Fiquei toda contentinha se era pra mim e ele disse que nao, que era dele. A inocente ainda nao tinha entendido e quis saber pq ele tinha um CD com musicas e meu nome.. e ele foi categorico, que eram musicas pra pensar em mim. Pela primeira vez ele nao se escondeu eu fiquei totalmente constrangida.

Esse episodio como outros que seguiram, refletiram na minha relação com ele e justamente na epoca que o meu namoro estava passando por uma crise. Ele ainda me acolhia, mas eu ja sabia dos sentimentos dele, ele nunca havia declarado, mas cada vez estava mais claro ele nao conseguia esconder e passou a cansar dos meus choros, da minha opção em sofrer, como ele dizia.

Terminou meu namoro. Chorei uma semana sozinha.  Lembro bem, estava deitada na cama, ja tinha me esgotado de chorar, lembrei dele, que por aqueles dias esteve ausente, que nao me ligava mais com a mesma frequencia e nem era tao presente, eu sabia que ele trabalhava, estudava, mas sabia que ja estava perdendo o amigo, e por que nao? Com certeza que se ele tivesse uma chance ia me tratar com uma princesa e jamais me faria chorar, foi assim que pensei..

E num impeto, corro para o telefone, nem reparei que era quase meia noite, mas eu precisava perguntar isso a ele. Ele atende do outro lado, com voz de quem estava dormindo, perguntei a ele se podia ir la. Ele ja nem tao paciente, meio ironico, perguntando se o outro tinha me largado e que era tarde e ele trabalhava cedo, eu disse que mesmo assim eu precisava falar com ele. Disse que ia pegar um moto taxi.em outros tempo ele ia se oferecer pra ir me buscar..ele so respondeu que ia aguardar.

Quando cheguei no predio, o porteiro disse que poderia subir que ele me aguardava, quando sai do elevador a porta do apartamento dele estava entreaberta, logo avistei ele encostado no sofá, sem camisa, sem oculos, olhando a chuva, pela primeira vez eu o vi como homem. Quando ele me viu entrar, tirando o casaco que me protegia da garoa, que se tornou uma chuva intermitente, ele me perguntou o que seria de tao importante assim, que nao podia esperar outro dia.

"Vc jamais me faria chorar...?" Ele me puxou pra si, respondeu com um beijo e ali eu nao resisti mais e deixei me conduzir pelo resto da noite. E como foi bom, sexualmente falando foi a vez que fui mais bem tratada em todos os tempos. Pelo menos aquela noite eu nao chorei. Estava tao cansada emocionalmente, que o calor da cama me embalou naquela noite fria de inverno chuvoso, nem o vi saindo pra trabalhar. Acordei algumas vezes durante o dia, levantei tomei banho, comi e voltei a dormir, estava anestesiada, nao conseguia chorar apesar da dor forte no peito.

Estava dormindo, quando ele chegou, já era noite.. acordei com o barulho na porta, ele largando as chaves na mesa, entrando no quarto, largando a mochila, ouvi ele tirando a roupa e o barulho do chuveiro ligado, fingi que dormia, ja estava arrependida. Mas eu ainda estava ali e ele ia me procurar com a mesma paixao da noite anterior, eu nao tinha como fugir...e com ele eu conseguia esquecer um pouco da vida.
 
Na manhã seguinte acordei melhor, ainda chuvia, ele saia muito cedo. O calor daquela cama, que cama gostosa, macia, cheirosa, dormiria la pra sempre. O outro que nao me saia da cabeça, do coração. Ele voltou mais cedo, eu ja estava acordada, disse a ele que estava na hora de eu voltar pra casa, precisava das minhas coisas, ele disse que ia comigo que era pra ter certeza que eu ia voltar, ele queria que eu fosse morar ali com ele, me neguei, ele ja estava a fazer planos, na semana seguinte entrariamos em ferias, ele queria ir pro RN e eu queria ir pro RS, ele queria que eu fosse na casa dele, conhecer seus pais, conhecer a sua terra. Fiquei preocupada, nao era isso o que eu queria.

E iniciou-se uma discussao. Eu ja estava sensivel demais. Ele foi injusto, disse coisas horriveis, que se eu nao queria um compromisso com ele é pq queria apenas usa-lo, que assim que o outro aparecesse eu ia correr pra ele, que eu gostava de cara assim, gostava de ser maltratada, foi muito grosseiro e eu saí chorando, chamei o elevador, ele foi atras de mim, o elevador ia demorar decidi descer as escadas, e ele me fez uma pergunta que eu o deixei sem resposta "Por que mulheres como eu não se apaixonavam por caras como ele". E eu "Vc disse que nunca me faria chorar" e pedi que nunca mais ele me procurasse.
 
Pedido feito, pedido realizado e ele nunca mais me procurou. Viagei, virei as costas pra tudo aquilo que me fazia sofrer e renasci e nunca mais o vi, nunca mais o procurei é como se ele nunca tivesse existido. Vivi minha vida.
 
Alguns anos eu tive sonhos repetidos, cenas com chuva e um apartamento especifico, era como minha mente tivesse resgatando, eu ficava pensando se eu conhecia aquele lugar do sonho, mas ao mesmo tempo eu nao lembrava. Só relembrei apos reencontra-lo, era o apartamento dele, antigo, cortidas pesadas, masculino e ate a mesa de madeira redonda da sala.
 
Reencontrei-o em outubro do ano passado, (e no fundo da bolsa) estava eu comprando algumas coisas no mercado publico e ele estava no mesmo lugar, ele pegou a Lígia no colo e me deu um cartão, perguntou se eu usava o mesmo email, eu poderia ter dito que nao, mas disse que sim. Ele me escreveu com a mesma pergunta que eu não respondi aquele dia.
 
Ele virou chef de cozinha, viajou meio mundo, trabalhou em cruzeiros e agora tem um restaurante na beira rio. Enquanto eu também segui minha vida, casei, formei familia. E depois do reencontro senti falta do amigo perdido. Encontrei o outras vezes pra conversar, mas nao sou mais a inocente e nao acredito que ele nutra essa amizade por mim, a certeza veio no convite em que ele dizia que aquele apartamento estava sem morador. Ententi, recusei e a vida continua.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

...

Os dias não estão faceis, não mesmo.
 
Em um dia desses da semana...
 
(...)
 
- O que anda acontecendo contigo? (uma pergunta irônica diante do meu silencio)
- Tu sabe o que anda acontecendo... (pergunta idiota tolerancia zero)
- Não sei, me diz o que é.. (se fazendo, ou uma esperança..)
 
- Não dá mais, tu sabe disso!
 
E mais silêncio.. Quando penso que não vou precisar ficar me explicando..
 
- Não dá mais, por que tu não quer!
 
Apenas um sinal positivo com a cabeça e mais silencio.
 
(...)

terça-feira, 14 de outubro de 2014

?

[...]

-Por que não se veste? - Indagou ele confuso e consumido pelo desejo. -Não fica bem você posar nua na frente de um homem casado.
 
-Sou casada também. Mas hoje, nós dois somos marido e mulher.
 
Ele não resistiu. Puxou-a para si e beijou-a ardentemente, deitando-a sobre o tapete felpudo que encobria todo o chão. Com uma quase selvageria, amaram-se por toda a noite. Renato estava impressionado com a volúpia daquela mulher, tão diferente de sua doce e meiga Carminha. Lorena por sua vez, gostava de experimentar coisas novas, e aquela não era a primeira vez que traía o marido.
 
Quando terminaram, ambos estavam exaustos e saciados. Renato nunca havia esperimentado sexo daquela maneira com a esposa, e Lorena não se satisfazia com o jeito afavel e pouco agressivo de Gílson. Renato a principio, se mostrara tímido e recatado, mas, à medida que ela o provocava ele ia respondendo com uma intensidade ousada e animal.

[...]

Trecho do livro "Gêmeas: não se separa o que a vida juntou - Mônica de Castro" pg. 164

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Ainda sobre brincos..

Pois é, quando não se tem nada mais interessante para fazer domingo a tarde, eu arrumo jóias. Minha pequena tirava o cochilo dos anjos, eu "ocupada" em organizar meus brincos, perdida em meus pensamentos.
 
Pensei em como nos últimos meses eu tenho gastado dinheiro com isso e que deve ter alguma explicação para essa minha fuga, eu sempre amei brincos, com o tempo desenvolvi uma segunda paixão por aneis, mas agora a coisa anda demais.
 
Nem sei se já escrevi por aqui, já escrevi tanta coisa que ja nem lembro mais.
 
Tive uma madrinha, sobrinha de meu pai, ela e o marido tinham uma joalheria na "capital" e de tempos em tempos eles levavam pro pessoal do interior um mostruario para vender. Meu pai gostava muito dela, para ajuda-la, ele sempre comprava as jóias dela para eu e minha mae, eu sempre podia escolher alguma coisa para mim, sempre escolhia brincos.
 
Guardava-os com o maior carinho e cuidado, sabia do valor, mas na minha adolescencia foram roubados do meu quarto, guardava em uma caixa, levaram com caixa e tudo, nunca descobri quem foi, infelizmente a pessoa que levou não sabia o valor sentimental que eu tinha por aqueles brincos.
 
Voltando aos meus pensamentos, enquanto eu organizava as minhas coisas, deparo-me com um brinco de argolas douradas. Se tem uma coisa que eu ODEIO, são brincos de argola, de qualquer tamanho, material. Não combina comigo. Eles estavam por ali, pq havia comprado para dar pra uma pessoa querida, mas nao a vi mais e acabei guardando, já separei pra dar pra alguem que goste.
 
E voltei a olhar o "falso rubi". Doeu tanto, fico com raiva e fico tentando lembrar quem poderia ter roubado meus brincos, com certeza era uma pessoa muito intima e que tinha acesso ao meu quarto. Do que adianta remoer agora, só me resta comprar..comprar..e comprar..quem sabe assim eu preencho esse vazio do peito!