domingo, 31 de outubro de 2010

Feriadão

Hoje resolvi assistir ao Tropa de Elite 2. E não me decepcionei. Achei extraordinário, show de bola, fascinante a forma como foi abordada a política no filme. Tentando explicar o emaranhado de maracutaia e corrupção que forma o nosso país. E como quem quer mudar, acaba sendo mudado ou excluído (o caso do filme) do sistema.

Obra prima nacional. Excelente filme! Assim com o o primeiro, saí fascinado com o segundo. Sensacional!

Durante a sessão (iniciada as 18:10), meu telefone toca duas vezes: meu padrinho (Vereador e secretário de trânsito de uma cidade da região metropolitana de POA); olhei no relógio e eram 19 e posteriormente 19:45. Como ele é do PT (nós raramente discutimos política porque ele sabe minha posição partidária), imaginei do que se tratava, e tentei relaxar e curtir o final do filme.

Ainda na sala do cinema, ao final do filme, o celular toca denovo: minha mãe. Atendi. Perguntou se eu estava bem, se iria "aparecer por lá" (leia-se pousar lá) e se lamentou pelo resultado da eleição. Perguntei os percentuais e ela me falou, e ainda complementou me contando que obtivemos mais de 20% de abstenção.

Nada de errado, vivemos numa democracia. Já fora da sala, o padrinho denovo... Atendi, ele comemorando ainda (provavelmente em algum comitê) me convida para um churrasco de comemoração, afinal apesar de ser totalmente contra os métodos/sistema/ideologias do PT eu sempre o apoiei nas suas campanhas e conheço praticamente todo o pessoal da prefeitura. Agradeci o convite, parabenizei ele (afinal, vivemos numa democracia) e reclinei, vim para casa.

Com alguma coisa entalada na garganta (mentes poluídas...). Depois de ver o filme, receber a notícia de que uma mulher (mulher??) sem nenhuma experiência no executivo (a experiência mais próxima dela foi como secretária de finanças de POA e largou a prefeitura quebrada) foi eleita por um legado de outro presidente.

Não serei hipócrita dizendo que a vida não melhorou. Melhorou, sim! E muito. Mas o que ninguém percebe é que, por exemplo, vocês só estão lendo este POST porque tem Internet, e só tem Internet porque as teles foram privatizadas um dia. Ou hoje pagariam ainda R$ 4 mil reais por uma linha telefônica e um serviço porco (os serviços ainda são ruins, pois as agências não regulam porra nenhuma, mas pelo menos HÁ O SERVIÇO). Melhorou porque houve um plano econômico favorável a evolução e crescimento do país.

Mas me indigno demais em saber que o povo a elegeu porque "a vida melhorou". Brasileiro não tem vergonha na cara. Não interessa se o governo rouba, mata, espiona. Se a vida melhorou, mantenham eles no poder. O resto que se foda!

Cada povo tem os governantes que merecem. E é por isso que vivemos num país de terceiro mundo.

Já falei demais em política aqui e tenho quase certeza de que vou tomar um puxão de orelha de tia Lucí. Mas tava entalado...

Grande beijo a todos e um ótimo início de semana!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

quietinha?

Minha falta ou sobra de concentração é um grande problema para mim. Ou eu tenho pouca ou quase nenhuma ou eu entro em um estado de "hipnose".

Geralmente quando eu preciso ler algo (que nao goste, mas sou obrigada) tudo me incomoda, é o barulho, é o vento na cortina, é claridade que é pouca ou demais, o conforto do lugar.

O contrário acontece quando estou fazendo alguma atividade que eu goste muito, algum assunto interessante no computador por exemplo, algum livro que está me envolvendo, eu simplesmente não consigo desviar a minha atenção, é como se eu me perdesse, geralmente eu escuto tudo a minha volta, mas nada me incomoda e quando estou nesses momentos, quem convive comigo sabe que não adianta falar comigo, por que eu não vou responder, e tem gente que anda se aproveitando dessa particularidade minha.

Ontem a noite após a janta, fui terminar uns desenhos que estavam inacabados e apesar de ser uma atividade obrigatória a se fazer, eu sinto muito prazer em ilustrar, reuni o material e comecei, estava me deliciando com o resultado e entrei no estado hipnotico.

Saponildo se aproxima da mesa, puxa a cadeira e começa a falar, falar....falar..falar... e eu ouvindo, mas por mais que eu queira é mais forte do que eu, eu nao consigo falar, é como se eu ficasse muda.

Ai ele começa, olha.. esse final de semana eu vou trabalhar e etc.. e tals... e eu ouvindo.

Ele sai, vai pro quarto ver tv.

Depois de quase meia hora eu termino o que estava fazendo e grito:

"-Eu não quero que você trabalhe esse final de semana!".

Ele da um pulo da cama e sai todo abobalhado... "mas vc concordou!".

Eu:

"Não querido! Não é por que eu estou quietinha que eu estou concordando!

No fim, isso ainda deu boas risadas e virou o bordão da vez!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Instinto de defesa

Sepre fui/ sou o tipo cai cai. Não é bem a palavra "tipo" que eu deveria usar, mas não encontro outra. Não que eu deseje ser destrambelhada e desastrada, é algo que foge do meu controle.

Apesar de ser assim, minhas quedas nunca me trouxeram grandes prejuizos, acho que de tanto se bater, cair a gente aprende a "cair" direito, além do grande desenvolvimento do reflexo.

Posso até cair, mas nunca machuquei meu rosto, sempre tento me proteger, então o que vai primeiro? mãos e pernas.

Ontem na volta do trabalho, saponildo e eu passamos na padaria, na saída, subo na moto ele liga (e só depois percebe que estava muito em cima de outro carro estacionado), foi manobrar a moto, e adivinhem? O sujeito meio que se desequilibrou. Eu instintivamente coloquei meu pé no chão, não pensei na hora que isso ia atrapalhar mais ainda, e se deu pra eu colocar o pé no chão de uma moto alta, é que estavamos praticamente no chão.

Resultado, xingamentos da padaria até em casa. Eu irritada por que ele nao se liga nas coisas, e ele dizendo que qualquer dias desses a gente cai, por que eu pareço uma minhoca no sol.

É nato do ser humano o instinto de defesa, eu não pensei, eu tentei apenas me equilibrar, machuquei minha perna, por que foi algo brusco.

Reflexo é reflexo, é um ato impensado, ou se tem ou não se tem, e faz muita falta quando falha.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Macacões

Ontem eu vi uma menininha de macacão de veludo vermelho e imediatamente lembrei do meu primeiro macacão vermelho de veludo, o meu tinha um coelho branco bordado no bolso.

Qual a menina que nunca teve um macacão de veludo vermelho? Acho que todas, é um clássico. Um clássico antigo, lógico. Por que as meninas atuais tem tanta disponibilidade de modelitos e cores que talvez nem saibam do que eu falo.

Usei muito aquele macacão. Minha mãe era do tempo que comprava-se roupa grande para durar, e isso gerava um problema, as vezes era tão grande que nem dava pra usar, comprava de  um ano para usar no outro, as vezes calculava mal e esquecia e quando lembrava a peça de roupa nem servia mais.

Aprendi a gostar de macacões, assim como de jardineiras, são peças que fizeram parte da minha infância, mas que eu trouxe pra adolescencia e agora pra vida adulta (madura). São dificeis de encontrar.

Não me refiro aqueles modelos moderninhos, eu me refiro ao conforto, peça úcia, grande, macia. Não é  tipo de roupa que deixa a mulher feminina e nem que mostre suas curvas, mas eu AMO, tenho  4 no meu guarda-roupas, nao tenho mais, por que nao encontro do meu gosto, andei até pensando em mandar fazer um de veludo vermelho para o proximo inverno.

Tenho um que infelizmente eu nao sei o que aconteceu, ele nao fica mais tao folgado como antes e por isso perdeu o conforto "talvez" eu comi demais ou ele encolheu depois de 10 anos..rsrs, mas não pretendo me desfazer dele, ele tem histórias para contar e quem sabe algum dia alguma menina especial ainda use ele...

domingo, 24 de outubro de 2010

Lembrando...

Após conhecer alguns locais, segue a conversa e vem uma provocação:






- Duvido tu abrir o vidro e falar alguma coisa para aquela mulher caminhando.
Bzzzzz (e o vidro desce).

- Ainda receoso, deixei o vidro baixo e esperei por algo bem cabeludo, quando escuto...

- "Bom diaaaa!"
É...
P.s.: Aproveitando: se o meu amigo Zé é um ogro... perto do que ele faz, eu sou um verdadeiro neandertal \o/

sábado, 23 de outubro de 2010

...


Through The Rain - Mariah Carey (tradução)
 
Quando você fica preso na chuva
Sem lugar pra correr
Quando você está perturbado
e sozinho na dor
Quando continua chorando pra ser salvo
Mas ninguém vem
E você se sente tão longe
Que só não pode encontrar o caminho pra casa
Você pode chegar lá sozinho, Está tudo bem
O que você diz é

Eu posso fazê-lo pela chuva
Posso aguentar uma vez mais
Por mim mesma e eu sei
Que eu sou forte o bastante para cicatrizar.
E toda vez que eu sinto medo,
Me agarro firme à minha fé
E vivo mais um dia.
E eu faço pela chuva.

E se você continuar caindo
Não ouse desistir
Você vai se erguer, seguro e íntegro
Então permaneça inabalável
E você encontrará o que precisa para prevalecer
O que você diz é

E vivo mais um dia.
E Eu faço através da chuva.
E quando o vento soprar
E as sombras crescerem, se fecharem
Não tenha medo
Não há nada que você não possa encarar
E eles devem dizer à você
Que você não ultrapassará
Não se hesite,
Resista alto e diga
Eu posso fazê-lo pela chuva
Posso agüentar uma vez mais

♥ bom domingo...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Homem da casa?

É um daqueles desabafos bem desabafados, mais um da série "To cansada".

Tô cansada do saponildo. Não, não.. não quero me separar e nem quero um novo marido, eu só queria que ele tomasse chá de sumiço e depois voltasse numa versão atualizada. É pedir muito? Como isso é quase impossivel de acontecer, eu vou reclamar.

Desde que casei me dei por conta que eu era o homem da casa. Sim, aqui os papéis são invertidos. Ele cumpre com as funções dele de homem, trabalha e sustenta a mim e a casa, porém me refiro a "sensibilidade".

Tem mulher que vai gritar por aí que eu reclamo de barriga cheia, talvez eu reclame pelo simples prazer em reclamar, como ele mesmo diz pra mim "se você não encontrar um defeito, não é você!".

Imagina uma mulher tagarela, daquelas que fala, mais fala de verdade e não dá tempo nem de você dialogar, e não somente tagarela, mas também egocentrica, só fala dela e dos seus assuntos.. imaginou? Agora imagine tudo isso em um homem.. essa é a descrição de Sir Saponildo: um homem que fala pelos cotovelos, somente sobre ele, como foi o dia dele, o que ele fez.. etc..

A rotina nossa é quase sempre a mesma, temos uma hora de almoço juntos, dos quais ele descreve detalhadamente o que ele fez pela manhã e ainda fica querendo gerenciar meu tempo "anda rapido que tu vai se atrasar!" (odeio isso e geralmente eu respondo grosseiramente coisas como: cuida do teu relógio e ali já se começa uma discussão pela minha grosseria!).

A noite, é que anda o caos, ele vai me buscar no trabalho (ja de cara feia), jantamos, eu vou ler meu material da faculdade, ele joga um pouco no computador e geralmente ai que começa o problema O ser nao se toca que eu estou "LENDO" e quer ficar de papo, ou se vai ver TV, ele fica com aquele volume alto pro predio inteiro ouvir, ai se eu peço pra ele parar de falar ou baixar o volume, PRONTO, ai ele começa as reclamações:

1- Que eu vivo de cara feia.
2- Que eu fico doente quando ele chega em casa.
3- Que eu ando grossa.
4- Que eu trato ele pior que cachorro de rua. (expressao idiota, eu trato bem qualquer animal).
5- Que só com ele eu sou assim.

Geralmente eu deixo ele falando e reclamando sozinho, mas chega uma hora que vai acumulando, acumulando que eu explodo. Parece mulherzinha que fica reclamando o tempo todo. Antes da explosao eu tento me explicar (eu odeioooo dar explicações e ainda mais pra ele que vive comigo e sabe o que se passa!). Que eu nao ando de cara feia, eu ando ha duas semanas com uma dor de cabeça horrivel por que minhas lentes de contatos estao fracas e eu tenho forçado muito os olhos e que eu não fico doente quando ele chega em casa, geralmente eu ja antecipo a explicação para a reclamação da cara feia, dizendo que estou com dor de cabeça.

Em relação as minhas grosserias que são resultados de coisas que ele diz, ele que pense no que fala. E também não to afim de ficar me explicando se meu foco é reclamar do sujeito.

Na visão dele, é só ele que trabalha, é só ele que cansa! Eu passei sabado e domingo organizando a casa desde gavetas a faxina descomunal no banheiro, sim por que o belezinha deu de lavar o croc's no chuveiro, o box vira uma imundicia e quem limpa sou eu.

Nao tira nem o prato da mesa. Joga roupa pelos cantos. Cada café que toma é uma xícara e uma colher. Cada Coca que toma é um copo. A toalha geralmente fica jogada aqui na cadeira do computador. Sim é um homem das cavernas.

Nisso ele tinha que ser igual mulher, organizado. Ele ao menos nao reclama das bagunças, quando eu nao estou afim de organizar. Tá certo que uma vez ele tentou, mas a briga por isso foi tão horrenda que ele nunca mais ousou reclamar, eu nao sou empregada dele.

O que anda me irritando é essa sensibilidade toda, fala demais, cobra demais a minha atenção, sempre o coitadinho e quando eu me irrito é que da as brigas, como ontem.

Deixei ele reclamando sozinho, virei pro lado e dormi.

Sou ou não sou o homem da casa?

domingo, 17 de outubro de 2010

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

...


Popeye comia espinafre,
Eu como beterraba!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Eu disse...

No domingo da eleição, acordei e sai na sacada e levei aquele susto ao olhar a rua, sim estava tudo branco de santinhos e propagandas, choveu durante a noite e tinham candidatos se afogando nas poças dàgua.

Saponildo ainda comenta: "depois quem vai limpar tudo isso?"

Apostei com ele que na manhã seguinte os garis já estavam tudo limpando a sujeira dos outros.

Dito e feito.
Quando fui pegar o ônibus em frente a universidade, lá estavam eles varrendo e juntando toda a sujeira...

Como para isso a administração local foi rápida??

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Não quero mais...

A verdade é que eu não tenho mais paciência pra estudar e nem vontade. Sempre achei que seria uma eterna estudante, mas não, cheguei ao limite e também sempre critiquei aqueles que deixavam de estudar e não procuravam por isso.

Hoje posso dizer que faço parte desse time. Não é a faculdade, não é o curso, não é a turma. Comecei toda entusiasmada, mas agora não tenho a minima vontade de ler as tais apostilas, nem estudar.

O que sinto é que os assuntos se repetem, já estudei psicologia, sociologia e filosofia em alguma parte da minha vida e posso garantir que tudo continua na mesma, com seus Freuds, Marxs e Socrates nos seus devidos lugares.

Não perdi a vontade de aprender. Gosto de ler, gosto de aprender, mas o atual sistema educacional já nao me satisfaz. Professora boazinha que compreende tudo e dá excesso de liberdade para desculpas esfarrapadas, a agitação da galerinha mais jovem das quais eu não consigo nem rir junto pela reunião de idiotices que saem daquelas bocas.

Apostilas que tomam meu tempo, que não me permitem ser livre pra ler coisas que eu realmente gosto. Não importa os 10 que eu tiro em redação, se simplesmente eu já sei como alcança-los. Eu queria desafios!

Eu não quero mais estudar! Eu quero ser livre pra aprender o que eu julgo importante!

Mas vai a patroa saber de uma coisas dessas...

Sim, sou obrigada a estudar se quiser continuar empregada na área que escolhi, e bem provavel que vou ter que encarar uma pós, isso seria fácil era só terminar o outro curso que comecei, mas pra isso eu preciso muito mais que vontade de estudar, preciso de coragem.

sábado, 2 de outubro de 2010

Meme....

Vi esse meme no blog do Orlando Schlappkolh e resolvi responder descompromissadamente.

1. A que horas você se levantou hoje?
Ás 7:40. Sim eu acordo cedo todos os dias agora, culpa de uma cortina descente e de um canário que canta na árvore da frente.

2. Diamantes ou pérolas?
Eu diria Rubis.

3. Qual foi o último filme que você assistiu no cinema?
Faz tempo, acho que Crepusculo, depois perdi o encanto, estava tão motiva a ver Lua Nova e não pude ir.

5. O que você normalmente come no café da manhã?
Nada, não como pela manhã.

6. Qual o seu nome do meio?
Corrêa

7. Que comida você não gosta?
Qualquer coisa que venha da água e a maioria das carnes.

8. Qual o seu CD favorito no momento?
Eu nem escuto mais música por CD, eu escuto umas perdidas por aí..

9. Qual tipo de carro você dirige?
Nenhum. Além de não ter carteira e nem vontade de dirigir carros não ando com qualquer pessoa de carona, mas moto quem sabe próximo ano.

10. Qual seu sanduíche favorito?
Cacetinho com mortadela.

11. Qual característica você despreza?
Não digo desprezo, mas eu tenho muita dificuldade em conviver com pessoas introspectivas, não gosto de pessoas que ficam muito caladas perto de mim, me da ansiedade e eu acabo sempre falando demais.

12. Qual sua favorita peça de vestir?
Calça jeans, essa não pode faltar.

13. Para onde você iria de férias em qualquer lugar do mundo?
E agora? Nunca pensei nisso...mas tenho muita curiosidade em conhecer a Holanda.

14. Qual sua marca de roupa favorita?
Marca? rsrs. Não visto por marca, visto aquilo que fica confortável no corpo sem o peso do preço da marca..

15. Para onde você iria quando se aposentasse?
Acho que iria viajar com aquelas excursões da terceira idade...porém como todos dizem que eu vou ser uma velha ranzinza bem provavel que fique por casa cuidando dos meus gatos e se minha visao permitir, lendo alguns livros.

16. Qual foi seu aniversário mais memorável?
O único que tive festa, 6 anos.

17. Qual seu esporte favorito para assistir?
Ainda bem que é assistir.. mas nem de ver alguém praticando esporte eu gosto, mas gosto de acompanhar a patinação artistica, quando passa alguma coisa na tv, quase nunca.

18. Local mais longe que você está enviando isso?
Pro mundo todo, quem vai ler eu nao sei.

19. Pessoa que você espera que responda primeiro?
Nunca espero nada de ninguém...

20. Quando é o seu aniversário?
06 de fevereiro.

21. Você é uma pessoa do dia ou da noite?
Em função a vida em sociedade, trabalho e estudo.. eu sou obrigada a ser diurna, mas eu me sinto mais produtiva a noite, menos cansada, mais criativa.

22. Qual numeração do seu sapato?
36 com folga.

23. Animal de estimação?
Se eu pudesse teria um zoologico em minha casa, mas só tenho um gato, mas nao é de hoje que planejo a vida de mais um integrante para a minha casa, um jabuti. Já tentei peixes mas eles tem a vida curta demais.

24. Alguma nova excitante notícia que vc gostaria de compartilhar conosco?
Até teria, porém só é uma novidade interessante  pra mim.

25. Qual sua bebida/drink favorito?
Gosto de sucos a base de soja tbm Orlando ;). Porém de uma marca expecifica que começa com A.. e termina com des. Há muito tempo eu tomo dessa marca, mais de 7 anos.

26. Como você está hoje?
Com piriri e enjoo, por conta de uma alimentação errada durante a semana, mas vai passar.

27. Qual seu bombom (ou doce) favorito?
Uma pizza doce, sensação branca: morango, chocolate branco ...

28. Qual sua flor favorita?
Jasmin.

29. Por qual data no calendário você está esperando?
Por qualquer feriado que aponte no calendário.

30. Qual seu nome completo?
Jura? E o google? Não rola essa.

31. O que você está ouvindo agora?
Nada, meu estomago nao digere musica tão cedo.

32. Qual foi a última coisa que você comeu?
Pizza ontem a noite...

33. Você faz pedido para as estrelas?
Já fiz, e um se realizou tão perfeitamente que eu acredito em sorte no amor.

34. Se você fosse um lápis, que cor seria?
rsrs. Violeta.

35. Como está o clima agora?
Frio, nublado, choveu a noite toda e sem previsão de melhoras pra hoje.

36. Qual a cor natural do seu cabelo?
Castanhos.

37. Qual seu refrigerante preferido?
Não gosto de refrigerante, mas se é pra tomar eu tomo Fanta.

38. Qual seu restaurante favorito?
Um buffet que tenha bastante variedade de comida e não de carne.

39. Qual sua cor favorita de esmalte para unhas?
Os tons de vermelhos e marrons.

40. Qual foi seu brinquedo favorito quando criança?
Cara essa faz parte do meu passado negro, foi a Barbie.

41. Verão ou inverno?
Inverno. Comida quente, roupas mais bonitas, só é ruim pra tomar banho.

42. Abraços ou beijos?
Depende de quem dá o abraço e de quem dá o beijo, se não tiver intimidade não gosto que fiquem encostando em mim, tenho pavor daquela pessoa que nunca te viu na vida e ja vem pegando.

43. Chocolate ou baunilha (suspiro)?
Chocolate. Tenho problemas com suspiro. Comi tanto quando era criança, minha vó fazia e comi quente e passei muito mal uma vez, nunca mais comi suspiro.

44. Café ou chá?
Nenhum. Eu odeio café, o gosto, o cheiro, tudo. Chá lembra água suja, então que seja água.

45. Você quer que suas amigos respondam?
Quem se sentir a vontade, sim.

46. Quando foi a última vez que chorou?
Ainda essa semana, ao ver uma mulher desmaiando na emergencia de um hospital...

47. O que tem embaixo da sua cama?
Além de alguma poeira e brinquedinhos do Cascão, tenho placas de EVA que eu uso no trabalho, para nao amassarem.

48. O que você fez ontem à noite?
Cheguei do trabalho, dei uma olhada nos emails, tomei banho, comi e fui ver tv.

49. Do que você tem medo?
Medo de sofrer pra morrer.

50. Salgado ou doce?
Salgado. Folhados de palmito... hummmm

51. Quantas chaves há no seu chaveiro?
3, portão grande, portãozinho pequeno e porta.

52. Quantos anos no seu emprego atual?
rsrs, seria melhor meses.

53. Dia favorito da semana?
Domingo.

54. Em quantas cidades você já morou?
Em 5 cidades e 3 estados.

55. Você faz amizade com facilidade?
Não tenho dificuldades em aproximação, mas amizade é algo bem mais serio, tenho dificuldade em criar vinculos com as pessoas.

56. Para quantas pessoas você irá enviar isso?
Pra quem quiser ler...
57. Quantas responderão?
Poucas, pelo o que conheço de memes.


*Um bom final de semana*

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Vagabundo Confesso


Vagabundo Confesso - Dazaranha

Sou vagabundo eu confesso,
Da turma de 71 (2000)
Já rodei o mundo
E nunca pude encontrar
Lugar melhor para um vagabundo,
Que um rio à beira mar
Odoiá odofiaba salve minha mãe Iemanjá
Que foi que me deram pra levar
Pra dona Janaína que é sereia do mar
Pente de osso, laços e fitas
Pra dona Janaína que é moça bonita
Que é moça bonita

Café na cama eu gosto
Com um suco de laranja mamão
Iêêê e um fino em cima da mesa
Amanhã quando você,
Quando você for trabalhar
Tome cuidado
Que é pra não me acordar
Eu durmo tarde,
A noite é minha companheira
Salve o amor salve a amizade, a malandragem, a capoeira
É a capoeira


Essa música foi um hino quando eu comecei a faculdade. Ontem estava lembrando dessas coisas e o que desencadeou essas lembranças já não importa, mas tudo o que lembrei serviu para chegar a conclusão que não era aquele tipo de vida que eu queria levar, eu amadureci e minha vida mudou muito.Não que eu fosse imatura aos 18 anos, mas eu era bem mais inconsequente;

Morava com uma amiga, em 2000, mas nunca estavamos sós. Era uma pequena kitinet, que a gente brincava que nos contrariamos a lei da física em que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço, por que nosso micro apartamento de cozinha, banheiro e quarto sempre estava cheio de gente.

Não tinhamos rotina, nem pra dormir, pra comer, pra nada. Apenas ir pra aula, das 7 as 10 e fazer os trabalhos que nenhuma de nós tinha vontade. E essa nossa falta de rotina incomodava demais os vizinhos.

Depois da aula, tinhamos uns amigos que começavam a trabalhar as 2 da madrugada, que ficavam em nossa casa até esse horário, já na saída da aula, já iamos conversando o que iamos fazer pra comer, era uma discussão pro cardapio, outra pra quem ia sair pra comprar o que precisa, outra pra quem ia cozinhar, e lá iamos comer pelas 4 da madrugada.

Eram tempos sem internet, era só música e muita conversa. Sim tinha bebida. Tinha festa todo final de semana, mas ninguém tinha grana pra pagar as casas noturnas daqui, então faziamos a frente, ficamos a madrugada toda na frente dos lugares. Ver o sol nascer na beira da praia. Fazer as correrias com uma amiga que passava mal. Era a vidinha que levavamos.

Não me arrependo disso, as vezes eu penso que eu poderia ter aproveitado bem mais isso tudo, estudado, me esforçado, tivesse dormido, me alimentado bem, incomodado menos.

Lembro uma vez, que eu fiquei muito mal de uma gripe, eu tossia a noite toda, acho que as vezes até dormindo, e meu quarto fazia divisa com outra casa, uma tarde, a moradora do lado me trouxe limões e mel e disse que era pra eu fazer um chá. E precisou de uma coisa assim pra eu respeitar mais aquela gente.

Por que todas as noites ficavamos ouvindo musica ate tarde no meu quarto. E quando eles batiam na parede, nós cantavamos.. Sou vagabundo confesso ...

É o tipo de coisa que eu jamais voltaria a fazer hoje e vejo isso como uma grande falta de educação, até como um comportamento ridiculo. Não sei se estudar ajudou eu mudar meu comportamento, mas eu tenho certeza que viver, isso sim me fez aprender a conviver e respeitar os outros.