sábado, 23 de maio de 2015

dias de luta

Mais dias de lutas.
Mais dias de glória.
 
Só sabe o sabor da conquista quem tem coragem de ir dar a cara a tapa, quem tem coragem de lutar.
 
Já perdi a noção da conta de quantas semanas consecutivas de que eu entro e saio de batalhas, pessoais ou coletivas. Avisto um período de calmaria. Será?
 
Assim eu espero, pelo menos até as férias.
 
A última "peleja" me esgotou. Fisicamente falando. Foi dor nas costas, nos joelhos, nos ombros... de tanto esperar, sentar, levantar, andar, gritar. Emocionalmente bem mais sutil do que muitas que eu enfrento no meu dia a dia.
 
Valeu a pena? Valeu!!! Sempre vale.
 
E por favor.. agora eu preciso de um descanso!

"Sei
Não é nossa culpa
Nascemos já com uma bênção
Mas isso não é desculpa...."
 
(Até quando esperar- Plebe Rude)

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Sem perder a ternura...

 EU a vi, deitada e pálida, com os olhos longes como quem não deseja estar ali, as crianças corriam e brincavam ao redor dela e ela ali, caidinha.. apoiando a cabeça no "neném" .. sua companheira boneca de pano.
 
EU a olhava nos olhos, horas mais tarde, em uma emergência, enquanto um enfermeiro paciente procurava encontrar uma pequena e singela veia em seu braço.
 
EU que esperei por mais de uma hora, segurando sua mãozinha enquanto o soro pingava. Uma hora que pareceu uma eternidade. E ela dormiu assim, como um anjo, me olhando e segurando minha mão, sem entender nada, mas entendendo que não devia se mexer.
 
Assim como daquela vez, que junto chorei enquanto o médico fazia os pontos em sua testa em que ela gritava pela "mamãe".
 
EU...
 
E por EU, que por mais que o coração se despedace, mas sou EU que sou forte para dar o remédio, para dizer os nãos necessários.
 
E por ser EU, que a vi assim por tantas vezes.. que sou assim.
 
A vida não é como uma Coca gelada... e ela precisa saber disso.

Ass: "A General"...

domingo, 10 de maio de 2015

Recomeço...

Faz tanto tempo que não passo por aqui que acho que perdi o jeito. O dedo médio da mão direita cortado não está me ajudando, por incrível que pareça eu faço uso de todos os dedos pra digitar e por conta do incidente com meu dedo, tenho sobrecarregado o indicador.
 
A minha internet também não anda ajudando nem um pouco por essa semana, isso me faz lembrar que eu tenho que ligar lá pra reclamar, se é que isso vai resolver. Da última eu mandei cortar e contratei outra, andava cansada de tanto descaso, se eu pago pra uma ..posso pagar para outras. Simples assim. Ontem foi a tv, que caiu fora a tarde toda, justo num sábado que estava bom pra ver "qualquer coisa" e comer pipoca. Frio e chuva... ou tinha sol? Já não me recordo exatamente. Lígia está chocando um forte resfriado, que resultou em chocar em casa no final de semana.
 
As semanas que passaram foram caóticas. Surpresas que nem foram tão surpresas desagradáveis. A volta por cima, pelos lados e por todos os cantos. Fiquei em estado de esgotamento emocional. Ter que enfrentar jararacas e surucucus não é tarefa fácil, mas dei a ela uma pequena prova de seu próprio veneno. Foi bom pra ti querida?
 
Pra mim nem tanto. Todo o ocorrido me faz refletir o por que pra mim é tudo tão difícil? Parece que sempre estou lutando contra a maré. Que tenho que lutar por pequenas conquistas, que por merecimento já eram minhas.
 
Semana que recomeça. A boa filha a casa retorna. Voltarei a aquele lugar que coleciono afetos e desafetos, mas é meu por direito e agora ninguém tira. Sentirei saudades de algumas pessoas e outras não vou fingir que não me farão a mínima a falta e a reciproca é verdadeira.
 
Reassumir meu posto. Com todo o cuidado do mundo, afinal eu enfiei goela abaixo muita coisa em muita gente que não vai deixar barato, se antes eu observava as pessoas agora preciso calcular cada passo.