quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Cara ou coroa...

Uma das mulheres que em tempo livre vão conversar comigo enquanto eu trabalho, é uma senhora, aparenta ter mais idade do que realmente tem, foi casada a muitos anos, o marido não a suportou por mais de 3 anos, não teve filhos e mora sozinha com a mãe que imagino ser uma senhorinha bem senhorinha.
 
A função da vida dela é reclamar da vida, entendo agora por que o marido não a suportou, tem mania de perseguição, acredita que todo mundo odeia ela e é para piorar vive em função da igreja.
 
Já faz algum tempo que ela vinha comentar sobre um senhor bonitão, segundo ela estilo Roberto Justus que ela estava a paquerar na igreja. Bom, hoje ela veio contar pra mim toda desiludida que ele apareceu por lá com uma mocinha toda bonitinha, mas como ela tem a boca grande e saiu contando pra todo mundo isso virou piada.
 
Na mesa do café, o assunto rendeu. A "chefa superiora" não se conteve, afinal é amiga dela há anos...
 
"-Olha I. nem eu ele ia querer, imagina vc"
 
Achei meio pesado, por que ela se acha a bonitona do pedaço, coisa que nem é, acho que devo ter olhado meio estranho pra ela..e..
 
"Nem a Lu...ele ia querer".
 
Encaro com um elogio? ... ou será que nem pra velhinho to servindo mais..rsrs.
 
Apesar da ironia, não gostei da brincadeira sem graça, com certeza ela se sentiu humilhada, mas acho que não está sofrendo tanto assim, afinal ela me confessou é que gosta de um garotão e não se importa em trocar as fraldas!

Um comentário:

Asas Negras disse...

A Ju esta comigo desde que era menor que a palma da minha mão. Ela me perseguiu por um volta no quarteirão quando eu fazia caminhada de manhã. Isso foi há uns 6 anos. A ju muda como a lua. As vezes se comporta como um filhote que quer colo, as vezes como uma mamãe gata me olhando como se eu fosse um filhote, as vezes quer ser uma leoa e me defender de quem fale alto comigo. E a minha aprendiz, ela aparece de tempos em tempo. Sempre fazendo estragos, sempre trazendo o caos e sempre sumindo em alguns dias. Sempre quando estou sozinho...