domingo, 22 de fevereiro de 2015

Cheiro de cama...

Por esses dias ao me perguntarem por que eu levantava tão cedo para me organizar para ir pro trabalho, tentei explicar que além de eu ter uma filha para arrumar eu também preciso tomar banho.
 
A pessoa tentou argumentar comigo que eu devia tomar banho antes de dormir e eu expliquei a ela que eu tomava, mas mesmo assim eu precisava tomar banho antes de sair de casa. Camuflei a verdade, disse que era pra eu despertar, não quis ser indelicada.
 
Explico-me.
 
Além do banho ser estimulante pela manhã, eu preciso também por que eu sinto "cheiro de cama". Não, minha cama é super limpinha, mas eu sinto cheiro de cama. É como se a pele em repouso soltasse algum tipo de química que eu sinto e o pior não é só em mim, qualquer pessoa que se aproximar de mim no período matutino eu reconheço quem tomou ou não banho. Não adianta mascarar com perfume, cremes, o cheiro de cama é perceptível para o meu olfato.
 
Faz parte das minhas perolas.
 
O mesmo ocorre pra dormir, preciso tomar banho, é preciso estar com a pele limpa e fresca. O mesmo quando chego do trabalho, é preciso tirar o cheiro de rua que fica na pele. Não são banho demorados, é uma chuveirada, sabonete e deu. Mas é preciso, e não adianta tentar ficar explicando certas coisas para as pessoas, elas jamais vão entender.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Vícios despertados...

Ufa! Carnaval já passou...
 
Carnaval para mim foi sinônimo de descanso e feriado, aproveitei para comprar algumas bobagens que eu estava precisando e descobrir...
 
...descobrir que eu não estou curada do meu vício! Sim.. vicio!
 
Eu tenho alguns, principalmente relacionado a compras de "apetrechos femininos". Foi só entrar naquela loja de cosméticos que eu tive uma recaída depois de mais de dois anos. Na verdade eu entrei para comprar um alicate de cutícula e era somente isso, mas quando passo pela frente das prateleiras de esmaltes, meus olhos brilharam com a infinidade de cores que saltavam em meus olhos.
 
Comprei. Eu precisava muito daquele incolor cheio dos brilhinhos... precisava mesmo. Muito mesmo.
 
Não lembro da minha última compra de esmaltes, na verdade isso gerou uma discussão dentro de casa, do por que eu comprar tanto esmalte se eu trocava a cor apenas uma vez por semana. Realmente eu não preciso de tantos, na minha ultima contagem eu tinha mais de 60. O que muda de um ano para o outro além das modinhas, são os nomes, as cores permanecem as mesmas.
 
Mas dessa vez eu precisava. Precisava também do brinco dourado em forma de folha com as perolas. Precisava também das canetas coloridas e também precisava do duo de sombras...
 
O Carnaval sambou na minha cara e provou por A mais B que meus vícios estão todos em ativa e que eu preciso é de me policiar, por que tem muito mais vicio ainda adormecidos!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Por aqui...

Enquanto Lígia brincava com suas bonecas eu sentada no sofá via House, em um momento foi como se eu entrasse em outra dimensão e não estive exatamente ali, mentalizei a minha volta e minha mente fugiu, pensei em como todos os dias são praticamente iguais e a sensação que estão passando rápido demais.
 
Eu deito, durmo e acordo. Trabalho. Volto pra casa, trabalho mais um pouco. Janto. Banho na Lígia. Leio e durmo. O ciclo.. sempre o mesmo ciclo durante a semana. Tudo gira muito rápido, é como um piscar de olhos.
 
Fingir que está feliz ou fingir que não está. Sem preocupações ou procurando algo pra se preocupar. Tudo ocorre perfeitamente bem, uma engrenagem que está funcionando muito bem.
 
O que me falta?
 
Foi o que pensei enquanto eu voltava a realidade.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

"amor em minúscula"

Eu fiquei aqui me limitando, pensando se ia escrever sobre esse livro que terminei de ler.. devo? Não devo?
 
Devo. Porém nada do que eu escreva sobre ele vai ser tão delicado quanto ele mereça.
 
Ele veio junto com alguns livros que uma colega de trabalho me emprestou final de ano, segundo ela "leitura para as férias". Ela já sabendo da minha chatice critica pra leituras, que quase nada gosto, mas leio de tudo, julgou que eu gostaria de lê-lo por na historia ter um gatinho, ambas apaixonadas por gatos.
 
Bom, ela não errou. Eu amei o livro, não pela capa, não pelo gato, por que o gato entra e sai da historia com muita sutileza, é apenas um detalhe.. apesar que a sua chegada desencadeia varias outras historias.
 
Não é minha intenção aqui contar a historia, quem quiser que a leia, mas sim falar das minhas impressões sobre o livro. Muito bem escrito. Leve, inteligente. Capítulos curtos,  como se fossem pequenos contos. Não é uma historia trágica, cômica e nem nada. Apenas o professor solitário e muitas respostas em que o livro terminou e me deixou sem. Pensei em até reler, mas eu nunca releio um livro, mas a duvida... deve ter algum mistério nas entrelinhas que eu não descobri...
 
Onde foi parar Valdemar?

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Quem me dera...

"Ela falou: "Você tem medo."
Aí eu disse: "Quem tem medo é você."
Falamos o que não devia
Nunca ser dito por ninguém"

Hoje foi um dia que acordei com Renato na cabeça, só ele poderia traduzir de forma tão singela todas as emoções perdidas dentro de mim. Ouvi..ouvi..ouvi.. e cada trecho de música foi um abraço apertado, daqueles que a gente só da em velhos amigos.
 
Pois é meu velho amigo, já fiz 33 e novamente meu coração anda aos pulos. A vida corre como a do tal de João de Santo Cristo, obviamente com bem menos emoção mas com a mesma intensidade. O vento no litoral nem sempre vai levando tudo tão depressa.
 
Na verdade?
 
Não leva.
 
A resposta eu ficarei sem os por ques, na vida nem tudo deve ser explicado. Dizem que eu sou forte e sempre me levanto, em partes, eu apenas aceito as coisas mais facilmente, não é resignação é deixar de lutar contra a vida e essa falta de explicação das coisas obvias.
 
Procurei por meus fones, não achei.. queria que você cantasse para eu dormir, mas hoje a noite não tem luar.
 
Ou tem?
 
"Ela me disse
"Eu não sei
Mais o que eu sinto por você
Vamos dar um tempo
Um dia a gente se vê."
 
*Trechos da música Ainda é cedo - Legião Urbana

domingo, 1 de fevereiro de 2015

tudo novamente...



E vai recomeçar a nova temporada de cafés, intrigas e TPM's em grupo. Estou de alma limpa, esperando um retorno ao trabalho, melhor que o ano anterior, que foi meio traumatizante, então esse ano com certeza vai ser tudo de bom!
 
Espero mais realizações profissionais! Mais reconhecimento! Mais sorrisos e desafetos, por que isso faz parte!
 
Espero dormir de cansaço ou não dormir de tão cansada! Espero ser criticada, analisada para o meu crescimento!
 
As férias deus pra descansar, curtir minha casa, minha família, curtir o mar, o parque... agora vou curtir minha sala e minha falta de tempo.  Volta ao trabalho e a toda aquela rotina que eu amo!
 
Eu espero tanta coisa...

(infelizmente eu espero e amo tanta coisa em vão...)