quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Uma folha em branco...

Quando cheguei a folha em branco já estava em cima da minha mesa, nela continham os nomes dos funcionários, com espaços para cada um preencher com "ideias de locais" para a confraternização do final do ano. Torci o nariz, fiz caras e bocas e coloquei somente uma "AQUI MESMO", essa era a minha sugestão.
 
No momento pensei naquilo que seria melhor pra mim, não estou nem um pouco disposta a abraçar desafetos em lugares publicos, passar vergonha em pizzarias e restaurantes, quero mesmo é que as ferias chegue e eu não precise olhar pra cara de meia dúzia de gente, e já que sou obrigada a ir pro trabalho, então por que não unir o "inutil ao desagradavel". Pensei...
 
A unica coisa que nao saia da minha cabeça era o por que da folha em branco se eu somente chego a tarde, com certeza ja tinha rodado a manha toda e ninguem quis colocar nada? Pois é.
 
Na hora do café.. uma "puxa" o assunto, quase sem "querer querendo". E inicia-se uma discussão. Assim como eu, muitas seguiram o que eu coloquei por livre espontanea vontade. Eu ali, comendo o meu abacaxi, só observando. Gente mau educada, que não sabe conversar, cada qual queria vencer sua opinião no grito, e eu comendo e observando.
 
A minha opinião foi durante criticada, estavam massacrando um querida colega, que colocou o mesmo que eu, por vontade propria. A argumentação teve até que "salgadinho é coisa de pobre".
 
Terminei o meu doce abacaxi, as caras ja estavam zangadas e as massacradas (mais bem educadas), desistiram de argumentar, pois era impossivel argumentar com gente tão ignorante que queria valer sua opinião no grito.
 
Aproveitei a oportunidade que o silencio iniciava... e...
 
"Agora entendo o por que a folha chegou em branco na sala, todo mundo tinha uma opinião, mas ninguém teve coragem de se expor, por que se vcs ja tinham um local escolhido, por que diabos, passar uma lista pedindo a nossa opinião? Até pq eu entendo que no minimo deve-se respeitar a opiniao do proximo, e vencer a maioria. Se vcs queriam ir em uma pizzaria, entao apenas dessem a opção de 3 pizzarias. Agora se vcs ja haviam escolhido o local, o que deveria haver na folha era se a pessoa desejava ou nao ir.".
 
E virei as costas.
 
Mas a situação entrou em um ouvido e saiu no outro. Por mim.. o que me anoja é gente sem personalidade, em cima do muro, que fica se encolhendo, com medo de dizer o que pensa ou quem quer dominar sem argumentação, que nao sabe se expor, que fica gritando. ODEIO!
 
Eu saí ilesa e nem perdi o sono, mas amizades foram rompidas, pq tem gente que abre so a boca pra ofender, o poder nem sempre esta nas maos de quem merece!
 
Quase nunca... e outra.. se até na escolha pra a Presidencia de um país, existe a opção NULA, pq para uma festinha de final de ano "É obrigado a ir?".

2 comentários:

Rafael Leoni disse...

Eu simplesmente abomino confraternizações de fim de ano de empresa. Graças que onde trabalho isso foi abolido alguns anos. Havia um pessoal insuportável, aqueles moldados em cursos de motivação profissional, que soltam frases prontas o tempo todo, parecem anunciante da Renner: equipe azul liderança, positivo, parabéns,uhuuuu!!!! Sem paciência pra isso.

Quer confraternização? me de minha parte em dinheiro!

mas em contrapartida adoro festas de fim de ano com amigos...isso me diverte muito.

Obrigado pela visita no blog...abração e bom meio de semana...

Asas Negras disse...

É uma dança que precisa ser dançada. É politica. Não é sobre confraternizar. É sobre negociar. Sobre tentar fazer o próximo ano um pouco mais palatável. Inútil? Muitas vezes. Falsa. Sempre. Mas mentir descaradamente na cara um dos outros é chamado de diplomacia. E todo mundo prefere a diplomacia. Eu preferia uma grande espada meio cega, para causar mais dor, pena que o mundo mudou e minha opção não é mais a preferida...