sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Risos e inocência

Durante a semana...
 
Era final de tarde, passando no cruzamento de sempre, horário de pico... todo mundo sabe que ali precisa-se uma sinaleira, mas não tem, como também não se tem previsão de ter uma e a necessidade sempre existiu, mesmo assim insistem em colocar uma faixa de pedestres ali, como manda o manual e também vagas de estacionamentos para todos os lados e um cruzamento para todos os sentidos, horários e anti-horários e se os carros pudessem voar, com certeza também seria permitido. Resultado: um caos para atravessar ou virar para qualquer lado, e um mal necessário a ser encarado para ter acesso a alguns lugares que frequento.
 
E naquele, agora vai.. agora não vai. Vai dar para passar, não vai. Que vença o melhor, o mais corajoso, eu distraída olhava para o outro lado da rua, nem lembro o que pensava, sou "acordada", com uma conversa vindo do meu lado, de inicio achei que Saponildo estava dando alguma informação aquele senhor de bicicleta que quase pulava pra dentro da janela, mas não..foi só me inteirar da conversa que entendi..
 
"Vai, pula por cima!"
(Saponildo fazia gestos com o braço e dedo, entre outros xingamentos pesados).
 
Virei a cara pro lado, morta de vergonha, o carro atrás já buzinava... Lígia só de butuca na discussão..
 
"Pelo amor de Deus, você estava errado e ainda discutindo com ele, você estava em cima da faixa de pedestres".
 
O senhorzinho, atravessa a frente xingando e continua o caminho dele de bicicleta...
 
Uma voz curiosa veio de tras..
 
"Papai, papai!? Por que o titio não quis pular?
 
(....longas gargalhadas!)

domingo, 25 de outubro de 2015

Sol, volte!

As pessoas a minha voltam acham que eu estou com problemas quando eu ando mau criada. Não é verdade, estou com problemas internos quando eu ando quieta, quando eu deixo as coisas passarem sem dar uma resposta a altura, quando eu engulo um sapo sem azeite de oliva extra virgem.
 
São os fantasmas que vem visitar minha cabeça que me deixam de boca fechada e mente inquieta e cheia dos meus silêncios, sem a vontade de reagir que me é tão peculiar.
 
Algum tempo atrás eu procurei uma psicóloga, irmã de uma pessoa muito querida. Não preciso mencionar que minha tentativa não deu muito certo. Ela queria que eu falasse de coisas que eu não quero falar, não quero escrever, que eu apenas queria esquecer, fingir que não aconteceu, desnecessário pagar alguém pra fuçaricar nas minhas feridas. Ela disse que se eu não falasse não seria fácil me ajudar e então eu disse que eu não estava preparada para ser ajudada, apesar de os encontros terem durado quase 1 mês, é inegável que ela me ajudou e muito, eu me recuperei como mulher que sou, ressuscitei a minha vaidade e com o amor próprio em alta, vieram outros problemas.
 
Hoje é um dia desses, em que eu me pego pensativa pelos cantos, remoendo as feridas, nesses dias elas sangram e não tem nada que me faça melhor do que o silencio. As duvidas, os meus questionamentos, que nada tem haver com ninguém, apenas comigo mesma.
 
A regra agora é: fala o que quer, terá resposta em igual ou maior proporção. Ninguem tem o direito de me ofender, de me machucar gratuitamente, quem sabe assim aprende ou eu aprendo? Não sei.
 
Questões de como, por que? Não saem da minha cabeça.
 
Os dias vão passando...

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Patavinas...

A verdade é que vai chegando final de ano e eu não tenho mais saco pra nada. A intolerância anda no alerta máximo e há quem provoque ainda. Ando depressiva por conta do tempo, culpa do El nino... e por culpa daquele outro tempo que também me falta.
 
E o tempo que eu tenho? Ando com preguiça de escrever, muita! Ai os assuntos se perdem nos dias, semanas e meses e se não fosse o tal comentário do "meu caro anônimo", bem provável que eu nem escrevesse uma linha, vamos deixar bem claro pra nos dois, eu sei quem vc é e eu sei o que vc fez no verão passado, ok?!
 
Ainda olho pro ceu incansavelmente. Choveu o dia todo, a noite toda e boa parte de hj... estamos em alerta, com o coração esmagado, mas estamos bem! E vamos continuar bem, obrigada!
 
Estou precisando de férias, antes que eu arranque os olhos de meia dúzia de gente.
 
Acordar esta difícil, dormir tbm, culpa desse horário de verão horroroso. Há quem goste, meu corpo reclama e sofreu a semana toda, as noites que eu durmo tarde e os dias que acordo cedo, refletem no meu humor e na falta dele.
 
Trabalhar esta difícil, comer esta difícil.
 
Preciso de férias, só de ida!

Abraços fraternos.

O engraçado é que sempre foi assim, quem lembra de mim .. é quem eu gostaria que me esquecesse e quem eu gostaria que se importasse, já nem lembra mais.

domingo, 11 de outubro de 2015

Piedade...

É mais um dia que se inicia com chuva por aqui.
 
Foi uma semana de olhares melancólicos que olham para o céu, a espera que o cara lá de cima olhe para toda essa gente.Uma semana de acompanhar os alertas de avisos incansavelmente para se ter a esperança que tudo vai melhorar.
 
E todos olham para o céu com esperanças. A esperança ...  esperança de que eles estejam errados, pelo menos dessa vez errem!
 
Sabemos, não somos tolos que o pior está sendo encoberto.
Não querem alarmar a população? Não. Com certeza não é com esse povo que estão preocupados e sim com os turistas que vem para as festas de outubro. Infelizmente.
 
Também olhei pro céu a semana toda. Acompanhei a dor nos olhos dos outros. Ajudei a fazer as listas do que precisamos comprar, afinal a água não vem até aqui, mas daqui bem provável não vamos poder sair, sem água, sem luz... mas não sem mantimentos! Velas, fósforos, água, leite...
 
E que Deus tenha piedade desse povo!
 
Ainda chove...assim como o os dias que se passaram e como os que irão vir.
 
=(

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

não...

Não diz para mim que com você seria diferente!
 
Não será!
 
Não diz para mim que você nunca me faria chorar!
 
Fará sim!
 
Não diz para mim que vai cuidar de mim!
 
Não vai!
 
Não diz para mim que me ama mais!
 
Não ama.
 
 
A realidade é essa. Não sou mais menina, não caio em conto de fadas e não acredito mais em príncipes encantados...