segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Os dois lados

Sim, eu novamente troquei de local de trabalho. A motivação inicial era a possibilidade de trabalhar em um lugar maior e bem tradicional, mas era apenas um namoro de propostas.

A gota d`água: Em inicio de janeiro voltei ao trabalho e logo "a empresa" contratou uma outra menina que cobriria o outro horário e que eu teria que fazer o treinamento, se como o que a gente faz precisa de algum treinamento, é conhecimento e um pouco de criatividade com uma pitadinha de vocação.

De cara percebi que ela não fazia o perfil da empresa, falava errado, matuta, por vezes grosseira pela própria ignorancia, mas tinha a formação e muita vontade de trabalhar, a necessidade. Com a calma que eu tirei do fundo da alma, fui explicando e mostrando como que as coisas deviam ser feitas: organização e capricho. A bichinha era chata, perguntadeira, mas era boa gente, tinha um bom coração.

Semana passada a dona da escola deu uma chamada nela na minha frente, como se achasse bonito tal atitude, disse coisas horriveis a ela, humilhou ao ponto de eu ficar constrangida. A menina saiu e não parou mais de chorar, pediu as contas.

E eu? Pedi junto. A cena não saiu da minha cabeça, comigo ela nunca fez isso, nem de perto, ela sempre me respeitou, assim como eu respeitei ela, mas eu não aceitei a forma como ela tratou outro ser humano, poderia dizer as coisas de outra forma.

A gente nunca pode esquecer que já esteve do outro lado e se não esteve um dia poderá estar.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Eu ia...



De tudo que "eu ia..." a única coisa mesmo que foi, foi a mudança de emprego, mas não de função. Passei pelo meu inferno astral, como todos os anos, os meses que antecendem meu aniversário são assim, infelizmente esses meses coincidem com o final de ano e talvez ai a origem pelo meu desprezo por essas festividades.

O inferno astral passou e trouxe reviravoltas para a minha vida, acho que isso já está se tornando rotina em minha vida nessa época do ano. Mas tudo se ajeitou e com o andar da carruagem as panelas foram se encaixando melhor e tudo se resolveu.

Com a oportunidade de emprego em outra cidade, eu ia me mudar para Itajaí, mas como eu sou chata e  tudo que olhei, os apartamentos que olhei nada me agradou, grande demais, burocracia demais, nao aceitavam bichos, só uma vaga de garagem, mal localização, e muita dor de cabeça. Vi várias casas, amei todas, preços ótimos, mas um único detalhe, o peso do medo da "enchente".

Colocado tudo na balança optei por ficar onde estou, menos gasto, tudo já adaptado, Cascão vive como um rei, só vou ter que encarar o ônibus, "eu ia" ir de moto, mas o problema não era nem ir, era voltar, o horário, a BR. Resumindo, vou trabalhar 6 horas, com cara de 8 por causa do ônibus, o lado bom é quem sabe eu tenho mais histórias de ônibus para contar.

No mais a vida continua, acredito que agora tudo voltará a normalidade, o fato de pensar em me mudar estava me deixando angustiada, pois é... "eu ia..."

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

das coisas que acontecem só comigo *6*

Uma "rapariga" como ela se auto denominou resolve criar um blog e adivinhem de onde veio a inspiração?

Confira...

InspireYou

O que dizer? Apenas boa sorte menina! Ahh e obrigada por ser minha fã e por perder algum tempo lendo o que eu escrevo, mas não se perca no caminho!

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

das coisas que acontecem só comigo *5*

O ano felizmente já começou e toda aquela euforia na espera do que está por vir enfim terminou e a vida volta ao normal no planeta dos humanos.

Já voltei ao trabalho, nada por realmente o que fazer, apenas organizar, conversar e preparar mais um ano letivo. Escolhi ser feliz e adotei o lema "não se estressar e muito menos carregar problemas que não são meus". Fiquei mais leve com esse pensamento egoísta.

Organizando a rotina, ontem fui ao supermercado dotada de um super mega carrinho, andando lentamente, olhando pacientemente os corredores, produtos e seus devidos rótulos, coisa que só uma mulher sabe fazer. Na virada de um corredor pra outro, eis que me acontece daquelas coisas que é só comigo, fui atropelada por outro carrinho de supermercado, com direito a choque entre carrinhos, susto e risada e um generoso pedido de desculpas pelo motorista oponente e não pensem que era um moleque inesperiente, posso afirmar que o infrator tinha mais de 60 anos. Fato.