terça-feira, 16 de outubro de 2012

Caminhos


"Você não sabe o quanto eu caminhei
Pra chegar até aqui
Percorri milhas e milhas antes de dormir
Eu não cochilei
Os mais belos montes escalei
Nas noites escuras de frio chorei"

[A Estrada] - Cidade Negra

Não tem jeito, aqui é o meu canto! Por uns tempos atras a ideia de deixar o blog de lado passou pela minha cabeça, era tanta coisa, tanta confusão, mas o tempo sempre resolve tudo e as respostas as minhas duvidas vieram e a certeza da escolha do caminho certo.

Agora que a minha vida esta mais organizada, a vontade de voltar a escrever ressurge, quando eu entro no meu casulo não é fácil sair, só saio quando a paz e o equilibrio voltam a habitar o meu corpo, sabe quando tudo está se encaminhando bem e você não acredita e fica esperando por algo dar errado? A minha vida está assim, tudo certinho, tudo no lugar. Uma gravidez tranquila, um ótimo relacionamento com Papai Sapo, minha casa em ordem, meu trabalho não me exige demais... o que pode dar errado? Espero que nada.

Esses dias me peguei pensando sobre os caminhos que a minha vida tomou, tudo o que eu caminhei, as minhas conquistas e sei que nada nunca foi tão fácil pra mim. Muitos não sabem, mas eu sei de todas as dificuldades que superei.

Só esse ano eu acho que já ouvi a frase "Pra ti tudo é tão fácil" por mais de 4 vezes por pessoas diferentes, pessoas que me afastei, pq eu nao preciso de pessoas com esse tipo de pensamento em cima de mim. Pra mim é tudo tão fácil? Será? Eu não me expliquei a elas, e nem pretendo me explicar, pq só eu sei o que eu passei e o que eu passo quando eu me isolo do mundo, a diferença é que quando eu vejo um obstaculo, eu respiro e me concentro e faço de tudo para vencer, elas.. simplesmente reclamam da propria sorte.

Uma boa tarde!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

...

A resposta que uso pra tudo nos últimos tempos é..."Viver um dia de cada vez",

Um dia de cada vez, em doses.. doses de alegrias, doses de tristeza. Cada dia tem uma forma, uma cor e um sabor.

O dia de ontem foi bem amargo, a tolerancia e a paciencia nunca foram meu ponto forte e sim meu ponto mais fraco e nunca fiz questao de esconder isso de ninguem.

Ser chamada de incopetente por alguem que nao tem competencia de cuidar da propria vida, é dose, e me faltaram centimetros para agarrar aquele pescoço fino que caberia perfeitamente nas minhas maos. O meu trabalho tem disso, sao doses diarias de amor e com um doce veneno de tempos em tempos.

É tao simples as pessoas assumirem o que realmente querem, ou o que nao querem, nao precisa procurar defeitos ou desculpas, mas nao, escolhem a dedo as suas vitimas, só que dessa vez escolheu a pessoa errada, pq brigar e defender o que penso eu sempre consegui e jamais abaixaria a minha cabeça estando na minha razao e nao estou mais vulneravel por estar gravida, estou ainda mais forte.

Mas como tudo de bom que eu planto eu colho, e minha competencia nunca foi colocada a prova, as incomodadas que se retirem, por que eu estou no meu juizo perfeito, eu nao fiz uma mudança louca na minha vida pra desistir por peixe pequeno, mas confesso que no fim, cairam algumas lagrimas do canto de olho, nao por tristeza, mas por raiva de sempre ter que me deparar com gente assim.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Entre sorrisos e laços...

Nossa! Como faz tempo que não passo por aqui. A vida está corrida, me falta tempo e o "tempo" que tenho é insuficiente para mim. Estou em um estado de exaustão, muito trabalho, muito curso, nas vésperas de minhas mini-férias atrasada!

Passei por muita coisa, muita preocupação. Noites sem dormir, uma médica louca que afirmou com todas as letras que com meu histórico médico, eu jamais poderia ter ficado grávida, que arrancou de mim meu chão, mas como em tantas outras vezes na minha vida, quando uma porta se fechou, abriram-se várias outras. E uma outra médica, me acolheu e me amparou e disse que no final tudo vai acabar e que ela não tinha o direito de dizer tais coisas pra mim.

Bom, um acompanhamento nutricional rigoroso e todas as coisas que eu mais gostava foram deixadas de lado, de inicio uma tristeza profunda e não posso dizer que estava feliz com toda a situação e que via beleza em tudo, mas já me adaptei a essa rotina. E agora no meu 5º mes e tudo se encaminhando muito bem, posso respirar com alivio.. Minha pressão se estabilizou, sem remédios, mas é um cuidado diario.

Não deixei de fazer nada do que fazia, e nao usei a gravidez como desculpa para trabalhar menos, deixar de estudar, senti a necessidade de abraçar o mundo e posso dizer que estou conseguindo.

Passei a curtir a gravidez no instante em que fiz a primeira ultrassom, em que pude ver aquele ser minusculo que ja tinha os dedinhos pequenos se incomodando com as cutucadas do médico, o que antes não parecia real se concretizava na frente dos meus olhos. Chorei quando ouvi as batidas daquele coraçãozinho.

Sorri quando o médico perguntou:

"-Vocês querem saber o que é?"

E isso nem de perto passava pela minha cabeça, que com tão pouco tempo eu saberia... e ansiosa perguntei se era um palpite e ele me deu a certeza...

"-É uma mocinha, bem preguiçosa!".

A nossa pequena que já tinha e tem seu nome escolhido, faz parte dos nossos dias, na hora das refeições, dos passeios, no trabalho, no carinho que todo mundo tem por ela antes mesmo dela conhecer esse mundo aqui fora, quando ela se agita quando escuta a voz do pai, como Cascão procura a minha barriga para dormir por perto. É entre sorrisos e laços que ando levando a minha vida corrida... talvez uma aquariana, talvez uma piscina, o seu signo ainda incerto, mas muito amada e agora desejada e com uma mãe guerreira que mais uma vez luta pela sua própria vida e pela vida dela também.