sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Tire a mascara...

De todos as convenções sociais o "desculpar-se" para mim é o pior de todos. Entre "com licenças, obrigados e por favores ouvir desculpe-me é o que me deixa mais frustrada. É um dos motivos que não gosto de toda essa pompa, não me soa má educação, me soa fingimento quando usado por pessoas que usam desse truque pra amenizar seus erros corriqueiros. Já perceberam que a pessoa que pede desculpas, tem como habito fazer isso?
EU não tenho esse habito! Não sou mau educada, sou intempestiva, nao tenho papas na lingua, me conheço! Em relação a isso, tá feito.. fiz errado.. paciencia, nao vou mudar entao pra que diabos eu vou ficar me desculpando?
Quando EU chego a me desculpar com alguem, por algo que fiz ou deixei de fazer é por que estou sendo sincera e desejo profundamente nao cometer aquele erro novamente e gostaria que as pessoas tivessem o mesmo comportamento, so me abra a boca para desculpar-se se for para nao cometer o mesmo erro novamente, nao banalize seus sentimentos! Não banalize os meus também...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

E assim foi...

Uma verdade verdadeira e única. Eu não tenho paciência pra celular! Muito menos pra esse tal de "zapizapiii", mas ele tem me reservado algumas boas surpresas. Nem sei ao certo se deveria pensar assim, seriam agradaveis ou desagradaveis.
 
Em algum dia entre essa semana e semana passada. Estava eu no trabalho quando escuto um "toc toc" (sim o meu faz toc toc, tenho pavor do assobio), nem olheio achei que fosse alguma besteira das meninas do trabalho, na hora do café, fui dar uma olhada...
 
"E ae Lucí" (era um numero estranho, ja fui perguntando quem era...)
 
Pra minha surpresa era "gg" (apelido carinhoso dado por uma amiga e eu a sua pessoa, e ele nao sabe disso obviamente). Nao tive como nao perguntar a ele, como ele conseguiu meu numero...
 
"O japa me deu". (O que aquele filho de uma boa mae quis tentar fazer ao dar meu numero a outra pessoa...)
 
Ontem a noite, marido foi fazer hora extra (leia-se jogar futebol!), A Lígia dormindo... eu escuto o "toc toc". Era uma amiga...
 
"Ei.. adivinha quem voltou pra city?"
 
Pois é, ela veio me dar uma noticia, pois eu ja sabia em primeira mao, que "gg" voltou pra casa, que havia se separado da mulher e que com certeza estava atualizando suas referencias..rsrs. Ela sempre torceu pra essa história, que nunca chegou nem perto de uma tentativa, no fundo eu acho que existe um interesse grande da parte dela na pessoa dele, dei carta branca.. ela que va a luta.. ja esta pra titia mesmo, eu nao posso mesmo.

domingo, 23 de novembro de 2014

Esperar...

 
"Quantas noites nas últimas semanas eu adormeci com o celular na mão? ..Algumas coisas nunca mudam.. e mais uma vez me pego a esperar...uma espera sem razões e sem porques. Não existem promessas. A espera faz parte da entrega, dos sabores e dessabores da entrega."

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Preciso de manual...

Uma única verdade, essa minha semana foi uma m*. Fazia tempo que não me incomodava tanto com o meu trabalho, não ...com as pessoas do meu trabalho, amo o que faço, me da prazer, porem o convivio social me mata!... e pra piorar...
 
Chego em casa, exausta, sem paciencia, intolerante, mau humorada.. um verdadeiro capeta de saia. Quando eu saio do trabalho eu ja sei o que me espera em casa, nao fico reclamando para ninguem, ja me habituei durante o dia o ceus cairem na minha cabeça e durante a noite tentar disfarçar meia duzias de sorrisos.
 
Só que tem dias que NÃO DÀ! Hoje foi um dia desses. Não tenho o costume de chegar em casa falando dos problemas que passo durante todo o dia, até para evitar que qualquer coisa que eu faça eu escute "não desconte teus problemas do teu trabalho em casa!". Cliche demais para a minha pessoa.
 
Hoje eu cheguei despejando tudo, adiantei que estava sem paciencia pra latido de cachorra, choros manhosos da Lígia e para ogrices de um sapo, apenas quis dizer que eu queria um pouco de paz, seria pedir muito?
 
A cachorra latia e corria pela sala, ao mesmo tempo que a Lígia berrava enquanto a Pink (a cachorra) chegava perto dela e eu tentando controlar o caos e ouvindo "Não desconta teus problemas do teu trabalho nelas!".
 
Pra que! Explodi em meia duzias de palavras.
 
Eu só queria silencio! É tão dificil de entender?
 
Amarrei a cara, empaquei o burro olhando pra tv, e deixei o mundo desabar ao meu redor.
 
Com o baixar da poeira Saponildo tenta apaziguar os animos...
 
Expliquei a ele, na maior paciencia e boa vontade, que eu não estava descontando nada em ninguem, eu só queria um pouco de sossego e que ele podia coloborar com isso, ja que eu havia avisado que meu dia foi exaustivo.
 
Por isso que eu me canço!Pq eu tenho que ficar explicando a ele como eu sou, o que ele deve fazer..
 
São 10 anos, são 10 anos e uma pessoa que convive comigo não me conhece, não sabe como me acalmar, era tão simples... não precisava focar no "meu problema que segundo ele eu estava descontando". Era apenas desviar a minha atenção, contasse qualquer coisa boa que aconteceu, falasse mau da vizinha, contasse uma piada tola sem graça..
 
Bom, depois "da aula..." de como apaziguar uma fera, o resto da noite foi bem mais tranquila...

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

try..try..try


 
Já se perguntou o que ele está fazendo?



  Como tudo virou mentira?
Às vezes acho que é melhor nunca perguntar porquê

Onde há desejo, haverá uma chama
Onde há uma chama, alguém está sujeito a se queimar
Mas só porque queima não significa que você vai morrer
 
Você tem que se levantar e tentar, e tentar, e tentar
 
Engraçado como o coração pode iludir
Mais do que apenas algumas vezes
Por que nos apaixonamos tão fácil?
Mesmo quando isso não é certo

Já ficou preocupado por isso poder ser arruinado?
Isso faz você chorar?
Quando você está por aí fazendo o que você está fazendo
Você está apenas sobrevivendo?
Diga-me, você está apenas sobrevivendo

Onde há desejo, haverá uma chama
Onde há uma chama, alguém está sujeito a se queimar
Mas só porque queima não significa que você vai morrer
 
TRY...
 
TRY...
 
TRY...
 
(Try-Pink)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

*...das coisas que só acontecem comigo*

Em exatamente 1 mes, passei por 4 assaltos o que dá uma média de um por semana, segundo as regras basicas da matematica e foi bem isso o que aconteceu...

Alguém que le por aqui pode achar.. "nossa e ela comenta isso com uma frieza". Eu devo ter algum problema, eu não sinto medo, eu não sinto desespero, eu não sinto nada.
 
1ª Situação - Estava uma colega e eu no final do expediente no supermercado ao lado de onde trabalhamos, quando chegamos no caixa, o supermercado estava sendo assaltado, por um moleque que no máximo tinha 16 anos, magrelo, franzino, mas tinha uma arma na mão. Ele roubou todo o dinheiro do caixa e TODO o pagamento da minha colega, pq ela tinha ido ao banco sacar e ele viu o dinheiro dela na carteira. Ele apontou pra mim e eu exibi meu cartão alimentação, ele fugiu de bicicleta. Pensei comigo, "nem o fdp de um ladrão mequetrefe quer meu cartão alimentação!"
 
2ª Situação - Estava Saponildo e eu no final do dia, passando no caixa de um supermercado próximo a nossa casa. Quando entra outro moleque magricela com um canivete e parte pra cima da caixa, pede dinheiro, celular, ela começa a chorar. Ele nao percebeu que o dono sempre fica meio que escondido em um escritório proximo a saída, e fechou a porta. Quando o meliante ia fugir o dono, grita pra Saponildo segura-lo (Saponildo que nem gosta de uma briga, segurou) e la veio açougueiro, verdureiro... repositor e ele levou uns tapas ali mesmo, chamaram a policia, mas o pia era de menor, reza a lenda que o largaram na proxima esquina.
 
3ª Situação - Nesse mesmo mercado, essa vez eu estava sozinha, entrou um sujeito armado (esse parecia mais profissional), colocou a arma na cabeça da caixa, levou todo o dinheiro e fugiu em um carro preto. E eu vi tudo comprando carne no açougue. A caixa está ate hoje afastada, pq está traumatizada.
 
4ª Situação - Hoje, mal acabei de entrar na fármacia, proxima a minha casa, e em seguida entra um sujeito armado, limpa o caixa e olha pra mim e pede o meu dinheiro, eu com um pacote de fralda em uma mao e na outra um pacote de lenço, ate eu ia largar pra pegar o dinheiro no bolso, mas ele se padeceu da minha pessoa.."a moça deve ter filho, deixa pra la".. e saiu fugindo em uma moto.
 
E a unica coisa que eu penso.. "Pqp! De novo!?"

terça-feira, 18 de novembro de 2014

...




Quando eu o vi, ali meio de lado jogado naquele canto do refeitório, olhei pro sol lá fora.. pensei..

"Um violão, guarda-sol e uma cadeira de praia.. precisa mais?"

Não.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

...


Hoje acordei sentindo falta...
...dos sorrisos a minha espera.
...das festas que não fomos.
...das noites que não passamos juntos
...do por do sol que não vimos.
...dos problemas que não compartilhamos.
...dos filhos que não tivemos.
...do futuro que não planejamos.
...das brigas.
...das reconciliações.
Hoje acordei sentindo falta de tudo aquilo que nunca vivemos...
Hoje eu acordei sentindo falta de vc.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

oscilando...

Essa semana ouvi dizer pelos corredores do meu trabalho, pelas beiradas do prato que vão trocar meu horário para o próximo ano. Legal, ninguém me perguntou nada.
 
Não sei disfarçar, não sei ficar em dúvida. Quando surgiu a oportunidade e encontrei ela no corredor indo pro café..:"-Fiquei sabendo que fulana vai trabalhar a tarde, como vai ficar a minha situação?". Escuto que nao muda nada que eu vou passar para a manhã.
 
Eu fiquei muito irritada, mas muito mesmo... não é nem pela de horário, mas acho que esse tipo de coisa deve ser conversado em particular com as partes interessadas. Eu odeio ficar sabendo coisas que só dizem respeito a mim, pelos outros. Porem segundo ela, irá fazer uma reunião para fazer os acertos necessarios. Agora ela vai fazer uma reunião? Bom, a reunião anda ocorrendo desde segunda pelos cantos.
 
Já ando a sofrer por antecipação. Elas não tem noção do perigo e da minha lingua afiada no periodo matutino. Já trabalhei nesse horário que elas vão realizar a troca. Eu sou a pior pessoa do mundos, nas primeiras horas que eu acordo, passo a ser mais ou menos sociavel, depois de 2 horas ja acordada. Meu mau humor pela manhã é cronico, só com muito amor mesmo.
 
Meu trabalho durante o ano é 70% criação. Éntendi muito bem o por que da troca, a outra queria o meu horario desde o inicio do ano. Muito facil... eu crio, desenvolvo, ela finaliza e fica com os meritos. Nao é a primeira vez que passo por isso e ja sei muito bem onde isso vai dar, vai dar em outro emprego... em outro lugar.
 
Agora mais do que nunca vou ter que engulir uns sapos e umas pererecas. Preciso da parte financeira, do meu dinheiro, para fazer algumas coisas que planejo para o proximo ano. E o horario nem é tao ruim assim, mas que eu nao vou ficar nesse troca troca...nao vou! Ela que se decida...

terça-feira, 11 de novembro de 2014

e pela madrugada...

Cara, me diz... mas me diz sinceramente... como um ser humano consegue escutar Eminem as 6 horas na manhã?
 
Não, eu não estou a discutir gosto musical, tenho o meu e cada ouvido que escute o que quiser, mas as 6 horas da manhã é insano ter que compartilhar o seu gosto privado com a vizinhança.
 
Sou acordada praticamente todos os dias com o carro do vizinho, essa semana ele escolheu me presentar com "Eminem - Not afraid" (não que eu seja uma admiradora das músicas dele, não é meu estilo, mas essa eu identifiquei, foi me apresentada por aqui mesmo), mas as 6 da madrugada?
 
Mal posso esperar pela próxima semana.. qual o estilo que ele vai escolher pra danificar meus timpanos!?

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Em terra de...

Ando a lembrar pouco do meu pai, suas lembranças já foram bem mais marcantes, culpa dessa vida corrida. Diante dessas discussões sobre o que eu gosto ou deixo de gostar, a lembrança dele se fez presente...
 
Como a minha origem é gaúcha, pra quem não é de lá, não tem noção de que as pessoas por lá, vão de um extremo ao outro, ou você ama alguma coisa, ou você odeia essa mesma coisa. Não existe meio termo, seja para comida, música, partidos politicos e principalmente em se tratando de futebol.
 
Fui uma menininha que nasceu em meio a uma família colorada (assim conhecido o time do Internacional), fanáticos! Desde muito pequena tenho lembrança das camisas vermelhas, dos chapeuzinhos e das bandeiras que ganhei e não tenho como esquecer aquele quadro horroroso que ostentava algum titulo colorado bem no meio da sala.
 
Lembro dos meus tios se acabando de rir quando me perguntava se eu gostava mais do Inter ou do Colorado e eu dizia.."do colorado". Pequena demais pra entender, pequena demais pra expressar a minha opinião.
 
Não me recordo quando o meu coração começou a bater pelo opositor. Foi uma paixão de infancia, pelo azul da cor do céu, de inicio lembro que ninguem me levava a sério, achavam que era brincadeira, na adolescencia um fanatismo com direito a poster na porta do quarto.
 
Então lembro do meu pai, que acordava todos os dias, olhava para aquele poster, sacudia a cabeça em sinal de desaprovação e  me pediu com o maior jeitinho para eu mentir para o resto da familia (tios, primos), como se ter uma filha do time rival fosse motivo de vergonha.
 
Assim eu o fiz, era um desejo dele, para nao mentir, tirei o poster do quarto e nao discutia futebol com ninguem da familia, pra evitar que me perguntasse algo e todo mundo ja sabia de minha posição. O que todos no começo achavam que a minha escolha era so pra ser "do contra" ou uma afronta, com as minhas atitudes mostrei que nao, era que eu apenas tinha o direito de escolher e eu tive o direito de escolher, sem brigas acaloradas.
 
O tempo passou e "até a pé nos iremos..." não deixei meu time do coração, jamais o abandonei, mas nao ligo se ganhou, se perdeu, foi mais uma daquelas escolhas importantes que se faz na vida pra se autoafirmar e que a minha despontou muito cedo.
 
Pra ser gremista em familia de colorado, tem que se ter muita personalidade.

domingo, 9 de novembro de 2014

A amante de Freud - Karen Mack e Jennifer Kaufman


Foi um dos muitos livros que iniciei a leitura no ano passado, escolhi alguns para definitivamente terminar. Comecei a le-lo pelo interesse que o título me causou, confesso que gosto das coisas ligadas a Freud.  Iniciei a minha leitura animada, irresistivel, algumas referencias ja conhecidas pela minha leitura de Nietzche. Redescobri por que tinha abandonado-o, muito descritivo e por horas muitos dialagos e a história mesmo que eu queria acompanhar se perdia em tudo isso. Comecei a detestar Freud, deixou de ser visto por mim de um homem inteligente para um desprezivel egocentrico e no final ele morre. Sim, ele teve a estupidez de envolver a cunhada e ter um caso com ela, usa-la e descarta-la, apenas mais uma. Ela foi fiel até os dias de sua morte.
 
Alguns trechos:
 
"– Você percebe a situação que temos aqui? – ele disse baixinho, com a voz embargada por um instante. – Vivo sozinho numa casa cheia de gente."
  
"Depois de tantos anos de convivência, ali estava o que ela acabara de descobrir naquela única noite. Ele era um homem infeliz. E homens infelizes são perigosos."
 
 
"Crianças de famílias numerosas, assim como os cachorrinhos que vivem em bandos, aprendem a devorar guloseimas inesperadas o mais depressa possível para não terem que arcar com as consequências de uma demora. Sempre pode chegar outra pessoa e levar a delícia embora antes que elas tenham tempo de dizer: “É meu!”
 
"Às vezes o coração não se atrai apenas pelo que é luminoso. Às vezes ele se deixa cativar pelas ambiguidades obscuras de caráter, pelos silêncios ressentidos. E pela compreensão aguda de alguma ideia ou segredo que exista em comum com a outra pessoa. Nessas circunstâncias, o fato de o relacionamento ser ou não ser apropriado deixa de ser uma questão."
 
"A ovelha negra da família chegara a um negror mais preto do que o preto."
 
" Para ele, todas as religiões eram “claramente infantis e alienadas da realidade [...]"
"E, enquanto subia de volta na cama, se perguntou – só por um instante – se ele estaria pensando nela."
 
"Minna tinha penetrado num mundo novo, um mundo secreto, pensou, no qual você não vai para o lugar aonde estava indo e desaparece assim que chega lá. E um mundo onde depois, ao voltar à sua vida de sempre, você finge que nada aconteceu. O anonimato é tudo."
 
 
[...]
– No que você está pensando? – ela quis saber.
– Estou querendo saber quando a verei de novo.
– Não estrague o momento.
– Você não está pensando na mesma coisa?
– Não.
– Mentirosa.
– Já estou contando as horas. Era isso que você queria ouvir? – indagou ela.
– Eu quero ouvir a verdade.
– A verdade é que não há o menor futuro para isto.
– Para tudo há um futuro.
[...]

"De alguma maneira, a sensação era de que os dois haviam se tocado por inteiro e ao mesmo tempo não se tocavam em parte alguma."
 
"E  se viu fisgada pela armadilha primordial humana que são os famosos “e se?”. E se fosse possível voltar no tempo? Será que ela teria conseguido se empenhar mais em resistir à tentação? Talvez sim. Mas isso agora não fazia mais diferença nenhuma. Minna já sabia que, naquele momento, era incapaz de fazer cessar o desejo que sentia por ele."
 
" A moral ou Deus não têm nada a ver..."
"A culpa não passa de um castigo autoimposto que a civilização nos empurra."
 
" As necessidades sexuais são um direito, e ninguém deveria ser forçado a passar pela vida sem satisfazê-las "
 
"Esse era o lado bom do amor, ver seu próprio mundo transformado sob o bri
lho de uma luz falsa."

"Estava livre, da mesma maneira que um prisioneiro é livre quando decide apostar num plano de fuga. E mesmo que no fundo soubesse que aquele interlúdio divino seria breve, a sombra do destino que a aguardava depois não conseguia abalar seu estado de espírito."
 
" Meu Deus, ela pensou ao mergulhar na água morna, por favor, limpe os meus pecados.
 
"E depois, com os dois exaustos, ela descansava a cabeça no ombro dele, entrelaçava as pernas nas suas e pensava, com uma tristeza maior do que nunca, que ele era a única pessoa que havia amado na vida."
 
[...]em um dos seus artigos havia escrito que “mesmo quando os lábios calam... a traição abre caminho à força e exala por todos os poros”.
 
"O seu objeto de estudo são mulheres angustiadas. E quer saber por que elas vivem angustiadas? Pois eu vou lhe poupar anos de pesquisas, então. Elas vivem angustiadas porque homens feito você contam mentiras para aquelas que, como eu, são idiotas o suficiente para acreditar nessas mentiras."
 
"Você não escreveu que é preciso que haja alguma interdição para alimentar a libido? Que paixão e casamento não podem coexistir?

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Por onde andei...??

Trabalhando.
 
Bem emocionante. Doses extras de veneno diarias. Hoje é sexta?
 
Nem acredito.
 
A semana passou que passou, melhor dizer as semanas e as duas últimas corridas demais. Trabalhei em turno duplo, o que me deixou cansada e afetada.
 
Estou totalmente distraida. Ontem no final da tarde minha cabeça doia e nem sou uma pessoa que sente dor de cabeça, da pra contar as vezes que eu senti isso na minha vida.
 
Só sei que me pediram pra colocar umas fotos num pen drive e depois se tinha como colocar um titulo em uma imagem em um arquivo de pdf. Coisa tao simples, mas tinham duas maritacas falando perto de mim, me desconcentrei, coloquei as fotos e imprimi as 30 folhas com a imagem sem o titulo pedido, só lembrei em casa. Pior que a pessoa que me pediu nem reclamou, tadinha! Mandei um "zapi zapi" pra ela me desculpando e ela disse que percebeu mas nao quis reclamar, pq percebeu que eu estava "diferente" e que parecia cansada.
 
Ainda bem que tenho anjos no meu caminho.
 
O humor anda melhor, acho que estou cansada demais até pra ficar mau humorada, como também para ficar sem paciencia. Só penso que hoje é sexta, que ainda vou trabalhar mais hoje e que o dia vai terminar e o meu trabalho vai continuar pra semana que vem.
 
Final de ano em escola é a pior epoca, estamos todos cansados, mas o show tem que continuar até o final.
 
Como eu odeio final de ano!