terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Palhaça, eu?

Em algum lugar eu vi a expressão "não existe nada mais triste do que um palhaço triste".

O palhaço é o símbolo da alegria e felicidade. Só esquecemos que por trás de toda aquela pintura existe um ser como nós, com suas fraquezas e ele tem sim o direito de chorar, mas e quem aqui já viu um palhaço chorando? Ninguém vê, eles só mostram suas alegrias e as tristezas, essas ficam escondidas e guardadas para si.

Assim eu me sinto.

Como uma palhaça. Não como uma palhaça no sentido real da palavras, mas no sentido de "esconder minhas fraquezas".

Quando eu criei o blog, meu principal motivo era: Desabafar. E por vezes fiz isso, até começarem a aparecer as críticas e eu me perder, comecei a me preocupar muito mais com o que as pessoas que liam estavam pensando sobre mim, do que o meu sentimento que eu precisava extravasar.

Não sou uma palhaça e nem meu blog é um circo. Não tenho obrigação de levar entretenimento e nem alegrias a ninguém. Eu tenho obrigação comigo, em ser sincera, em colocar pra fora o que eu penso, o que eu sinto. Por isso é um blog anônimo. É aqui que eu gostaria de me expor sem ser criticada ou rotulada.

Se eu dei abertura e você considera-se um amigo que eu chamaria de intimo, siga e critique-me, eu saberei ouvir e entender. Caso contrario, nem tente! Eu não me importo com que não vale a pena, afinal eu não sou palhaça.

Um comentário:

Lusinha disse...

Recado mais que dado. ;)
Bjitos!