terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Amanhã eu não sei...

"Quem não consegue te compreender e gostar de você do jeito que é, não é merecedor de tua amizade"
Junto dessa frase, veio um abraço apertado na véspera de ano novo. Uma senhora cheia de cicatrizes da vida, perdeu no ano retrasado um filho com cancêr e agora luta com outro que está no mundo das drogas. Assim a conheci. Ela é professora. Em 2008, ela enfrentava muitos problemas com o filho que já partiu, e praticamente sem tempo para fazer as lembranças de dias das mães para sua escola. Eu a ajudei, sem nenhum interesse, pintei uns cartões para ela, na época eu com uma caixa simples de 12 cores, fiz o que pude, no total de 25 cartões!

E sabem que ela nunca esqueceu disso. E toda vez que ela me encontra eu sinto a gratidão naqueles olhos, cansados da vida. Comentei com uma amiga sobre isso, que eu não entendia por que tanta gratidão por algo tão simples e essa minha amiga disse "pra você foi algo tão simples de fazer, mas você não sabe o quanto ela precisa disso naquele tempo, não somente da ajuda, mas do apoio de alguém que se importava com ela".

Foi com essa surpresa que a vi chegar de carro em minha porta. Ela sempre lembra de mim e passa pra ver como eu estou e me dar um abraço. A frase que ela disse pra mim, foi um presente, melhor de todos os que ganhei.

Eu entendi o que ela me disse.

Eu não preciso mudar pra ser aceita. Eu sou eu mesma. Já passei da fase de precisar da opinião dos outros. Tenho amizades que escolho. Falo o que penso. Julgo e sou julgada. Crítico e não aceito críticas de quem não for meu amigo. Eu amo o que eu sou hoje. Amo a minha lúcidez. Amo minhas opiniões. Ser essa metamorfose. Amada por poucos e odiadas por muitos, simplesmente por que eu não preciso me auto afirmar.

Quem soube passar por todas essas minhas incostancias, segue junto comigo o caminho.. até hoje. Amanhã eu já não sei.

Nenhum comentário: