sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A Dona Aranha...

Ainda bem que eu sou uma pessoa extremamente observadora! Fato.

Dia desses. Pela manhã abro o guarda-roupas,  e pá. Antes de por a mão das roupas me deparo com uma aranha de uns 6 cm de diametro, enorme pernilonga, deleitando-se nas minhas roupas. Com o coração na boca. Fecho o guarda-roupas e sento na cama a sua frente.

Passo ali mais de uma hora, olhando pra ver se ela não ia sair de lá.

Se fosse um caso de extrema urgência como no dia da Caixa de Descarga (leia AQUI), eu ligaria sim, para o maridão vir me socorrer, afinal essa é uma das utilidades dos homens, mas como eu achei que ia sobreviver até ao almoço, a Dona Aranha poderia esperar e eu também.

Eis que o "maridão" chega em casa e junto com ele toda a ignorancia que um homem pode carregar no corpo, por motivo fútil inicia-se uma discussão e ele acaba por sair pisando duro de casa e adivinhem:

A Dona Aranha continuou residindo em minhas roupas.

Lógicamente vários pensamentos me acompanharam durante a tarde que se seguiu, como o ato dela se multiplicar, com direito a filhotes, marido, tia e netos! Não é exagero é pavor desse bicho medonho. Ou ela sair de lá e me perseguir pela casa. Ou em pior das hipóteses ela sair de onde estava e se esconder, e eu como poderia dormir no mesmo quarto que ela?

Final da tarde, chega "maridão". Eu já suplicando, implorando, berrando, tendo chiliques para que ele tirasse aquele bicho que ainda dormia em minhas roupas, eu precisava de um banho, eu precisava do meu quarto eu precisava que ELA SAÍSSE DE LÁ.

E maridão, pasmem, saí com a pérola:

"Já que você é toda bravinha comigo, devia ter coragem de tirar ela de lá".

Eu em quase estado de choque. Apelei para a psicologia masculina que sempre funciona:

"Se tu não ir tirar aquele bicho de lá! Eu vou pedir pro filho do vizinho fazer, aí vai ficar bonitinho pra ti".

Lógico que homem nenhum iria aceitar que um outro homem mate uma aranha em sua própria casa, enquanto ele, o macho do lar está em casa e deveria defender sua família do mal.

Maridão conhecendo a loucura da mulher aqui, não duvidou. Pegou uma tolha, pegou a bichinha e levou-a para o terreno baldio da esquina.

Ufa! Assumo, eu sou mulherzinha e tenho medo de aranha!

3 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

E eu tenho pavor de baratas.

Ótimo dia pra vc amiga.

beijooo.

Vitinhobinho disse...

Ótimo dia ! Que sejamos livres nas escolhas!

Olavo disse...

Passando para desejar um otimo final de semana..
Beijos