quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Vamos falar de Peppa?

Eu acordo com a Peppa.
Eu durmo com a Peppa.
 
Só que tem uma criança em casa sabe do poder que essa porquinha rosa exerce sobre as nossas mentes, quando o desenho começa e "Oi, eu sou a Peppa" você promete que será a última vez. Não será mesmo.
 
Simplesmente eles amam ela. Como mãe me senti na obrigação de comprar uma Peppa pra Lígia. Já gastei tanto dinheiro com brinquedo para ela, que ela só olhou jogou no canto, como a "Barriguinha" uma pelucia enorme em forma de girafa que ela tem medo.
 
Com a Peppa foi diferente, fui fazer um teste primeiro, comprei do tiozinho que vende perto da rotatória, quando passei por lá ela dormia, chamei o tio e perguntei quanto que estava a Peppa e ele todo contentinho disse que 50 conto. Bem capaz que eu dava 50 reais por aquela coisa mal feita, chorei daqui, sorri dali e levei uma cópia nada fiel por 30, já me arrependi por que nao chorei um pouco mais, bem provavel que por 50, ele me dava o George também. Pego a Peppa e jogo no banco de tras.
 
Quando a Lígia acorda parece que ia ela explodir de tanta felicidade. "A Peppa, a Peppa..."
 
E assim foi, a Peppa come, a Peppa dorme, a Peppa passeia, a Peppa vai pra escolinha. E eu a me envergonhar por que ela anda pra todo lado com aquela coisa encardida... e nao consigo arrumar outra igual.
 
Dia desses ao largar ela na porta da sala dela, eu como sempre carregando a Peppa, ela entra correndo porta a dentro, quando pensei que ela ia me dar tchau.. ela só diz:"A Peppa."
 
Pois é, o que importa é a Peppa.. a mãe que se dane!
 
(Ultimamente ela tem falado bastante no George...)

Nenhum comentário: