segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Refleti muito final de semana. Pensei e repensei se deveria me expor, abrir-me. Eu só sei que preciso compartilhar isso com alguém, senão eu sei que eu vou explodir. Eu não tenho com quem conversar a respeito disso, minhas opções são escassaz. As pessoas estão mais interessadas em falar do que ouvir. Estão mais interessadas em ser acolhidas do que acolher.

Eu ando em uma fase muito ruim em minha vida. Que dura já uns 3 meses, na verdade eu nem sei onde tudo isso começou. Eu não sei o começo, mas eu tenho medo do fim. Estou com problemas íntimos, emocionais, estou com problemas no meu casamento.

Não existe traição. Não existe o real desejo de separação. Apenas uma incompatibilidade total de genios. Brigas interminaveis. A vontade de estar longe, de fugir. É o desgaste de final de ano. Ele cansado. Eu sem paciência para grosserias masculinas. Ele sem paciência pra futilidades femininas. E coisas que antes eram banais, hoje geram brigas dignas de cinema.

Isso me deixa triste, me desgasta. Na minha casa e nele é onde eu busco minhas paz, meu equilibrio. E eu sei que a vida fica melhor, quando estamos unidos. Ele me cobra uma felicidade através de sorrisos e não entende que muitas vezes o meu rosto sério é apenas sono, cansaço, dor ou qualquer outra coisa, menos infelicidade.

Eu cobro a delicadeza, a compreenssão e muitas vezes a minha carência exige demais de alguém que está trabalhando demais nos últimos tempos.

Eu sei que ainda existe a vontade de viver junto. Ainda existe o carinho. Ainda existe as mãos entrelaçadas quando vemos Tv, existe o beijo de despedida e de chegada e ainda aquele abraço que me acolhe e me faz acreditar que o dia de amanhã sempre será melhor.

Eu apenas estou em desequilibrio, cansada e tenho medo que tudo isso acabe mal, mas nenhum dos dois está conseguindo controlar o impulso da explosão, do nervosismo. E dia a dia existe um afastamento, típico de todo final de ano, pelo menos nos nossos 5 anos juntos!

4 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Seu casamento está vivendo uma crise amiga, que hoje em diante nessa correria toda é normal entre os casais, rotina, trabalho, cansaço,nervos a flor da pele,...
Mas tudo isso vai passar, mas para isso um vai ter que ceder, se abrir, jogar pra fora aquilo que esta incomodando, dialogo aberto é o que está faltando pra vcs, caiu na rotina mas vc pode virar isso reverter esse quadro e tenho certeza de que tudo irá se resolver da melhor maneira possível, só não pense negativo pra não atrair maus fluidos.
Se ainda existe amor, união, carinho, compreensão tudo vai dar certo.
Fico aqui torcendo por vcs.
O amor é tudo na vida, ele vence todas as barreiras, a rotina,...
Tenha fé, perseverança, dissernimento.

Um gde abraço.

beijooo.

Youko Watanabe disse...

Lula Molusquenta!

Você tem razão quando diz q as pessoas estão mais preocupadas em falar que ouvir, mas estamos aqui! Eu não posso dizer muito, pq não sei como é a realidade de compartilhar uma vida com alguém.. ainda mais por 5 anos.. rs
Mas, enfim.. eu desejo que isso passe, e sei que passa.. pq Lula Molusquenta e Sir Saponildo é o que há.. rsrs

Saudade de você.. qdo puder, aparece de vez em qdo pra me dar um oi? Beijos

Rah disse...

Eu tenho alguma experiência em se tratando de conviver com pessoas que só que querem falar e nunca ouvir, mas eu gosto de estar "aqui" para ouvir o que precisam falar. E estamos aqui, como disse Youko.
Eu não posso te dizer muito, porque não faço a menor idéia de como é uma vida de casada, mas eu posso te dizer pra ter paciência, um pouco mais do que já tem, mesmo que seja quase impossível. Porque, afinal de contas, foi ele a pessoa que você escolheu pra viver a vida e apoio é sempre bom, quando se está cansado. :)
Beijos, Lucí!

Lusinha disse...

Ai Lu é triste, mas se há essa vontade de estar junto então tem que começar a lutar para fazer por onde.
Conversa com ele!
Bjitos!