quinta-feira, 3 de junho de 2010

Re-Começo

Normalmente após o término do casamento, a perda do emprego, a derrota do time de futebol (e diversas outras situações) as pessoas falam em recomeço.

Sempre é necessário algum tipo de motivação externa, visível, palpável por nós e pelos que nos cercam.

E quando não há esta motivação externa, porém há aquela frustração, sentimento de mesmice?

Durante muito tempo eu atribuí este tipo de situação à “frescura”, à “coisa de gente que não tem o que fazer”. E talvez seja.

Mas durante um tempo em minha vida – atormentada, com viagens para cá e para lá, emprego, família, responsabilidades cada vez maiores – eu também fui pego por esta frustração, e descobri que mesmo não havendo os “fatores externos”, você acaba sendo levado para eles.

Acredito que tudo na vida tem conserto. Algumas coisas dependem de tempo, de dinheiro, de outras pessoas. Mas tudo tem jeito.

E aprender a lidar de forma inteligente com as emoções negativas, aprender a tolerar a frustração, não significa de forma alguma se acomodar, achar que tudo está bem, mesmo quando não está, é uma postura tão perigosa como a de se revoltar quando nossos desejos não se realizam. Na vida, o mais importante é o equilíbrio, deve-se lutar pelos sonhos sim, mas também devemos aceitar a derrota e aprender com ela.

Acredito que é preciso ter flexibilidade, e saber aceitar em que posição nos encontramos no momento, mesmo que não seja a ideal (dentro da nossa cabeça); A aceitação do estado atual, ao invés de se revoltar ou culpar, nos leva a refletir e traçar novas metas. É necessário que aprendamos a questionar nossas crenças e pensamentos que possam gerar emoções negativas que nos levem a nos sentir frustrados.

Acredito também que o tempo, paciência e o bom senso são as principais ferramentas para que se possa destrinchar o monstrinho e transformar todas as frustrações em lembranças, aprendizado.

É como todo final de ano. Você pode vê-lo como o final de um ano que passou, ou o início do próximo que se aproxima.

E acho também, assim como Henry Ford, que “O insucesso é apenas uma oportunidade de recomeçar denovo com mais inteligência”.

E eu apenas “acho” porque também estou em um recomeço. Da vida.

E este sou eu, que a partir de agora recomeço a escrever, timidamente, por aqui. De maneira inusitada, diferente, nova.

Um comentário:

Orlando Schlappkolh disse...

Nossa bem legal o seu Post... Bom para refletir...

Beijos