sábado, 4 de julho de 2015

Coisas dela..

Normalmente não sou uma pessoa dada a dores, de nenhum tipo.. principalmente dores no corpo, geralmente quando isso acontece, significa que alguma espécie de resfriado está a rondar.
 
Hoje no supermercado entre o corredor do papel higiênico e os produtos de limpeza, senti uma pontada no meu joelho direito, de longe incapacitante, deu pra continuar andando, mas ela ali presente me perseguindo em cada passo, a única coisa que me passava pela cabeça era que eu queria sair o mais rápido possível dali e me sentar. Ainda faltavam as carnes, desisti e chamei Saponildo para irmos para o caixa, não me expliquei, com dor meu humor não estava dos melhores.
 
A fila era pequena, por ser sábado a tarde, estava aceitável, fomos atendidos em seguida. Eu com os olhos vidrados no monitor, por motivos para ter certeza que a mocinha falante não ia passar nada de mais e nem de menos. As compras terminaram, a Lígia permanecia naquela parte própria para acomodar as crianças nos carrinhos de supermercado e ela começa a gritar...
 
"Socorro..socorro...socorro! To presa..presa!..
 
Eu fui adiantando o pagamento e pedi para Saponildo pegar ela de uma vez, por que o escândalo estava grande. Notei que haviam dois rapazes, que eram os próximos da fila, eles riam que se acabavam, mas como eu estava ocupada acertando as compras, quando olhei, Saponildo pedia desculpas pra eles, mas nem me adentrei na história, afinal meu joelho gritava que eu precisava sentar.
 
Já no carro, enquanto a gente passava o cinto, Saponildo me conta o ocorrido, enquanto a Lígia gritava por socorro, os rapazes acharam muita graça dela... só que ela de muito mau humor, esticou a mão (fazendo sinal de pare) e gritou com eles..
 
"Pare. Não olhe na minha cara! Não olhe na minha cara!!..."
 
E obviamente tal atitude ainda gerou mais gargalhadas deles e mais cara feia dela pra eles... o que deixou Saponildo constrangido e a pedir desculpas.
 
Depois dessa, até a minha dor no joelho foi embora...

Um comentário:

Asas Negras disse...

Essa ai promete dar mais trabalho que a mãe quando crescer. Só não vi o motivo para o constrangimento.