quarta-feira, 4 de abril de 2012

"Bertinho"

Tenho lembrado bastante do meu pai e da minha infância, sabe como é... uma coisa puxa a outra e a nostalgia me toma conta nos últimos dias, além de ser o mês de aniversário de sua partida, se é que alguém pode comemorar tal coisa, eu não comemoro, mas me permito lembrar com carinho dele.

Foi em um desses programas de tv idiotas que eu gosto de assistir que desengatilhou todo esse processo, falava de colecionadores de vinil. Meu pai não era bem um colecionador, pq cidade de interior não permitia isso, mas ele gostava de comprar sempre que aparecia algo "de novo". Ainda deve ter uma boa quantidade escondida em algum armario empoeirado da casa de minha mae, que com certeza nao se desfez do que meu pai mais gostava... e que ainda restou como lembrança dele.

Por mais que tentem denegrir a imagem dele, nada me convence que ele não era uma pessoa boa, sim com defeitos e desvios, mas com um bom coração (igualizinho a você P.).

Ele comprava os "discos de vinil", de um senhor que vendia de porta em porta. Passei semanas a lembrar o nome dele, enfim lembrei: "Bertinho". A briga na minha casa era pq meu pai comprava aquelas velharias dele e meu pai sempre respondia pra minha mae "É pra ajudar o Bertinho!.

Bertinho era solteirão, morava só com a mãe e ela doente. Ele conseguia os discos nas cidades maiores, usados e saia vender nas casas, a minha era ponto todo mês e graças a ele, meu pai ampliou sua coleção, pois quando chegou uma loja de verdade na cidade já era pra vender cds.

Mas fica a lembrança, do Bertinho chegando no portão, cansado empurrando a bicicleta velha e perguntando pelo meu pai, e meu pai convidando ele pra tomar um chimarrão enquanto olhava os discos e escolhia alguns, depois que o Bertinho saia, a mesma discussão e meu pai sempre repentindo...

"É pra ajudar o Bertinho!".

Nenhum comentário: