sexta-feira, 12 de agosto de 2011

...das minhas fraquezas

Lembrar do passado nem sempre é bom, principalmente por que a gente não tem o poder de refazer as coisas que muitas vezes nos envergonham.

Não sei lidar com o sentimento das pessoas e sei que decepciono os que gostam de mim. O passado veio me bater a porta pra me atormentar ainda mais e confirmar que o tempo não me ensinou a "agir com o sentimento alheio".

Na adolescencia, tinha um grupo de amigas, nada anormal pra idade, picuinhas, fofocas, mas eramos amigas, e sempre tem a mais especial, a que frequenta a casa da gente, a que a mãe mais gosta.

S. era uma das minhas favoritas.

Na metade do ensino médio, o pai e o irmão dela foram assassinados covardemente. Quando eu fiquei sabendo não sabia como agir, nao sabia o que fazer, minha familia me cobrando que eu fosse até a casa dela, as demais amigas também, e eu fria, alienada e estatil.

Fui até a casa dela praticamente empurrada por uma outra amiga que nem era apenas uma conhecida dela. A expressão do rosto da mãe dela, a magem dela sentada no sofá chorando, a mae dela anestesiada de tanto calmante, o clima que estava no ar, as pessoas todas ao redor, eu não consegui dizer uma palavra a ela, nem um abraço, nem um aperto de mão, sentei em um canto de sofá e fiquei em silencio por uma meia hora, que parecia uma eternidade e fui embora.

Não ouve velorio pela situação dos corpos, que foram mortos queimados, mas nao consegui ir ao enterro, todo mundo foi, toda a escola, mas eu nao consegui.

Nas semanas que seguiram ela nao voltou pras aulas e eu nao consegui voltar a casa dela. As professoras nos faziam orar todos os dias pela familia dela.

Lembro o dia que ela voltou, eu estava na porta da sala, vi ela entrando no corredor, todos a abraçavam, e eu parada na porta, nossos olhos se cruzaram ela me sorriu, sorri de volta, ela entrou pra sala dela e eu pra minha, nunca mais nos falamos. Senti muito a falta dela.

Poderia contar varias outras situações, em que eu me omiti, em que paralisei e nao sei por que isso acontece comigo, em que eu nao sei como agir diante de um elogio, diante de demonstrações de afeto, na maioria das vezes eu me calo ou no maximo um sorriso timido.

Nao que eu nao queira mudar eu só nao sei como fazer pra mudar isso.

2 comentários:

Nanda Assis disse...

complicado amiga... complicado.

bjos...

Marcia Almeida disse...

A gente é como é e pronto. Não precisa se justificar ou se culpar porque não agimos como todos os outros. Isso não quer dizer que sofremos menos por não demonstrar os sentimentos.

Bjs
Marcia