quinta-feira, 22 de julho de 2010

Espelho...

Eu diria que ela está confusa. Confusa entre duas vidas. A vida que ela sonhou e a vida real que ela tem, que até então satisfazia as suas necessidades. E por que agora ela sente esse vazio?

Ela reedescobriu a liberdade, voltou a trilhar seus próprios caminhos. Faz suas escolhas. Convive com novas pessoas. Não é essas novas pessoas que a pertubam, são as velhas. Aquelas deixadas para tras, sem se despedir, aquelas que ela nunca disse adeus.

Ela está confusa. Eu diria além de confusa, perdida em seus pensamentos e desejos. Desejo de ter algo que não seria bom para si e nem para quem está próxima a ela.

Culpa dos fantasmas. Aqueles que vivem a sussurar em seus sonhos, mostram que a vida poderia ser mais cheia de amores e cores, mas não mostram a ela que a vida também tem muitos dessabores e que a vida é muito além desse equilibrio emocional que ela julga ter.

As pessoas reias não a ajudam, mal sabem o que se passa naquela cabeça. Eu sei. Eu posso sentir e sei quando ela está a ponto de fazer loucuras, como jogar tudo o que se tem para o alto.

Dois caminhos. O equilibrio e a paz ou a intensidade e a falsa felicidade.

A casinha afastada da cidade, com cercas brancas, filho e uma vida tranquila ou mochila nas costas em busca do que ela não sabe..

Ela só precisa de tempo, a escolha certa ela sabe qual é!

Nenhum comentário: