segunda-feira, 11 de abril de 2016

Texto inacabado

Um dos muitos textos que encontrei nos meus rascunhos, esse está datado em meados de junho do ano anterior. 

[...]

Novamente hoje me peguei chorando pelas coisas que me disse e pensei quantas outras vezes só nessa semana eu também chorei pelos mesmos motivos e como isso tudo é rotina na minha vida. Dói tanto cada palavra que elas nunca mais saem de mim. Ficam aqui presas e caem pelos cantos dos olhos.

Dias como hoje é que eu peço coragem a Deus, que ele me de forças pra me tirar dessa situação que se repete e eu vou deixando passar achando que amanhã vai melhorar. Eu sei que não vai, assim como a minha coragem não vem.

Vivo buscando a paz, por que não a tenho. Não tenho paz dentro da minha própria casa. Tu me lembra todos os dias minhas imperfeiçoes e por mais que eu me esforce ou ate mesmo tente ser menos imperfeita não é fácil agradar quem não ve seus próprios erros. Você a... (texto inacabado)

Um comentário:

Asas Negras disse...

Estranho, isso parece tanto com meu passado. Tanto que chega a assustar. Me traz tantas lembranças tristes. Hoje eu encontrei a paz, mas não era que eu buscava na época. Porém o preço foi alto. Sou um poeta tolo, e hoje mesmo as vezes tentando ser um cafajeste, estou tão machucado que não consigo deixar ninguém chegar perto. Só a minha escudeira. A Jú... Uma gata, quatro patas e um rabo rs...