terça-feira, 22 de setembro de 2015

Obrigada.

Eu havia chegado em casa, ligado a TV da sala, enquanto ia procurar algo o que comer na cozinha. Passava o jornal, da cozinha ouvi uma voz que reconheci, corri até pra ver do que se tratava, por que toda vez que ele aparecia para dar entrevista, geralmente as noticias não eram boas, na verdade dessa vez era pra informar que eles estavam fazendo um novo treinamento de resgate.
 
Ele já não é mais tão jovem, tem uma seriedade na fala e quem não o conhece acredita que ele seja assim o tempo todo, o cabelo já não tem mais os cachos, as entradas se sobressaem e a barba já apresenta sinais de que está vindo mais clara. Os olhos ligeiros, o sorriso largo e ingênuo. O cara mais querido e mais fofo que já conheci.
 
E já conheço a tantos anos. E se eu acredito em destino? Acredito sim, por que a vida me deu tantas provas, que ninguém entra em nossas vidas por acaso. Ele é uma delas. Nesse mesmo dia, mandei uma mensagem, afinal pessoas como ele são raras, arriscam a vida pra salvar a vida de outras. Salve os bombeiros! Eles tem minha admiração!
 
Não haviam pretensões em minhas palavras, afinal foi um colega, amigo querido, que fez parte das minhas alegrias e das minhas tragédias, ele diz que eu fui o primeiro salvamento que ele fez. Quando no meio de uma aula de fotografia, meu nariz resolveu sangrar e não parou mais e foi ele quem correu comigo pro hospital.
 
A gente se conheceu, sem saber que já se conhecia. Na época frequentávamos uma sala de bate papo, coisa da faculdade, eram pessoas aqui da região. Lembro que eu viajava no outro dia de manhã. Todo mundo saiu e um "nick" ficou conversando comigo, até o dia amanhecer, que ficou com meu contato, mas logo que o nick entrou em contato comigo, eu bloqueei, eu namorava outra pessoa.
 
Uns 2 anos depois disso, eu voltava a faculdade, em outra turma. Entrou um trio na sala, eu já os tinha visto varias vezes pela faculdade, eles não se misturavam. Um que so andava de preto, a menina que tinha uma deficiência física e o alto que ficava com o cabelo no rosto.
 
Como não tinha mais lugar, eles sentaram comigo na mesma mesa. Iniciaram-se os projetos, perguntei se podia entrar no grupo deles, e os estranhos eram pessoas legais. No mesmo instante, eu olho aquele nick que misturava letras e números, escrito e desenhado em todos os materiais, e fui tirar a duvida e para isso foi obrigada a perguntar. Sim, era o tal fulano.. eu tive que assumir que o havia o bloqueado e minhas motivações para isso. Estreitamos laços. Eles eram legais. Foi uma amizade rápida. O trio já se conhecia  a bastante tempo, e eu estava chegando naquele momento.
 
Nosso primeiro e único trabalho juntos foi a produção de um vídeo, quem em mil oitocentos e bolinha era tudo mais difícil, tivemos que filmar, digitalizar. Ele era perfeccionista, os outros dois não queriam nada com nada, nos dois tivemos que dar conta sozinhos. Uma noite, eles me convidaram pra ir para o barzinho, eu disse que não podia ir pois meu marido estava esperando.
 
Ele se surpreende e vi o mundo desabar naqueles olhos, a menina pergunta se ele não havia reparado na aliança no meu dedo, ele diz meio que boquiaberto que anel, era só um anel. O amigo querido que sempre estava por perto. No final da gravação do filme, a gente estava sentado em um banco, ele virou a câmera, me abraçou, falou umas bobagens, a gente ria e eu já estava brava, pedia pra ele parar de gravar.
 
Depois daquele incidente do meu nariz, muita coisa aconteceu, eu fiquei doente, ele até tentou por varias vezes me ajudar, colocava meu nome nos trabalhos, me ajuda a fazer outros, a verdade é que eu não consegui mais acompanhar e fiquei para tras até parar de vez. Quanto voltava pra casa após um período de tratamento ele me fazia companhia no msn, até eu dizer que estava cansada e estava no inicio da febre do youtube, ele ficava me mandando link de vídeos pra eu ver, tinha predileção por Evanescence que segundo ele, eu era muito parecida com a vocalista, eram os olhos dele, talvez a palidez da pele e olhe lá.
 
Em meio a essa turbulência na minha vida. Eu me afastei das pessoas, algumas eu disse Adeus, outras não, ele eu acabei bloqueando novamente, acompanhava a vida dele pelo status do msn. Fiquei feliz em saber da formatura. Quando ele resolveu mudar radicalmente, quando ele passou pra Bombeiro e a vida foi e veio.
 
Quis o destino, que vim fixar residência na cidade em que ele carrega como natal, a família dele continua morando no mesmo lugar e foi meio inevitável as nossas vidas não deixarem de se cruzar por aqui.
 
Na resposta a mensagem que eu enviei, ele me disse que era bom que eu mantesse uma distancia saudável dele, que afinal de contas ele continuava sozinho e eu casada e que a paixão que um dia ele sentiu por mim, estava adormecida e que podia acordar a qualquer momento.
 
Em anexo ele me enviou o vídeo. Gente, fazem tantos anos, a gente era tao jovem! Me deu saudades!
 
Bom, ordens de uma patente a gente bate continência.
 
Boa sorte meu amigo e que essas palavras aqui te sirvam de motivação para continuar a ser quem vc sempre foi. Foi a forma que eu encontrei para agradecer o que vc representou na minha vida, viu como eu lembro?
 
;)

Nenhum comentário: