quarta-feira, 8 de abril de 2015

na pratica...

Não sou romântica. É um fato sobre mim que quem me conhece jamais contestaria. O romantismo pra mim não passa de um idealismo que me faz suspirar, na prática não funciona assim. Sou preguiçosa demais, uma pessoa romântica ia me arrancar suspiros de tédio.
 
Não sou do tipo que gosta de ganhar flores ou chocolates. Das melações típicas de casais apaixonados, ligações intermináveis de telefone, troca de mensagens incansáveis. De surpresas ao pé de ouvido ou de demonstrações gigantescas de amor.
 
Isso não é pra mim. Gosto de ser livre, de me sentir livre, dar liberdade. Acho que não precisa disso, não precisa de todo o enfeite, talvez venha daí minha fama de ser segura de mim. Não é isso. Eu apenas gosto de olhar para a pessoa que esta comigo, e sem precisar de nada mais, saber que sou dele e ele é meu, simples assim.
 
A cumplicidade de um olhar e um sorriso.
 
Suspiros e romances eu deixo para as histórias que eu leio nos livros. O príncipe encantado, trabalha, cansa e assim como eu, tem o romantismo apenas como um ideal sem a menor pretensão de ser colocado em prática!
 
[...]Porque todas as estrelas
Estão desaparecendo
Apenas tente não se preocupar
Você as verá algum dia
Pegue o que você precisa
E siga seu caminho
E faça seu coração parar de chorar [...]
 

3 comentários:

Asas Negras disse...

Alguns corações jamais pararam de chorar. S´aprenderemos com o tempo a ignorar...

Lucí disse...

O meu já parou, agora preciso descongela-lo..

Asas Negras disse...

Se fosse minha inimiga, seria fácil, se não fosse comprometida também se fosse livre ai seria até mesmo interessante... Mas como não é. Deixe o tempo. Ou você resolve esse detalhe ou tempo ele lhe resolverá, provavelmente de um modo que você não vai gostar...