quinta-feira, 16 de abril de 2015

dias que...

Podia ser um dia normal.. mas não foi.
 
Quando fui busca-la, ela correu para os meus braços.. "saudades de você mamãe.". Elas me chamam para conversar, uma longa conversa, sobre birras, malcriações e palavras feias. Olho para aquela carinha linda, que com certeza compreendia tudo o que se falava a respeito dela. Eu não sei de onde eu tirei forças para ouvir tudo... Prometi conversar com ela.
 
Já no carro, desabei.. chorei de soluçar... e ouvi uma vozinha atrás.
 
"- Mamãe tá chorando?".
 
Como explicar a ela que não era com ela que eu estava triste, mas sim com outras pessoas. Aprendi que para criança não se mente, disse que sim, ela ainda não sabe perguntar o porque. Em frações de segundos, eu fui do pensamento.."onde eu estou errando?" para o dane-se.
 
"- Vamos ver as pombinhas e comer pipoca?"
 
"- A ígia (Lígia) que (quer) ve as pombinhas... a igia que...".
 
A vida é muito curta pra me culpar, a vida é muito curta pra eu coloca-la em padrões. Eu respeito a personalidade dela, elas apenas esquecem que ela acabou de fazer 2 anos, que so tem tamanho...mas eu conversei com ela depois com mais calma..

3 comentários:

Anônimo disse...

A escola sempre vai querer enquadrar você e sua filha, a sociedade também. Ser honesta com ela é um perigo se você quiser que ela se enquadre, caso contrário seja, mostre, esclareça e ela aprenderá a ser mais, a pensar e ser feliz na forma que ela quiser.

Lucí disse...

Sr. Anonimo ou anonima...poderia identificar-se...

Carolina disse...

Sra. Anonima que não tem blog, mas gosta de passear pelos blogs dos outros.