sábado, 7 de março de 2015

Freud sempre rende...

Uma verdade. Eu leio desde sempre. Eu amava ler mesmo antes de conhecer as letras, antes de saber que eu precisava uni-las para formar palavras e depois formar frases e que depois iam virar histórias. Livros fazem parte da minha vida, da minha família.
 
Na minha casa havia uma estante, que para uma família humilde era bem recheada, segundo meu pai gastar dinheiro com livro era investimento. Nessa estante haviam enciclopédias, dicionários, coleções variadas e os meus preferidos.. os clássicos da literatura infantil, eu nem sabia quem era Hans Christian Andersen. As vezes minha mãe deixava eu  folhear algum livro, me colocava sentada no sofá, e eu ficava olhando os desenhos do livro que eu escolhia.
 
Havia o livro intocável, mais tarde descobri que nele continha a história da morte que vinha buscar a vovozinha da menina, aposto que minha mãe não leu, pois a menina convencia a morte do contrario. Quando eu aprendi a ler, eu lia uma historia por noite, tinha por habito de levar um livro para o quarto e ler antes de dormir, dizem que minha miopia decorre dai, de forçar os olhos nas luzes do abajur.
 
Li "gibis". Revistas. Jornais.. essa foi a infância e adolescência em um tempo que não havia internet e tv não era interessante o suficiente (ao menos para mim). Aprendi a apreciar literatura nacional, é o que havia na biblioteca da escola, de literatura estrangeira o máximo que me aventurei nesse tempo foi Sidney Sheldon, li o que estava ao meu alcance.
 
E assim foi indo. Leio por prazer, por hobby, leio por que gosto. Não tenho pretensão, vocação ou qualquer coisa na área da literatura.
 
Final de ano, minha mãe me questionou que tipo de livro eu gostava, ela sabe que eu leio de tudo, mas ela com certeza estava com vontade de me presentear, disse a ela que não escolho livros, são os livros que me escolhem, ela ficou pensativa.
 
É uma verdade, eu leio o que chega até minhas mãos. Emprestados, presentes e quando procuro uma biblioteca, gosto de andar pelos corredores e ser escolhida por algum titulo, assim eu já achei os melhores e nem sempre os mais conhecidos.
 
Dentro de tudo isso, eu tenho minhas manias, minhas rotinas e meus hábitos.
 
1. Os livros me escolhem.. sejam pelos títulos, pela capa ou por acharem que eu gostaria de ler.
2. Se eu começo um livro eu termino, seja bom ou ruim. Se for bom, leio mais rápido.
3. Inicio varias leituras ao mesmo tempo. Explico-me... não tenho preconceito, leio no computador, tablet e celular e em cada um eu inicio um livro, quando eu vou terminar? Vai depender do livro.
4. Faço anotações de tudo que leio.
5. Nem tudo que leio eu faço textos, não é o foco do blog, sou péssima em resenhas.
6. Uma dica, nunca..mas nunca mesmo procure nada sobre o livro que você está lendo na internet. A opinião dos outros nem sempre é compatível, mesma historia percepções diferentes. Então, depois que terminar ai sim.. é interessante saber o que os outros pensam sobre o que você leu, um bom site pra isso é o Skoob, não o meu blog.
 
"E por fim, o que Freud diria sobre pessoas que se escondem atrás do anonimato para dar sua opinião?"

Nenhum comentário: