quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

*Perdas e Ganhos*


Nossa! Minhas últimas semanas foram de fortes emoções. Pessoas que foram e voltaram e amigos que foram e não voltam mais.

É sempre assim tudo ao mesmo tempo! E eu tenho que ser forte para resisitir a tudo! Tem uma hora que essas emoções tornam-se incontroláveis.

Não quero detalhar o assunto, mas eu resumo essa minha semana como: Perdas e Ganhos.

Ganhei novamente em minha vida, alguém que foi muito importante a ela, que é uma história de anos, destinos que se cruzam e que se afastam, mas sempre com a possibilidades de novas tentativas. Alguém que nossa história me machucou demais e é bem dificil confiar em alguem assim. Algo se quebrou, a pessoa me mostrou várias vezes uma face que eu desconhecia e a todo momento fico esperando essa face reaparecer e ele se afastar.

Alguém que é importante pra mim, que tenho um carinho enorme, mas não passa disso! O passado ficará onde sempre esteve. Porém é uma história nossa, não existem culpados, não existem interferencias, afastamo-nos e reaproxima-nos quando queremos ou quando a saudade bate.

Perdi, perdi alguém que tinha muito valor em minha vida. Talvez seja como a história passada, que irá voltar ou talvez não. Sinto-me muito injustiçada com a situação. Sou uma pessoa simples e que sei o meu lugar. Nunca fui o tipo de menina que as mães proibiram suas filhas de me terem como amiga, sempre fui um exemplo a todas a me seguirem. Já cometi muitos erros. Erros que prejudicaram somente a mim e mais ninguém. Aprendi muito com a vida, minha mãe nunca me proibiu de tentar e errar, porém se eu errasse ela não queria saber de choro, aprendi assim.

Ela não passava a mão em minha cabeça pelos meus erros e nem colocava a culpa nos outros, por que eu não permitia que isso acontecesse, eu sempre fui responsável por meus atos.

Tenho uma vida bem reservada na internet, até por experiência que não me permitia abrir minha intimidade para as pessoas, foi quando conheci essa amiga, que estava com problemas típicos da adolescencia. Não queria me envolver, mas o meu senso de humanidade sempre me trai e quando eu vi, ela já fazia parte dos meus dias e já sabia mais do que precisava saber sobre mim.

Sempre procurei ajudar as pessoas que a mim pedem ajuda. Os meus conselhos partem de minha experiencia de vida, jamais vou aconselhar alguem sobre o que eu não vivi e não sei como agir.

A pouco soube que fui uma das últimas pessoas a saber da loucura emocional que ela estava prestes a fazer. Por que? Isso demonstra que ela já sabia minha posição e não queria saber minha opinião a respeito do assunto, sabia que eu não concordava, o que eu poderia fazer a respeito?

Por experiencia, sei que nesses momentos, qualquer pessoa que se mostre contra sera excluida de sua vida. Passei por isso, praticamente mesma história e não ouvi minhas amigas, minha mãe, toda a pessoa que era contra o meu relacionamento, eu me afastei. Meu mundo se resumia a ele. Pois é, quebrei a cara. O resultado, perdi amigos e pessoas que eu nunca mais terei em minha vida.

Mesmo com uma experiencia de vida errada. Eu tentei alertar para os erros, mas quem sou eu para tirar sonhos de uma menina apaixonada? Tentei mostrar que mesmo a minha história ter dado errada, não significava que todos os homens eram errados, que existem caras legais por ai. Deixei bem claro que principe encantado é so em livros de conto de fadas.

No primeiro momento tudo é encantador. O amor verdadeiro só vai aparecer junto com os problemas e com as dificuldades do dia a dia, geralmente quando a rotinha chega a paixão vai embora, e só quando ambos tem maturidade para assumir um relacionamento é que o amor fica.

Não é o caso. São duas crianças, dependentes de vontades de pais e mães.

O que eu poderia fazer diante de tudo isso? Por me contra? Sabendo que o resultado era um afastamento cego? Apoiar? Também não. Afinal o que eu fiz? Torci a favor para que a história não se repetisse e desejei felicidades, procurei aconselhar, com a intenção que por um momento eu fosse ouvida, procurando não invadir para nao espanta-la.

Tentativas em vão.

No final, eu sou "banida" de uma vida, da pior forma possivel, novamente a última a saber. Foi um choque! Chorei muito, tive momentos de instabilidade entre a raiva e a magoa. Dormi e acertei meus pensamentos. Eu não mereço isso, sabem por que?

Por que eu não dou dois meses para a palhaçada voltar. Os amigos todos seram banidos, é muito fácil se afastar de amigos, principalmente aqueles que não eram a favor, eu quero ver a pessoa se afastar da "origem" dos seus problemas.

Experiencia propria, os amigos vão e nunca mais voltaram para a vida dela, mas o sujeito que causou tudo isso, pode ter certeza que os anos vão passar e essa história que foi impedida, voltará.

E eu não quero estar por perto. Eu não preciso sofrer por problemas que não são meus e eu não preciso ficar me desgastando por uma pessoa que não quer ser ajudada. Não vou ter como curar as feridas que se abriram. Eu tentei ser a melhor pessoa que eu pude, mas pelo visto tudo o que eu sempre fiz foi em vão.

Não sou egoista. Não sou rancorosa. Mas a minha pouca idade já me permite saber como histórias assim acabam. E eu nessa história sempre vou estar errada. Por que eu nunca vou concordar com loucuras que venham acontecer e nunca vou conseguir impedir e no final todos ficam bem e alguém tem que ser culpado.

E eu?

Aprendi que a vida é assim, todo dia é dia de perdas e ganhos e eu não quero estar por perto para ser crucificada novamente!

12 comentários:

Diogo Caceres disse...

A vida é assim minha amiga, uma eterna mudança. Tudo na Terra é transitório, passageiro... as vezes não aceitar essa realidade é o q torna o caminho tão dificil.
Por mais que amemos as pessoas, cada um tem seu próprio caminho, sua trajetória e muitas vezes acabamos seguindo por estradas distantes.
As vezes as estradas q escolhemos podem nos levar a erros, devido nossa imaturidade ou imprudencia, mas ainda assim que nos sirva de aprendizado! Uma hora sempre refazemos o caminho p/ botar o pé na trilha mais acertada. O importante é não desistir de amar, de querer bem e encontrar o caminho mais de acordo conosco. Muitas vezes as pessoas q mais amamos se portam como "crianças" em espirito e toda criança teme e exige muito. Paciência e fé norteiem nossa jornada p/ q as perdas não nos perturbem mais; alegria e amor p/ os ganhos que a vida sempre nos oferecem... é como dizem, qdo uma porta se fecha, Deus nos abre dez! Ótima postagem amiga, Deus te envolva sempre em muito carinho e amor, abraço!!

Lay disse...

Oi Lucí, eu sou uma das que sabe o que está a ocorrer.
Não quero entrar nesse mérito nem dizer algo que não sei se é o certo ou o errado.
Só vim para lhe prestar minha solidariedade na dor e dizer que espero que você fique bem, que ela fique bem, que tudo fique bem.
beijos.

Tassi disse...

Querida!!! :)

Sabe d uma coisa, Luci? Quando nos propomos a ajudar alguém, sabemos se isso é bem visto ou não pela reação da outra parte, porém, quando este não assimila as coisas ditas por pessoas fora da situação em que ela está, fica complicado. E é pelo fato de que essa pessoa, a qual você quis ajudar, precisa aprender com as escolhas que ela mesma fez. Se vai perder amigos e pessoas amadas, ou não, vai depender de como ela levará o que acha certo adiante!

Quando ajudamos, não pdoemos esperar que seja o mesmo que criamos com nossas expectativas. É o que smepre fazemos, mas é sempre bom se resguadar pro que possa ser a reação do outro. Somos todos imprevisíveis quando achamos que não.

Você ajudou, fez o que achava certo. Ela não quis "saber". Mas será ela mesma que entenderá que tudo tem um porquê e nada,. absolutamente nada, é em vão nesse mundo!


No mais, bem sabes que tenho 18 anos; mas sempre vi as coisas como uma pessoa muito mais madura. Talvez por eu ter amadurecido muito cedo pro experiências que só eu sei o quão me fez ser quem sou. Também sei do que digo =]



Que tudo se resolva, de verdade.
E procure ficar tranquila e serena consigo mesmo, fizeste o que achava certo e de boa intenção, isso é o mais importante, independente do resultado.



Beijo, até mais =p

Tata disse...

Oi Lucí,

Nem sempre o que a gente diz é interpretado da forma correta, às vezes a gente quer ajudar e acaba como o grande vilão da história, aprendi cometendo o mesmo erro que vc cometeu, que algumas vezes a gente tem que saber que os amigos e amigas tem que aprender com os seus próprios erros, que esse talvez seja o único meio deles aprenderem tal coisa. É duro ver um amigo ou amiga quebrar a a cara, sim é, mas ela terá seu ombro depois para se consolar. Ás vezes o mais acertado é dizer faça o que vc achar que é certo.
É desejar boa sorte e se oferecer para qualquer eventualidade.
Não se culpe, vc fez o que achava certo, ela vai ver que estava errada de qualquer forma, mesmo que não fale mais com vc!
Vc é uma pessoa boa, amiga e só tentou ajudar, e com certeza ela um dia vai reconhecer isso, pode apostar!
bjinhos

Manuela disse...

Lu, o importante é que vc fez a tua parte. Infelizmente as pessoas só aprendem com os erros.

Toda maturidade que tenho hoje, eu consegui através dos erros.

Bjo grande no seu coração.

Se cuida.

Dora, a baratinha disse...

Lucizinha-nha! Cá estou eu... ainda não tenho msn instalado, mas já estou com o "rebelde" aqui... ah! vou responder sim o desafio musical. Adorei!
Bom, sobre o post, queria te dizer que sei o quanto dói uma coisa assim. E quando a gente sofre, não dá pra enxergar as coisas com imparcialidade. Ela ainda é muito menina, Lucizinha. Dá um descontinho pra ela (não precisa ser hoje, mas pensa nisso com carinho), olha... do alto das minhas 3 décadas, fico vendo como 12 anos fizeram diferença pra mim. E vão fazer pra ela também, com certeza. A amizade que vocês têm (prefiro falar no presente) é muito bonita pra ser jogada fora assim. Ela passou por momentos difíceis esses dias e as pessoas reagem de formas diferentes. Talvez ela não esteja vendo a situação com clareza, mas depois tenho certeza que o absurdo que é toda essa história de "banimento" seja voluntário ou não vai vir à tona, florzinha. Talvez o medo de ir contra os pensamentos da mãe e se decepcionar outra vez esteja muito forte e irracional dentro dela ainda. Quanto maior o amor, maior o estrago, maior a dor também e eu compreendo sua tristeza, sua decepção... mas quando tudo isso ficar ameno, você talvez até concorde com essas minhas palavras. Vocês são pessoas que acompanho há um tempo... não queria que houvesse essa ruptura. Não mesmo. Nem dessa forma tão brusca e superfcial. Por isso, digo mais uma vez: procura dar um desconto, tá?
*Em breve, resolveremos "aqueles" outros problemas... finalmente!*
Fica na paz, Lucizinha-mais-querida-de-todas-as-Lucizinhas-do-mundo-blogueiro-e-não-blogueiro-também!
Um cheiro bem grande.

Dora, a CR* disse...

Será que eu me confundi, hein? E pensei que estava postando no meu blog?! Rs rs rs... Que comentário enormeeeeeeeee!!!
*CR

Ana Lu disse...

Seu post me fez pensar mto numa frase que acho bem bonita, minha amiga me falou uma vez:
Os ventos que levam algo que amamos são os mesmos que trazem algo que aprendemos amar.
É triste perder coisas, mas vc vai ganhar melhores no lugar. Vc fez a sua parte, e isso que importa. Um dia, ela vai reconhecer td o que vc fez, e sentir a sua falta.
E ai, talvez seja tarde.
Melhoras!! Bjs!

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Luci!

Primeiramente não fique triste! Não fique triste com a situação, não fique triste com você mesma e muito menos com as pessoas em sua volta.

A vida é uma caixinha de surpresas onde perdemos e ganhamos com facilidade.

Não adianta se martirizar pelos atos cometidos, pois sei que você agiu da melhor maneira possível. Você deu conselhos apenas com o que tinha de experiência de vida para mostrar. Não tem nenhum problema nisso, pelo menos você tentou ajudar de alguma forma!

Pessoas vem e vão em nossas vidas, algumas que estamos sumidos reaparecem e outras que sempre são presentes, se vão! Isso é normal.

Agore não se culpe por nada e nunca perca a fé nas pessoas, pois sempre haverá alguém que te ajudará e te iluminará quando você precisar de uma mão amiga!

Beijos...

Izzie disse...

A vida é feita de perdas e ganhos mesmo. O importante é saber lidar com tudo isso e esperar que o tempo cure tudo.

M a r i disse...

Quantas feridas se abrem no quesito 'amizade'. Mas a vida é assim, flor.
Desejo que tudo se resolva da melhor forma possível.

Beeejs
;]

*Lusinha* disse...

Eu sei de que caso você está falando, eu vi um pedaço dele lá onde se pode ver...
Assim como eu não opinei por lá, não opinarei por aqui.
Só desejo que tudo acabe da melhor forma possível Lu e que as feridas sejam curadas. :)
Bjitos querida!