segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Natais passados.

Gente, eu confesso. Eu NÃO gosto de Natal. Na verdade eu sou tão chata que eu não gosto é de datas comemorativas. Já que o blog é um lugar para guardar meus registros, resolvi fazer um resumo de todos os natais de minha singela vida e talvez eu entenda por que eu não me contagio com essas datas.

Essa primeira parte, vai dos meu 0 a 8 anos. Pensei muito para fazer essa divisão dos meus natais por idade, afinal existem marcos nessas idades que eu escolhi para limites entre uma fase e outra.

Não lembro exatamente de todos os natais até meu 6 anos. É muito tempo, mas lembro exatamente os presentes que eu ganhei. Afinal eu só ganhava brinquedo (é brinquedo, por que era só um! e somente no natal!).

Nessa fase as principais lembranças que eu tenho, era minha mãe fazendo a faxina de final de ano! Era uma loucura e eu era a sua fiel ajudante. Ela lavava até as paredes (É. Nós eramos pobres e meu pai relaxado, não se pintava a casa, se lavava as paredes!). Geralmente aqueles parentes que a gente não gostava, ficavam acampados em nossa casa, meu pai bancava tudo, minha mãe era uma amelia na cozinha (com sua fiel ajudante, que mesmo menina ela ja colocava lavar louça e alguns outros afazeres).

Lembro de meu irmão ser a única pessoa que podia tocar na árvore de natal pra arruma-la e minha mãe somente deixava ele fazer isso, ele era o único grande, mas a magia do natal era minha.

Tinhamos uma árvore que minha mãe economizou o dinheiro o ano todo pra comprar. Eu achava ela a coisa mais linda que existia e sonhava com o dia de natal que eu acordava e encontrava todos os presentes em baixo dela.

Ela era verde, de uma material que eu nao sei o nome, parecia papel aluminio verde molinho, tirinhas bem finas formavam as pinhas. Com varios enfeites, inclusive os personagens da turma da monica vestidos com temas natalinos que vinham nas bandeijas de iogurte, só nao lembro a marca, mas acho que era Danone.

Lembro apanhar muito da minha mãe (isso eu com uns 4 anos), por que o pinheiro ficava na sala e minha mae recebia as clientes pela sala (minha mae é constureira e naquele tempo não existia lojas em minha cidade, entao minha mae era muito requisitada!). Quando a cliente tinha uma amiguinha pra eu brincar eu a levava para mostrar o pinheiro e eu ia mostrar as "Bolas" e sempre quebravamos uma (elas eram tão frageis!).

Os presentes que eu ganhei.

4 anos - Foi uma boneca "meu bebe". Ela parecia enorme, eu que era pequena. Minha mãe tem ate hj ela. O nome dela eu dei de "Raquel".

5 anos - Eu ganhei minha primeira bicicleta, eu mal conseguia subir. Era uma Caloi (não esqueça da minha caloi!". Era azul com branco e tinha um cestinha pra carregar as coisas, meu principal desejo.

6 anos - Ganhei uma "chuquinha", aqueles micro bebes barrigudos e pelados sem cabelos, ela vinha em uma maletinha, era linda. "Até hj eu tenho uma paixão por chuquinhas!."

7 anos - Minha mãe mandou fazer em um marceneiro um jogo de sofá, ele era amarelo com almofadas rosas. E um jogo de jantar, tinha uma estante linda e com uma mesa com 4 cadeiras.

8 anos - Ahh esse presente foi o único que eu pedi e ganhei!.. A Barbie!.. Queria a noiva e ganhei a Lingerie.. minha mãe não tinha dinheiro pra comprar a noiva.

Eu acreditei em Papai Noel até os 8 anos! Até aos 6 eu esperava deitada no sofá da sala por ele. E ia dormir preocupada por que segundo minha mãe ele entrava pela janela e eu não queria que ela fechasse.

Lembro de chamar por muitos anos meu pai de Papaieu...
Até meus 8 anos, eu amava o Natal.

4 comentários:

Deise Duarte disse...

Eu sei que é bobo, mas até hoje tenho uma quedinha a acreditar no Papai Noel. amo o natal. Gosto de quando as pessoas fingem todas ser legais.
Eu acho que a cidade fica mais bonita e as pessoas se esforçam para serem educadas.
Meu Papai Noel não me trazia as coisas que eu pedia, mas cresci num bairro humilde e me emocionava quando ele levava presentes para meus vizinhos menos favorecidos.
Sei que a roupa era emprestada, mas o Homem que enchia a barriga com almofadas tinha um coração bom. Como eu acho que o papai noel deve ter.

P.S: Eu ganhei uma Barbie em agosto desse ano, porque minha mãe nunca pode me presentear com uma na minha infância ;)

Um beijo Luci e "Bom Natal" e é que e pode desejar isso pra uma garota que não gosta de natal..hehe

=***

KA disse...

Luci,

Pensando nos meus natais eu lembro que nunca acreditei de fato no Papai Noel. Sempre achei impossível a logística da coisa funcionar....
E o povo fazia a encenação com barulhinho de sininho e eu ria por dentro dos idiotas que acreditavam que eu acreditava naquela presepada..Triste não??? hahahahahaha
Diz minha psicóloga que esta falta de magia na infância me fez adorar filmes e histórias de fantasia hoje!

Bjs!

Déia Arakaki disse...

Oi Luci Boa Tarde minha Querida!!
Primeiramente concordo plenamente com o que vc disse la no meu blog..
Com certeza á muitas pessoas que nao enxergao as oportunidades á ela oferecidas , mais enfim cada um com sua experiencia né minha flor?
Quanto a Natais voce ainda ganhava presente e brincava com eles kkkkk
E minha mae que comprava mostrava a boneca e falava é sua !! Qnd eu ia bricar ela guardava na caixa em cima do guarda roupa e eu nunca brincava (A desculpa dela é que meu irmao e eu iamos estragar) .. Mais me fala se nao era pra brincar porque comprar entao ???
Odeio bonecas por isso kkkkkkk
Ou entao qnd iamos na casa de meus avos paternos (Eles erao japoneses) eles davao os melhores brinquedos aos netos japoneses nos eu e meu irmao mestiços so ganhavamos aqueles de plastico comprados na fera !!! kkkkkk
Não gosto de Natal por isso e por outros motivos mais enfim , é isso que acontece.

Abraços de Luz querida!!

Diogo Caceres disse...

Oi amiga, tudo bem? E o fim-de-semana?
Acabei rememorando meus Natais atraves de sua postagem...
Em casa nunca houve a simbologia do Papai-Noel e da árvore... desde criança, sempre soube que os papais noeis eram meus pais que c/ muito trabalho nos presenteavam, principalmente c/ muito amor e carinho!!
P/ mim sempre ficou a imagem do aniversariante, Jesus e sua mensagem de trasformação intima de cada um de nós!!
Bem, o importante mesmo ñ é a data especifica do 25, mas sim q todos os dias o Natal aconteça em nossos corações!!!! Ótima postagem amiga... Deus esteja sempre contigo, abração!!!