sábado, 26 de maio de 2012

das coisas que acontecem só comigo "8"

A semana que passou não foi das melhores, inacreditável ou não, os acontecimentos não me abateram, renderam boas risadas já que desgraça pouca é bobagem e o desfecho de uma das situações ainda vai me render semanas e semanas que ainda não sei ao certo como vai ser, mas não ando mau humorada. Bom se até o tempo anda sorrindo por que eu não vou sorrir, depois da chuvarada de ontem o dia amanhaceu com um sol lindo.

Durante a semana, andei na correria pra imprimir uns negócios que deixei pra imprimir em casa e não no trabalho, acreditava que minha impressora estava funcionando normalmente, mas não estava, ela despindocou com a mudança.

Lá saio eu em busca de um lugar que fizesse o trabalho que a incompetente nao fez. Em uma cidade em que eu não conheço nada, com pressa, chego no primeiro lugar que vi. Uma salinha com infiltração e um homem baixinho e barrigudo, daqueles que até sobe a polo rosa que ele vestia, a visão do inferno.

Ele pediu se eu tinha os arquivos, entreguei meu pen drive, igualzinho o da imagem.

(Desisti de comprar pen drives bonitos, potentes, a bonita aqui vive perdendo e eles sempre somem misteriosamente, então prefiro a quantidade do que beleza e capacidade, claro que tenho uns dois bons em casa, mas que nao saem de casa pra nada!)

Ele abriu os arquivos e de cara eu vi que minha fonte estava desconfigurada, ele gentilmente mudou, até ai tudo bem foi erro meu, deveria ter levado a fonte tbm, a impressão não era ruim, mas em casa teria ficado melhor. Paguei, agarrei as minhas folhas e corri para uma loja em que eu precisava comprar umas caixas. Lá eu lembrei que meu pen drive tinha ficado no outro lugar.

Já que ficava no caminho de casa não custava passar e perguntar se não tinha ficado ali.

Sim, acredito que esse foi meu erro. Eu peguntei a ele se por acaso eu não tinha esquecido meu pen drive ali e ele com um sorriso mais ironico do mundo:

-"Não moça, aqui não, só se foi em outro lugar!".

Meu sangue subiu, ferveu, como as coisas não estavam dando certo, nao precisava me segurar, chutei o baldinho, mandei então ele enfiar o maldito pen drive no **** e virei as costas.

Mas os olhos arregalados do piá ajudante dele nao me sairam da memoria e só isso ja valeu o dia e quem sabe a culpa não era do mordomo?

OBS: Jamais perguntar se esqueceu algo, se está na duvida é pq nao tem certeza, se eu tivesse chegado e pedido o pen drive quem sabe ele me devolveria, mas ja que ele nao devolveu, ele que enfie no ***.

Nenhum comentário: