segunda-feira, 2 de maio de 2016

...

As vezes eu só queria que você percebesse que eu estou aqui, percebesse que eu estou sofrendo calada, que eu choro pelos cantos e visse toda a insatisfação que carrego dentro de mim. Da tua real falta de companhia, não do teu corpo calado, da companhia de um companheiro, que me olhasse por dentro.

Um companheiro que me visse, que elogiasse meu cabelo, que sentasse do meu lado e perguntasse o que eu estou fazendo. Que não reclamasse ou criticasse tudo que tento fazer, as vezes é só uma tentativa inutil, mas eu queria apenas o apoio, nem que seja pra dar tudo errado no final.

Na alegria e na tristeza, não era pra ser assim?

Meu olhar anda vazio. Meu coração está se desligando e novamente passei a procurar o que me faz falta, não é culpa somente minha, eu tento e só eu sei como tento, mas eu também canso..

Sou insensatez, intensa. 

Você me oferece tão pouco e acredita que está fazendo muito.

Quando todo domingo, a gente senta naquela mesma mesa, daquele mesmo restaurante e vejo você comer a mesma comida, eu só desejo sair dali o mais rápido possivel, eu já não consigo mais disfarçar, estou impaciente e irritada.

Já gritei, já chorei... mas você não me ouve!

E ainda diz que a culpa é minha.

Não, a culpa é nossa!

Toda nossa!

Um comentário:

Asas Negras disse...

Um texto triste. Que infelizmente parece tanto com o meu passado. Mas realmente não tenho paciência para ser infeliz a dois. Ser infeliz sozinho ainda vai. Mas a dois... Não é para mim. Não sou um bom exemplo. Eu peguei minha mochila e parti.