segunda-feira, 29 de junho de 2015

Conversa entre brincos e gargantilhas...

Sentada ao chão, encostada na cama. Abro a caixa.. olho com cuidado, são minhas verdadeiras joias, com suas historias e sem suas historias. Poderia contar os anos de casamento através delas.. dia dos namorados, aniversários, natais... pelo menos uma por ano, as vezes mais.. algumas com muito valor outras com apenas valores que não se pode medir. O que ninguém sabe é que elas sempre estão ali.. sozinhas, sem se exibirem em meu corpo. Escondo-as, mais por zelo, medo de perder pedaços da minha história.
 
Algumas preferidas, outras nem tanto. Gatos em forma de brincos e pingentes de prata, se perdem em meio a tanto dourado. Anéis, pulseiras, braceletes... mas a menina dos meus olhos são os brincos, de formas e tamanhos variados.
 
Tudo ali. ao meu alcance, e longe do alcance de qualquer outra pessoa.
 
Separo um conjunto de brincos, gargantilha e anel.. sim eu deveria usar.
 
Hoje pela manhã coloquei e confesso que me senti mais poderosa, usar uma joia nos da essa sensação de estar bem ornada e iluminada.
 
Agora a noite quando chego em casa, ele olha para o meu pescoço e sorri.. "olha quem está usando o presente que eu dei.. isso é bom, gosto de ver assim". Confessei que passei o dia desconfortável com o meu próprio pescoço, mas segundo ele é por que eu não insisto o suficiente por isso não me acostumo, mal ele sabe que eu já tento desde que me conheço por gente. Brincos e anéis, se adaptaram ao meu corpo.. pulseiras e gargantilhas, eu uso apenas para agradar quem me presenteia.

Um comentário:

Asas Negras disse...

Pulseiras e gargantilhas ... Sempre me lembram algemas e coleiras. Coleiras bonitas. Mas ainda coleiras. Tenho meus amuletos de proteção. Mas não tenho o costume de dar joias ou usar-las.