sexta-feira, 29 de julho de 2011

Então...

Não me recordo bem se foi ontem ou outro dia qualquer da semana, em que li uma entrevista do Dinho Ouro Preto em uma revista velha largada num canto da sala do meu trabalho, em que relatava a trajetória da carreira dele, em que uma parte ele fala sobre como quando se é jovem a gente pensa que não temos tempo para errar e como queremos tudo intensamente, justificando assim seus erros passados e como ele percebe o contrário com a maturidade.

Fato. Não tenho mais 20 anos, já estou com os dois pés nos 30 com quase 15 anos em cada perna e compactuo com a idéia do Dinho, quando se é jovem tem-se a ideia errada que não temos tempo e somente com a idade percebemos e olhamos pra tras, que erramos, acertamos e sempre existe saída.

O que faz a diferença é saber até que ponto as pessoas estão dispostas a se arriscar.

Hoje eu quero uma zona de conforto. Existe uma enorme diferença entre as coisas que eu quero e as que eu realmente preciso. Não é comodismo. É a minha necessidade. Eu sei que eu tenho todo o tempo, não sou mais adolescente, nao sou mais intensa, sou racional.

Preciso viver intensamente uma vida normal e desculpe se eu sou uma pessoa frustrante!

"Somos apenas duas almas perdidas
Nadando num aquário
Ano após ano
Correndo sobre este mesmo velho chão
O que encontramos?
Os mesmos velhos medos"

Wish you were here - Pink Floyd

Nenhum comentário: