terça-feira, 6 de outubro de 2009

Pai...

Hoje sonhei com meu pai.
Eu ainda sinto falta. Como eu sempre senti, antes era diferente eu sabia que podia reve-lo. Agora não mais.
Mas eu não fico triste por isso. Eu entendo que um é um ciclo natural da vida. Eu só sinto falta.
Eu queria que o passado mudasse, que tudo o que passou fosse diferente, que ele não tivesse feito as coisas que fez e que nossa família fosse uma família feliz. Não foi.
Lembrei do dia em que saí de casa. Minha mãe me levou até a rodoviária e enquanto o ônibus saía eu desejava e achava que ainda dava tempo dele aparecer. Ele não apareceu. Ele não foi nem se despedir de mim.
Nem só de lembranças tristes, lembranças boas, como no verão em que sentavamos na frente de casa e conversavamos até cansar, o céu negro .. as estrelas. Uma cumplicidade.
Alguém tem culpa nisso tudo?
Tem. Eu sei que tem.
Com tanto homem no mundo, por que aquela mulher quis meu pai?
Ali foi o começo do fim. O triste é que faz tanto tempo que começou que eu nem lembro. Eu só lembro do fim.

3 comentários:

Lusinha disse...

Tão triste Lu...
Bjitos!

paula barros disse...

É difícil os filhos entenderem essas situações. E amar não devia ser o ruim de tudo, o ruim é como as relações muitos vezes são encaminhadas.

Fique bem, beijo.

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Lucí,

Sinto muito por você e pela situação vivida e marcada.
O bom é que você pode fazer tudo diferente a partir disso tudo que viveu, certamente faz, basta ver sua sensibilidade e preocupação com os animais.
Obrigado pelo comentário e pode, deve mesmo, divulgar essa barbárie.

Tenha paz na alma.

Um beijo com carinho!!!