sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Lembrei...

Hoje lembrei do meu pai, senti uma dorzinha la no fundo do peito. Lembrar dele não seria nenhuma novidade se isso agora acontecesse com maior raridade. Levantei cedo, o dia estava pedindo, sol e calor. Coloquei roupa na máquina. Aqueci água para um café. Dois momentos raros, acordar cedo e tomar café. Enquanto tomava café observava o sol que entrava pela porta da cozinha. Que dia lindo! Lígia ainda dormia, um raro momento de intimidade comigo mesma.
 
Lembrei dele, em meio a degustação daquele café mais frio do que quente. Lembrei do sorriso, o sorriso dela sempre me lembra a ele. Pensei, pensei em tudo o que aconteceu, deu saudades, mas uma saudade de quem já se acostumou a sentir e sabe que não tem jeito.
 
Infelizmente de perfeito ele não tinha nada, mas e quem é...?

3 comentários:

Gustavo Alvarez disse...

meu pai fez tanta falta...
foi embora quando eu formava um caráter. Tinha 24, mas desde os 13 não lembro da atenção do gajo. Ach que eram criados como animais de fazenda... e me fez feito tal.
abraço forte,

gustavo

Dora Casado disse...

Mas Lucí, quem é perfeito, né? Todo mundo é cheio de defeitos, a gente é que na nossa inocente imaturidade desejaria que ao menos eles - os pais - fossem perfeitos. Bom, não são. Mas são nossos pais pra sempre.
Cheiro bem grande.

Gustavo Alvarez disse...

Deus