segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Os dois lados

Sim, eu novamente troquei de local de trabalho. A motivação inicial era a possibilidade de trabalhar em um lugar maior e bem tradicional, mas era apenas um namoro de propostas.

A gota d`água: Em inicio de janeiro voltei ao trabalho e logo "a empresa" contratou uma outra menina que cobriria o outro horário e que eu teria que fazer o treinamento, se como o que a gente faz precisa de algum treinamento, é conhecimento e um pouco de criatividade com uma pitadinha de vocação.

De cara percebi que ela não fazia o perfil da empresa, falava errado, matuta, por vezes grosseira pela própria ignorancia, mas tinha a formação e muita vontade de trabalhar, a necessidade. Com a calma que eu tirei do fundo da alma, fui explicando e mostrando como que as coisas deviam ser feitas: organização e capricho. A bichinha era chata, perguntadeira, mas era boa gente, tinha um bom coração.

Semana passada a dona da escola deu uma chamada nela na minha frente, como se achasse bonito tal atitude, disse coisas horriveis a ela, humilhou ao ponto de eu ficar constrangida. A menina saiu e não parou mais de chorar, pediu as contas.

E eu? Pedi junto. A cena não saiu da minha cabeça, comigo ela nunca fez isso, nem de perto, ela sempre me respeitou, assim como eu respeitei ela, mas eu não aceitei a forma como ela tratou outro ser humano, poderia dizer as coisas de outra forma.

A gente nunca pode esquecer que já esteve do outro lado e se não esteve um dia poderá estar.

Um comentário:

Pietro disse...

O mundo profissional é cruel. Se a Lucí trabalhasse comigo, ia chorar todos os dias... rsrs