quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Lacunas negras II

Houve um tempo, não muito distante de hoje, em que meus dias perderam o sentido e com a falta de objetivos, perdeu-se a noção do tempo.

É engraçado como eu lembro claramente os períodos da minha vida até aos 21 anos e depois tudo se embaralha e só recordo os dias desse ano que passa.

É como os antigos negativos de fotos, imagens em sequencia e derrepente uma repetição de imagens negras que ninguém sabe descrever, mas todos sabem que havia alguma coisa ali.

Não que eu me recuse lembrar de algo, não conscientemente, apesar de ser doloroso, mas eu perdi a noção de anos, meses, dias, agora compreendi bem por que o calendário foi criado. Não existiam datas e sim, ciclos, momentos bons ou ruins, era tudo tão igual que a sensação que os dias passavam rápidos demais e o dia e a noite se misturavam na minha cama.

Tenho uma excelente memória, mas as lacunas negras me confudem e com essa constatação fui dormir triste ontem.

E hoje...

Agora tudo isso é página virada, o que importa é que eu estou me reconstruindo e com a certeza que desse ano em diante, nada eu vou esquecer.

Nenhum comentário: