quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Melancolia

Apesar do sol lindo que faz la fora. Acordei-me triste hoje. É apenas uma tristeza passageira, eu sei. Um dia com gosto de saudade. Quando não se tem o que fazer a gente precisa encontrar problemas para depois sentir o gosto da vitória ao se recuperar. Foi apenas um sonho. Um sonho que eu não esqueci. Um sonho daqueles que doem no peito.

Sonhei com meu pai. Saudade.

Algumas semanas atras, eu estava aqui da mesma forma e me veio o pensamento "Nossa! Faz tempo que eu não sonho com meu pai". Saudades. Afinal somente em sonhos que nos reencontramos.

E depois de meses eu voltei a sonhar com ele.

" Era noite. Um casamento. Rostos não familiares. Época antiga. Estrada de chão. Decoração estilo rococó. Eu vestida com um vestido de cetim rosa, sentada ao lado de um casal lindo e sorridente (pessoas estranhas ao meu conhecimento), deduzo que eram os noivos, pois todos vinham os cumprimentar ali naquela mesa a beira da rua, finamente decorada. Eles eram a atração e eu estava ali e eles me tratavam com muita intimidade, não lembro o que eles me diziam, só lembro o sorriso daquela moça loira de olhos verdes que me tratava com muito carinho, eu me sentia feliz. As pessoas da cidade passavam e ficavam olhando.

Até que enfim um rosto conhecido, um rosto que há mais de 10 anos não vejo. Minha amiga de infância. Ela passa, eu a reconheço, ela em um vestido de época branco, com cabelos enrolados, carregava um sombrinha de renda, ela me olha, passa e volta e vem me dar um longo abraço, diz que estava com saudades e que a gente se via. E saiu. Como se nós não pertencessemos a mesma classe social, ela não era convidada para o casamento.

Até que aquela moça loira, diz a mim que era pra eu atravessar a rua que ela ia pegar a carruagem para jogar o buquê. Eu atravessei cuidando para não sujar meu vestido, e lá encontrei várias moças insandecidas, gritando conforme a carruagem passava, a moça loira jogo o buquê, e uma moça afastada de mim pegou.

Eu sai andando triste. Tentei voltar para o lugar onde estava sentada mas já havia um homem em meu lugar. A moça loira sorriu e acompanhou-me na busca de um novo lugar.

Amanheceu. E nós continuavamos procurando um lugar. Passamos por jardins lindos. Até que entramos em uma sala e para meu espanto era a casa de minha mãe. A moça loira se despediu de mim e minha mãe vem ao meu encontro, quando ela me olha, em seu rosto eu posso ver o espanto dela, quando me diz que não era pra me mover, pois meu falecido pai estava atras de mim, e eu disse a ela que não tinha medo e virei-me, era meu pai. Apenas uma imagem estática.

Comecei a chorar. Dizendo que sentia sua falta e que havia o perdoado. Frases que sempre que eu o encontro em sonhos eu digo a ele. E chorei muito em seu ombro e ele não me disse nada, apenas me fez companhia. Era somente ele e eu na sala da casa de minha mãe que saiu de medo, eu chorando."

Acordei.

Acordei com aquela dor no peito. Com a sensação de alívio. Foi bom. Saudades.

Queria entender cada parte desse sonho. Por isso o descrevi com riquezas de detalhes, pois um dia quem sabe eu o decifre. Por que eu acredito em dois tipos de sonhos. Um que é a manifestação do inconsciente. E em outro tipo, aqueles que são encontro de espiritos.

Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos,
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...

*Vento no Litoral - Legião Urbana*

6 comentários:

KA disse...

Oi amiga!
Poxa, não fica assim...Apesar da melancolia fazer parte da nossa vida, acho-a tão perigosa. Para mim, ela costumava ser uma porta de entrada para buracos negros. Hoje, um remedinho e muita terapia me ajudam a lidar melhor com ela.
MAs é verdade, lidar com saudade e perda é muito complicado e acho que muitas vezes nos trazem esta sensação melancólica de ausência.

Bjs e fique bem!

*** Cris *** disse...

Olá, Luci!
Vc conseguiu expor em detalhes um sonho,sinal de que está td aí vivo dentro de vc, a resposta para cada linha que vc escreveu com tanta expressividade está dentro do seu coração, talvez vc nem queira saber disso td agora e só queria curtir esse momento de saudades, mas essas cenas sempre voltam,né?
Acho que chegará um momento que vc dirá a sim mesma que já tem as respostas.
Um abraço!

Pelos caminhos da vida. disse...

Eu te entendo amiga.
Perdi meu pai,depois meu irmão.
A ausência deles e a saudade,doi demais.

beijooo.

Nanda Assis disse...

tbm encontro com meu pai em sonhos, e o desespero qndo acordo e ele não está é coisa inexplicável. pq tem que existir a morte?

e a frase de renato russo deu um toque muito especial em seu texto.

este assunto mexe muito comigo.

bjosss...

Girl disse...

Oi,

Nossa que sonho lindo.
Estranho, mas lindo.
Acredito que estes sonhos que temos sempre tem um significado.
Já tive um ou dois sonhos assim que não esqueço, guardo no meu coração para um dia poder decifrar.
Provavelmente nunca vou decifrá-los.
Mas que eles fizeram diferença na minha vida fizeram.
E aposto que tambem farão na sua.

Beijos,

Girl

Dora disse...

Lucizinha... os sonhos são muitas vezes esquisitos para mim também. Eu acho que têm um significado. Não acredito muito que sejam do tipo premonição, acredito mais em algo do nosso subconsciente, sabe?
Eu fiquei achando que o casal eram teus pais no início... receba como um presente mesmo, para matar as saudades...
Eu lembro das histórias sobre o seu pai. Lembro quando ele se foi. O importante é que você sempre guarde a parte linda da história. Afinal, a gente não sabe o que acontece mesmo com a gente depois da morte. Eu não acho que seja o fim. Transforme seu carinho em belas e ternas lembranças...
Um cheiro bem grande.
CR (dessa vez foi mesmo)